old_men_videogame

Uma hora vocês vão sair da casa de papai e mamãe e ter um cagalhão de responsabilidades. E agora, quando jogar?

Ficar velho é uma merda. Você não pode mais comer que nem um somaliano desesperado porque qualquer coisa engorda ou faz mal. Faça a faxina da casa e 10 minutos depois tudo dói. Tendinites fazem seu braço tremer como se você tivesse Parkinson (bom, pode ser de fato Parkinson, eu estou velho). E o principal, casado, com filhos e trabalhando para pagar as contas você tem tantas tarefas e responsabilidades que fica difícil se dedicar a seus hobbies. Pra quem cresceu jogando videogame isso é uma merda. E agora, como fazer? Bom, titio Leonardo dá umas dicas de como você pode se dedicar a seu passatempo predileto mesmo tendo que trazer comida para debaixo do seu teto.

1. Tenha menos jogos

Coisa de 1 ano atrás eu assinei o Serviço PS Plus da Sony. Pelo valor de 1 jogo, eu tive um ano baixando um monte de jogos fodas (e outros nem tanto) de graça. Um ano depois, qual o resultado? Um monte de de jogos fodas (e outros nem tanto) que não consigo jogar.

Preciso… jogar… todos…

A questão é que simplesmente não dá tempo. É tanto jogo, com tanto conteúdo, que simplesmente não dá para curtir todos os jogos que eu gostaria. Uma solução é não ter tantos jogos. Vamos encarar: por mais que existam umas boas dezenas de jogos muito fodas, você não vai morrer se não jogar todos eles. Então escolha muito bem o próximo jogo que vai comprar (dica: NÃO compre no lançamento, não importa quanto hype tenha em cima dele) e de dedique a ele com calma. Quando realmente tiver jogado tudo o que pode dele, compre outro. Sua biblioteca de jogos vai ser menor, mas não vai ter aquela sensação deprimente de ver jogos e mais jogos que você ligou apenas uma vez e depois nunca mais (também conhecida como Síndrome Steam)

2. Jogue no fácil e esqueça as sidequests

Recomendação do Sorg

Nesse momento muitos jogadores sentem sua honra conspurcada e gritam NEVER!!! Calma, chuchus, eu explico. Como falei acima, hoje temos muitos jogos de qualidade com muito conteúdo. Bom, todos gostamos de algum desafio, mas vamos analisar: se eu jogo Assassin´s Creed, por exemplo, eu provavelmente vou estar interessado na história. Se eu jogar no fácil, vou ter a experiência de jogo da mesma forma, mas vou poder pular para o próximo jogo mais rápido. Pode ser um golpe na sua honra, mas vai te permitir experimentar mais jogos.

Dark Souls
Este passo inclui absolutamente NÃO jogar isto.

Aí, vem os “completadores” que nem eu, que querem fazer tudo que o jogo tem, cumprir todas as missões, pegar todos os itens e ter o troféu de platina. Bom, triste notícia para nós: não dá tempo. Fica difícil pegar todas as conquistas em Dark Souls com seu filho berrando às 2 da madrugada pra que você dê mamadeira pra ele. De novo, simplesmente não dá tempo. Então desapegue: jogue a campanha principal e pule pra outra. Cá pra nós: pegar todas as bandeiras de Assassin´s Creed é um saco mesmo.

3. Tenha um(a) companheiro(a) que não seja mala

Eu sou da opinião de que pessoas que dizem hoje que “videogame é coisa de criança” merecem um beijo. No pescoço. De um crocodilo. Mas ainda existem pessoas assim. Então no caso de vocês leitores terem uma namorada/noiva/esposa que pensa dessa forma (isso não acontece com nossas leitoras por uma razão simples: não temos leitoras), eu tenho muita pena de você. Eu sempre tive muita sorte com isso. Uma noiva que se acabava com Guitar Hero, depois uma namorada que jogava Mario Kart comigo de pau a pau e comia Super Mario World com farinha, e agora uma esposa com uma saudável apreciação por Pokémon. Tem muita gente que diz que é preciso conversar, mostrar que não é um passatempo besta, de repente tentar jogar com ela algo que ela também pode jogar, mas sejamos realistas, não vai acontecer, porque se trata de preconceito. Ela não vai admitir que você gaste 150 paus em um jogo – embora ela mesma gaste 300 em um sapato que vai usar uma vez e depois esquecer no guarda roupa. Então o melhor a fazer é achar uma mulher que goste, ou que pelo menos seja neutra, enquanto há tempo. Já casou? Se fodeu Ora, que pena.

isso não é uma game girl
Àqueles mais confusos, uma explicação: essa não é uma jogadora, é apenas uma idiota mordendo o cabo do headset do Xbox (mas eu ia!)

4. Jogue com os filhos

Um tempo atrás nossa lus, raiu, eztrela e lwar, o querido Dadá, comentou conosco que ele achou um saco que um jogo que estava jogando era dublado e tinha palavrão pra cacete, e por isso não podia jogar perto da menina dele. Tirando o fato dele ser uma mula por achar que um jogo que não é para menores deveria se preocupar com linguajar para menores (“Meu amável companheiro, poderia fazer a fineza de me cobrir enquanto procuro alvejar aquele desagradável membro do exército inimigo que tenta nos balear” talvez fosse um linguajar mais adequado, imagino) se você gosta de videogames e tem crianças, jogue com elas. Está cheio, mas cheio mesmo, de excelentes jogos que você pode jogar com seus filhos, ou na frente deles.

criança jogando
O guri não sabe, mas o cabo do joystick dele está desligado. Essa tática ainda é valida hoje, apenas use um joystick sem baterias

Eu sempre falo dos Super Mario Galaxy, por exemplo, duas obras primas que vazam excelência por todos os poros, são acessíveis para crianças e tem desafio suficiente para nós velhacos. E se você tiver certeza que sua criança não é débil mental e vai imitar qualquer idiotice que ela ver no videogame, como matar um amiguinho com uma motosserra, vá de GTA mesmo, que se dane. Apenas aproveite para jogar e passar o tempo com seus pequenos psicopatas.

5. Jogue quando todo mundo estiver dormindo

Essa é fácil. Em tempos de Red Bull, cafeteiras e refrigerantes de cafeína, fica fácil dormir mais tarde ou acordar mais cedo para passar horas de qualidade com seu joystick. Se você tem um recém-nascido, então, você pode fazer um combo matador: o moleque provavelmente mama em algum momento da madrugada. Bom, proponha que a sua mulher descanse enquanto você se encarrega de dar mamadeira a ele.

jogando com bebê
Você vai até poder colocar no currículo: “grande capacidade multitarefa”!

A patroa vai ficar feliz em ver como você é um marido prestativo (o que pode render agrados sexuais, inclusive), é garantido que o pimpolho vai ter seu lançador de cocô recarregado para outra rajada, e você vai poder jogar antes da hora da mamadeira de fato e depois enquanto espera que a fralda seja inutilizada. Todo mundo ganha!

6. Tenha um videogame portátil

Desde o meu primeiro emprego, tive um GameBoy, um GameBoy Advance, um GameBoy Advance SP, um Nintendo DS, um PSP, um Nintendo DS Lite, um Nintendo DSi e um 3DS XL, sendo que mantenho os 3 últimos e ainda dei um 2DS pra minha patroa. Por que? Bem, em um dos meus últimos empregos eu chegava a passar 2 horas em transporte público voltando para casa. Então convertia minha pobreza medíocre em tempo de jogo. Assim eu podia curtir meus jogos feliz da via e ainda evitava chorar de depressão por ser um merda que passa horas no transporte público lotado todos os dias. Embora algumas pessoas ainda consigam arrumar problemas dessa forma.

videogame metrô
Sem dizer que impede que malas fiquem puxando assunto com você

E aí, chuchus, tem mais dicas? A menos que você seja estupidamente rico e tenha servos para fazer suas tarefas diárias duvido muito que tenham tempo suficiente para jogar tudo o que querem, então contem aí o que fazem pra espremer alguns minutos pra jogar.

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1