bannerGTA V

Olha só enxutos, semana retrassada o Infernuxo postou suas impressões sobre o game hype do momento: GTA V. Porém, nosso antigo servidor é parente do Dadá e, em acesso de fúria anal, socou todo nosso acervo naquele lugar (e ainda estamos em processo de resgate – Edu Aurrai, eu escolho você!!!). Pois bem, segue então as minhas más escritas impressões sobre o viciante jogo da fodástica Rockstar. Porém, uma ressalva primeiro. Óbvio que não terminei o jogo. Fiz coisa pra caramba (sério, muita mesmo) e só estou com 20% do jogo. Por isso as impressões são baseadas no que passei em Los Santos até agora. Dito isso, hey ho, let´s go:

Comecemos com gráficos: tecnicamente, não há muita diferença de Red Dead Redemption, irmão mais velho de GTA V. Uma diferença perceptível é no efeito de luz, principalmente na do sol que, sem brincadeira, beira o realismo. O raios solares contra a câmera, o reflexo na pintura dos veículos e os efeitos de luz e sombra nesse jogo estão simplesmente sensacionais. A textura do objetos também estão bem mais trabalhadas: preste atenção no asfalto (e em estradas em geral), nas casas, prédios, construções em geral e veículos, principalmente quando a diferença torna-se mais evidente quando Trevor entra na história.

A jogabilidade também foi refinada. A movimentação dos personagens é mais natural: correr, andar, caminhar e pular estão mais reais e suaves do que em RDR. No geral, executar ações em GTA V estão bem mais fáceis e dinâmicas: correr, esconder atrás de uma cobertura, atirar, trocar de cobertura e de armas estão bem melhores do que no antecessor da Rockstar.

Sobre a história, o estúdio inovou nesse jogo criando um roteiro que envolve três protagonistas jogáveis: Franklin, um low life ladrão de carros que sonha em ser alguém na vida, Michael, um famoso ladrão que atualmente vive com a família no programa de proteção à testemunha e Trevor, um porra louca socipata maluco do caralho. Até onde joguei, a história é muito bem desenvolvida e te faz querer cumprir as missões principais para seguir em frente.

Trevor, Franklin e Michael
Trevor, Franklin e Michael

Obviamente que o enredo dos três personagens se cruzam (ui) e a Rockstar criou um jeito muito maneiro para cambiar a participação deles em ações conjuntas. Fora isso, quando estão separados, você pode alternar entre os três a seu bel prazer. E cada personagem tem uma “vida própria”. Ele não fica simplesmente parada esperando você voltar a jogar com ele. Exemplo: você está com Franklin e acaba de cumprir uma missão qualquer. Volta pra casa, guarda seu carrão na garagem, salva o jogo e muda pro Michael. Joga com o personagem até cansar e resolve jogar de novo com Franklin. Quando isso acontece, o personagem está usando outra roupa e está saindo de um club de strip, bar ou algo que o valha. E isso acontece com todos eles. Até agora, foram raros os momentos que mudei de um personagem para outro e ele está em casa fazendo nada.

Fora os três, o quarto grande (e talvez o principal) personagem de GTA V é a cidade de Los Santos. É embasbacante o tamanho (ui) de LS e como ela é viva. Todo lugar que você vá tem algo acontecendo: gangues trocando tiro, policiais em perseguição, gente passeando na rua, trânsito, bares cheio de gente, batidas de carros, assaltos, etc. E as opções do que você pode fazer em LS são quase infinitas: desde correr na orla, passear de bike, jogar golfe, tênis, aprender a pilotar aviões, participar de rachas, ir clubs de strip, pegar prostitutas de esquina, sair para beber com amigos e / ou família… a lista é enorme (ui). E a constituição da cidade é muitíssimo bem feita: LS tem trânsito no centro da cidade, com engarrafamento, periferias, bairros elitistas, praias, bairros ocupados por gangues, etc. E cada local é muito bem contextualizado. Se você for comprar roupas em um bairro de classe média, você vai ter roupas de acordo com a realidade sócio-econômica do local. O mesmo vale para barbearias: o salão do bairro de Franklin te oferece x; cortar cabelo mais próximo ao centro te oferece y. Fora isso, você pode comprar propriedades, garagens para guardar seus carros e  levar os mesmos na LS Custons e modificar praticamente tudo no veículos. Fora que cada personagem pode investir seu dinheiro (ganho em assaltos, aplicando em ações, ajudando pedestres que foram roubados, etc) em empresas, pistas de pouso para aeronaves, companhia de táxi…

Resumo da ópera: jogo nota 10. Bem escrito, muito bem produzido e extremamente viciante. Ah, não quero / não gosto de cumprir as missões. Não tem problema. O leque de opções do que se fazer em Los Santos é gigantesco. Eu passo muito mais tempo fazendo coisas aleatórias do que cumprindo as missões da história principal.

Uma salva de palmas para a Rockstar, de pé e em frente ao pc. Esse é jogo do ano.

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1