E parece que vão mesmo fazer outro lix… digo, filme baseado em uma canção do Legião

E parece que vão mesmo fazer outro lix… digo, filme baseado em uma canção do Legião

Putz, tem gente que não aprende.

Fui tomado completamente de desgosto surpresa hoje quando vi que a colunista Marina Caruso, de O Globo, divulgou quem são os escolhidos para serem os protagonistas de Eduardo e Mônica, filme baseado na canção composta por Renato Russo, em seus tempos de Trovador Solitário, gravada no álbum Dois, do grupo Legião Urbana.

Legião Urbana – ainda um quarteto – durante a turnê do disco Dois.

Gabriel Leone, ator global que participou de A Grande Família e, claro!, Malhação, e Alice BragaCidade de Deus (2002), Eu Sou a Lenda (I Am Legend, 2007), Os Novos Mutantes (The New Mutants, 2019), etc. – viverão o casal que, apesar de todas as diferenças (ele é um rapazote filhinho de família, ela uma acadêmica de medicina metida a esoterismo e gostos mais metidos à besta apurados em matéria de filmes, música e arte), se apaixonam ao ponto de todo mundo dizer “que ele completa ela / E vice-versa, que nem feijão com arroz”.

Gabriel Leone, 24 anos.

A dupla foi os primeiros candidatos aos papéis, mas terminaram saindo do projeto por conta dos sucessivos atrasos da produção, mas retornaram. A produção será da Gávea Filmes e Barry Company e a direção de Rene Sampaio, do horroroso Faroeste Caboclo (2013).

Alice Braga, 35 anos.

Expectativa zero pra esse filme. Não é segredo para ninguém que sou fã do Legião Urbana, do tipo que até hoje, todos os dias, ouve alguma música – ou disco inteiro – do grupo. Mesmo assim – ou talvez justamente por isso – chego a me sentir ofendido com a baixa qualidade geral dos projetos que envolveram o nome da banda no cinema, notadamente o já citado Faroeste Caboclo e Somos Tão Jovens (2013), uma absurda cinebiografia fictícia que tenta contar a origem do grupo de Brasília relatando a adolescência de Renato Manfredini Jr., o futuro Renato Russo. Ambos dividem roteiros pífios, atuações desastrosas e uma edição confusa. Difícil esperar algo diferente aqui, mesmo podendo dizer eu também escolheria a Alice Braga pro papel de Mônica!

Outro motivo pra baixa expectativa é que Eduardo e Mônica já rendeu um vídeo bem legal, um comercial da Vivo – descaradamente copiado de um da ATL, de 2001 – que captou bem a essência da canção, em 2011, graças em boa parte aos intérpretes Pedro Clemente e Taís Medeiros! Aliás, esse clipe rendeu uma boa quantidade de derivados – normalmente trabalhos acadêmicos – com variada qualidade, mas tendo alguns bem legais.

 

JJota

%d blogueiros gostam disto: