Eventos grandiosos, que irão manter a chama do massaveio sempre acesa.

Olá, Enxut@s, que reviram e reciclam o lixo dos outros!

A DC Comics virá com uma saga do Batman, mas que englobará todo o Universo DC, e com uma minissérie, que colocará o Superman frente a frente com Dr. Manhattan. Vejam o que vem por aí:

BATMAN, COM SANGUE NA BOCA, FEITO UM MORCEGO DE VERDADE, E COM DOIS MACHADOS, SAINDO DE UMA EXPLOSÃO! TÁ PERFEITO PRO ZACK SNYDER LEVAR PRO CINEMA!

Em Dark Nights: Metal, o Universo DC é ameaçado pela misteriosa invasão de um Multiverso Sombrio e o metal enésimo dos thanagarianos (raça do Gavião Negro, que usa esse metal, com propriedades mágicas, para criar coisas diversas como ligas metálicas, que permitem às pessoas voarem ou se recuperarem de ferimentos) estará no centro da trama.

UM BATMAN GIGANTE É TUDO O QUE A DC PRECISA PARA ACABAR DE VEZ COM AS VENDAS DE HQ’S DA MARVEL!

Segundo o roteirista Scott Snyder, Dark Days já está sendo desenvolvida há anos por ele:

“Esse mistério vai até a época em que eu comecei a escrever Batman e teve easter eggs e dicas pelo caminho todos esses anos. Ele literalmente começa com o amanhecer da humanidade e passa por gerações de heróis e vilões, levando a revelações gigantes sobre o passado, o presente e o futuro da cosmologia da DC.”

Snyder revela ainda que, quando Batman resolve investigar a recente morte do Gavião Negro, isso abre as portas para Metal:

“Que se torna então um espetáculo todo da Liga da Justiça, em que todo mundo se dá conta de que o cosmo da DC é muito mais extenso, assustador e maravilhoso do que se pensava”.

A primeira imagem, do desenhista Greg Capullo para Dark Nights: Metal, traz armaduras para a Liga da Justiça, inspiradas nas arenas de gladiadores:

O AQUAMAN É TÃO FODA, QUE SÓ PRECISA DE UM GALHO PARA DERROTAR TODO MUNDO!

A primeira edição de Dark Nights: Metal chega em agosto. Antes disso, o terreno será preparado por dois especiais, Dark Days: The Forge e Dark Days: The Casting, que saem respectivamente em 14 de junho e 12 de julho.

NUMA TRETA, ENTRE SUPERMAN E DR. MANHATTAN, O BATMAN VENCE!

Doomsday Clock vai concluir a narrativa que Geoff Jonhs iniciou em DC Universe Rebirth #1 e que foi continuada em “The Button”, história que está rolando nos quadrinhos do Flash e Batman. A minissérie mostrará o confronto entre a esperança e otimismo do Superman com as ações cínicas de Dr. Manhattan no Universo DC.

Geoff Jonhs será o roteirista e ele disse ao Syfy Wire que:

“Nós não queríamos ver Dr. Manhattan, duelando com Superman, nas páginas de Action Comics, com todo o respeito. Essa HQ não é sobre isso, é algo diferente. É o projeto mais pessoal e mais épico, totalmente enlouquecedor no qual eu já trabalhei em minha carreira. Com o Renascimento, eu abri a porta para o Manhattan. Parte disso foi o amor que tenho pela influência que Watchmen tem no mundo real. Eu coloquei o Manhattan lá, e sempre pensei que havia uma história do Manhattan/Superman para ser contada, mas então… tudo cresceu. E cresceu. E dominou meu coração e alma. Ainda sim, no fundo da história, temos um ser, que perdeu sua humanidade e se distanciou disso, e um alien, que encarna a humanidade mais do que a maioria dos humanos. Eu amo a ideia de que Watchmen influenciou a DC, mas como seria o contrário disso? E vai além disso.”

Depois da entrevista de Johns, a DC soltou um comunicado em que diz que essa história já começará em um prólogo de quatro páginas em The Flash #22.

Com arte de Gary Frank, Doomsday Clock começa em novembro deste ano nos Estados Unidos e não terá nenhum derivado ou adicional. A história completa estará na minissérie, e não será necessário comprar outras HQs para entender tudo.

Quer dizer então que teremos um Universo DC todo trevoso, feito o Batman, após uma morte e usando armadura?! O Universo DC tradicional praticamente vai virar o de Injustice!

E esse confronto entre o Manhattan e o Super, mas sem porradaria, só pode ser isso:

DOOMSDAY COCK.