Melhor que na Fox, sem dúvidas!

Olá, Enxutos! Após o sucesso do Homem-Aranha de Tom Holland, a pergunta mais lógica é “Quando vamos ver os outros personagens da Marvel no UMC (Universo Marvel Cinematográfico)?”.

Claro que existe muita burocracia e muitos problemas entre os estúdios. A primeira coisa a entender é o porquê de os personagens da Marvel estarem pulverizados por várias empresas. Tudo começou nos longínquos anos 90, quando a Marvel estava às portas da falência, numa merda de fazer inveja ao Estado do Rio de Janeiro.

Para fazer algum cascalho, a empresa vendeu os direitos de certos personagens para a indústria cinematográfica, no caso, para as Universal Pictures, Lionsgate, 20th Century Fox (Fox Entertainment Group) e Columbia Pictures (Sony). Assim começou essa zona que dura até hoje.

Recomendação do Sorg

Mas Homecomig (relaxando em casa, numa tradução Leonórdica) mostrou que o lugar do Homem-Aranha realmente é na Marvel. É claro que nem tudo são flores e muitos fãs mais velhacos ou puristas não gostaram muito das decisões, tomadas para inserir o Homem-Aranha nesse novo universo, ainda mais relegando o personagem ao status de fanboy/estagiário de Tony Downey Stark.

“Garoto, já ouviu falar da reforma trabalhista?”

Sem querer entrar no mérito da teoria de marketing e repetir aquela batida frase de “Vocês não são o público alvo e etc..” (que é verdade), mas o resultado final é que a fórmula Marvel deu certo com o Aranha e, partindo dessa premissa, como se faria para introduzir os outros personagens da Marvel no UMC? A ideia é que esse post vire o primeiro de uma série, que vai tentar trazer a luz possibilidades viáveis, para esses personagens poderem fazer parte do atual universo integrado da Marvel. Pelas questões que vou listar abaixo, começarei com a “Primeira Família”: O Quarteto Fantástico!

E vamos pelo Básico: Origens!

Todo mundo sabe que o UMC é diferente dos quadrinhos. Mesmo sendo baseado em essência no Universo Ultimate, foram tomadas mudanças e liberdades necessária para os filmes terem sua identidade. Como já disse em alguns casts/posts, mídias diferentes tem suas características e às vezes aquilo que faz sentido nos quadrinhos não funciona em um filme. Por isso, para situar os personagens do “4” (pra encurtar) nos filmes da Marvel/Disney, eles precisam de muitas alterações. A começar com a ambientação. O “4” teria que ser introduzido logo após os eventos de Vingadores: Guerra Infinita e assim seria talvez um dos pilares da Fase 4 da Marvel no cinema.

Nesse contexto, os eventos ocorridos desde o filme dos Vingadores (a invasão de NY) e tudo que vai acontecer, após Thanos e seus filhos, a Ordem Negra, chegarem à Terra, vai ser fundamental para a existência do “4”. Tudo se inicia com a criação do Instituto Baxter, dois anos após a invasão de Loki. Criada para substituir o Projeto Pegasus, a Baxter teria a função de analisar e pesquisar tudo de alienígena que ocorresse no mundo. Mesmo que o governo tenha uma parceria com a Stark Industries, para resolver os problemas com a tecnologia Chitauri, o Instituto Baxter não faria apenas o trabalho de coletar “o lixo”. Eles seriam pesquisadores, levando a ciência a novos horizontes, vislumbrando e estudando o que antes era mera especulação ou ficção científica. O criador do Instituto Baxter é um famoso gênio da ciência, Franklin Storm. O doutor Storm era conhecido por sua excentricidade, especialmente em afirmar a existência de seres alienígenas de grande intelecto e que provavelmente já fizeram contato com humanos no passado. Esses seres seriam arquitetos cósmicos e, em suas pesquisas, ele os chamou apenas de “Celestiais”. Após a invasão de Nova York, ele deixou de ser visto como um louco e o governo decidiu colocá-lo como cientista chefe do Baxter, com o intuito de criar contramedidas para invasões extraterrenas futuras. Para isso, ele decidiu criar uma equipe com as maiores mentes científicas do mundo, dentre elas, jovens extraordinários, que poderiam contribuir com uma visão nova e diferente das coisas. Entre esses cientistas, estaria sua filha Susan Storm. Ele também teria um filho, Jhonny Storm, inteligente, porém irresponsável e indisciplinado. De todos os seus alunos e pesquisadores, o mais avançado seria o jovem e recluso Reed Richards, com um potencial científico e mente analítica tão avançada, que poderia rivalizar com a de gênios como Hank Pym, Bruce Banner e Tony Stark, apesar de possuir apenas 15 anos.

A história daria um salto no tempo de 8-9 anos, até depois dos eventos da Guerra Infinita. A partir de agora é cagação de regra forte, levando em conta que ninguém sabe como o UMC vai ficar, depois desses filmes: quem vai viver, morrer, etc…

Então, seguindo o raciocínio que o mundo ficou na merda, após a invasão de Thanos, e muitos Vingadores morreram ou se aposentaram, e com uma segunda invasão cósmica, o Instituto Baxter iniciou o projeto Excelsior, com a premissa de encontrar fontes energéticas que rivalizassem com as Gemas do Infinto, para criar uma nova leva de armas de defesa para o mundo. Reed Richards se torna o cabeça desse projeto, legado deixado pelo já falecido Doutor Storm. Susan, agora sua noiva, também o acompanha como rival científica, enquanto tenta “encaminhar” seu irmão, promessa feita ao falecido pai. Os três são acompanhados do chefe de segurança do Excelsior e amigo de Reed, Benjamim Grimm. Os quatro são amigos inseparáveis e juntos tentam encontrar uma forma de proteger o mundo de novas ameaças cósmicas.

Durante um dos testes do projeto, Richards abre um portal para uma nova dimensão, chamada de ZONA NEGATIVA. O intuito é  estudar anomalias energéticas, que podem estar ligadas às mesmas fontes de poder das entidades que o professor Storm chamava de “Celestiais“. O problema é que durante um desastre nos experimentos, tanto ele, quanto Susan, Johnny e Ben são expostos a uma quantidade absurda de “energia negativa” e acabam sendo hospitalizados. Enquanto estão sendo testados, a sede do laboratório Baxter é acometida por uma nova anomalia, que libera uma série de criaturas em NY. Esses seres buscam a fonte de energia negativa na cidade, os “4”, o que acaba levando a uma batalha, onde eles demonstram agora ter habilidades especiais. Após o ocorrido e de volta ao Baxter, o quarteto descobre que o acidente no experimento Excelsior foi fruto de sabotagem, causada por um empregado do Baxter, chamado Owen Reece. Reece também foi afetado pelo acidente, desenvolvendo a habilidade de rearranjar as moléculas da matéria à sua vontade, literalmente dando vida aos seus pensamentos. Por conta dos seus poderes, Owen acaba sendo contatado pelas mesmas criaturas que atacaram o quarteto, que dizem a ele que seu “mestre” entende os seus poderes e deseja lhe encontrar. Esse ser, que se autointitula o Aniquilador, deseja que Owen lhe ajude a completar sua travessia para a Terra e promete lhe ajudar com o domínio de seus poderes, o que fariam dele um líder entre os homens.

Owen retorna ao Instituto Baxter, fazendo uso de seus novos e aprimorados poderes moleculares, para reabrir e amplificar o portal, para que o Aniquilador possa vir à Terra. A entidade é detida pelo quarteto, com a ajuda inesperada de um ser cósmico que se auto intitula “O Vigia”. Este diz a Richards que o dever dos Vigias é de apenas servirem como observadores, mas a ação do Aniquilador e os poderes sem limites de Owen exigiram sua intervenção. Com as informações provenientes do Vigia e com seus amigos, Reed consegue impedir a invasão da Zona Negativa, expurgar o Aniquilador e anular os poderes de Owen.

Após o ocorrido, Reed e sua equipe são indagados se querem fazer parte dos Vingadores, mas eles recusam o convite, dizendo que não são guerreiros e nem heróis, mas sim cientistas e que o dever deles é pesquisar e buscar a melhor resolução para o entendimento dos mistérios do universo e não reagir aos acontecimentos com violência. Servindo como consultores e não como uma equipe tática, nasce assim, o Quarteto Fantástico!

Os personagens.

Aí vem a parte difícil: definir e escalar esses personagens. Pensei em como seria um Quarteto Ultimate, mas com muito das características clássicas dos personagens.

Por isso eu começo com Reed Richards. Ele é o nerd com foco. Não é babaca, nem tímido. Não é um Peter Parker. Ele sabe o que quer. Acha a vida “comum”, com bebidas, festas e diversão, desinteressante. Tudo na sua vida é uma busca incessante pela descoberta do novo. Logan Lerman, de Percy Jackson e As Vantagens de Ser Invisível teria a idade e a aparência para ser um jovem e introspectivo gênio científico, que consegue lidar com os segredos do universo, mas que verdadeiramente não gosta de pessoas.

Susan Storm é linda, inteligente e independente. Ela ama Reed pelo que ele é por dentro e por fora. É a única pessoa que conseguiu o fazer se “derreter” e ver seu coração, não sua mente. Ela é decidida e meticulosa, sendo a emoção que falta a Reed, um pilar de sabedoria e empatia. Eu penso em uma atriz jovem, mas decidida, que possa mostrar inteligência e até malícia. Na época em que esse filme supostamente sairia, a minha escolha estará com seus 22 anos, a faixa etária ideal para essa personagem. Eu escolho Natalie Alyn Lind, que fez sucesso recentemente com sua participação no seriado Gotham, fazendo Silver St. Cloud.

Johnny Storm é adrenalina pura. Ele nunca foi tão inteligente, quanto o pai e a irmã, e por isso se tornou um aventureiro. Não gosta de pensar e agir é o seu forte. É muito impulsivo, mas não é idiota. Apenas impaciente e prevejo muitas cenas com piadas internas entre ele e o Capitão Evans: “Filho, sei como você se sente. Já estive no seu lugar!”. Para fazer o Tocha Humana, eu escalaria Cody Christian, de Pretty Little Liars e Teen Wolf. Primeiro pelo apelo juvenil, segundo por se parecer muito com o personagem mesmo.

Benjamim Grimm é uma fortaleza. Seguindo a sugestão do Ckreed, aqui caberia sim uma mudança de etnia. Primeiro, porque 90% do personagem vai ser CGI. Segundo, porque um Ben Grimm negro não teria problema algum. Ele seria o mais velho, fazendo o papel de guardião e protetor de Reed e companhia. Por sua postura austera e sua aparência física, um ator mais velho, na faixa dos trinta, seria necessário. Eu aposto que Stephan James ( de Selma: Uma luta pela liberdade e Quando o jogo está alto) poderia fazer esse lado paternal de Ben e, ao mesmo tempo, poder ser o cara que ataca, quando chega a “Hora do pau!”.

Para o Professor Franklin Storm, eu escolheria o atual 007,  Daniel Craig.

Para o vilão Owen Reece, ou Homem-Molecular, eu escolheria Johnny Wetson, de Divergente: Insurgente.

E, como de costume, teria as famosas cenas pós-créditos. Na primeira, seria mostrado Reed descobrindo as moléculas instáveis, ao investigar os poderes de Owen, e assim criando os uniformes do Quarteto.

Na segunda, seria descoberto que Owen sabotou o projeto Excelsior, a mando de um certo “doutor” de uma nação do leste europeu, um país que acabou de se recuperar de um processo de guerra civil e do caos indireto, causado pelo incidente em Sokovia, e elegeu seu novo líder supremo: Victor von Doom!

“Aqui, meu amigo… aqui tem magia!”

Participações especiais? Com a zona que a Marvel vai se tornar, depois de Guerra Infinita, fica difícil dizer quem vai participar ou não da Fase 4. Eu colocaria uma pequena ponta de Peter Parker/Tom Holland, como amigo de Johnny Storm e talvez do General Ross, que estaria interessado nos recursos do Instituto Baxter, para criar sua própria contramedida para os Vingadores: os Thunderbolts!

E é isso, Enxutos! Para complementar, eu colocaria uma atriz para interpretar também Alicia Masters, a namorada cega de Ben Grimm, e eu só pensei em uma pessoa: a modelo Violla Kika (porra Eunuco!), pouco conhecida no cinema, mas muuuuuito conhecida na Regra 13!

Essa com certeza sabe trabalhar com pedra!

Gostaram? Não gostaram? Fariam melhor? Só comentar aí embaixo!

E vou ali!

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1