Ou “De Kalistan, com Amor”.

E uma vez mais, a equipe mais inusitada da IDW retorna para tentar desvendar o mistério sobre o Talismã, agora indo de encontro com quem o pesquisou… Ou assim pensam.

Então, senta que lá vem história.

E como sempre a edição começa com um rápido recap da edição anterior e com o elenco mais o Striker da edição.

Elenco da edição e o Striker da vez.

A edição começa na capital de Kalistan, Mklavia numa narrativa em off de Kup.

Logo estamos no castelo do Conde Van Rani, vulgo Iron Klaw, o qual conversa com o Barão Ironblood sobre a missão dada a Tomax Paoli em São Francisco.

Iron Klaw então questiona o Barão sobre sua descrença quanto ao atual Comandante Cobra, e este apenas responde que sob seu comando O Cobra “perdeu sua mordida”.

O que faz Iron Klaw suspeitar de que ambos tiveram alguma história juntos dentro da organização. No qual termina alegando que sua organização, tomou o lugar do Cobra como grupo de dominação mundial.

Nesse momento atrás de Iron Klaw, aparecem os Predacons soltando o fogo apenas para impressionar o Barão, demonstrando que ele tem poder para tal feito… Mas sendo abruptamente interrompido por Krieger (agora cibernetizado), que avisa que Tomax requisitou transporte de volta ao castelo de Iron Klaw.

Regra #6 do Manual da Vilania – Impressione sempre.

Ironblood reclamando de já ter avisado sobre que tal coisa aconteceria, vai em direção ao laboratório recepcionar o comandante dos Cobras a contragosto; sem perceber uma figura entre as sombras que estava observando tudo, além de outra narração e off de Kup, sobre odiar missões de infiltração…

Metal Ninja 1 – Snake Stealth.

Do lado de fora do castelo, o grupo dos Revolucionários (como é conhecido pelos vilões), dirige-se até o local, e entre a ansiedade de entrar em combate de Kup e a falta de paciência da Mayday por causa disso, eles acabam por analisar as fotos de satélite para tentar descobrir quem eras os Cons com o Iron Klaw.

Kup logo se adianta afirmando que não só os conheciam, como foi ele que os treinou bem antes da Grande Guerra, e logo que ela eclodiu, se tornaram um grupo de operações especiais de Megatron.

Mas ao final da guerra, eles se aliaram a China, mas por um curto período de tempo, ficando fora do radar até agora.

De volta ao Castelo, Ironblood chega até aonde está o M.A.S.S. no momento em que Tomax está se materializando. Este questiona sobre o que ele estava vestindo e aonde estava Centurion (o BBB Steampunk).

Ele logo explica que houve “complicações” em sua estada em São Francisco, mas não deixou o ugar sem um presente, mostrando um desacordado Blackrock em sua forma cybertroniana, o qual deixa os dois satisfeitos para analisar a mente do filantropo.

FORÇA EXTREMA!!! Não, pera…

Do lado de fora, Mayday começa a contar sua história dos tempos de Joe e de como o grupo saiu das sombras logo após Tomax ser eleito líder da organização Cobra e a transforma-la num tipo de Organização Humanitária, deixando o passado de terrorismo de lado e declarando.

Isso tudo após o incidente em Nanzhao, do qual o Comandante Cobra antecessor Kakre devastou o país com uma ogiva nuclear.

Com isso, meio tempo depois, muitos Joes deixaram (ou foram expulsos) do grupo, como Duke e Big Ben, e começaram a trabalhar como mercenários.

Encontraram na nação de Kalistan, Isaac Craft, filho de Flack a Relações Públicas do Cobra na época, e quando este foi morto por Snake-Eyes, um agente infiltrado do Cobra nos Joes, ela jogou os podres da organização na grande mídia, o que foi a destruição dela ante a opinião mundial. Mas não acabando com aqueles que estavam envolvidos com ela, como Tomax Paoli.

Pecados passados que voltam a assombrar.

De volta ao castelo, Blackrock está sendo torturado, tem um sonho aonde ver sua forma humana além de sua forma cybertroniana, indo para caminhos diferentes, e entre as duas está Onyx Prime sobre o corpo de Sovereign, sua versão cybertroniana maligna.

Enquanto isso, Tomax questiona Krieger sobre um Talimã que este detinha, sendo que os revolucionários haviam tomado posse de outro, mas este apenas fala que após décadas estudando o tal objeto, conseguiu replica-lo.

O Barão então diz que o excesso de confiança foi a derrocada de Cobra, quando ouve um som vindo do teto, e quanto os 3 constatam que não estavam só. É quando descobrem Snake-eyes os espionando, e Krieger manda os Iron Grenadiers para cima dele.

Do lado de fora, Mayday diz que não consegue contatar Blackrock, apenas Snake-eyes, e esta decide invadir mesmo assim.

Kup então destrói o muro do castelo apenas para dá de cara com Predaking!

Jeito Wrecker de entrar…
…dando um pouco errado.

Dentro do castelo o trio de vilões observam o corpo cravado de balas de Snake-Eyes, Krieger então se vangloria por ter eliminado o ninja, apenas para corrigido por Ironblood além de avisa-lo sobre o excesso de confiança.

Krieger nem dá bola e continua a se vangloriar a Tomax, além de perguntar sobre os Protocolos do Projeto Homem de Gelo que ele deveria ter pego em São Francisco.

Ironblood chega perto do corpo do ninja, percebe que é apenas um robô e antes que pudesse avisar o cientista ciborgue, é alvejado por Tomax, que na verdade é o verdadeiro Snake-Eyes disfarçado do ex-lider do Cobra. Pegando suas espadas e fazendo aquilo no que é melhor: sair retalhando tudo pela frente.

Metal Ninja 2 – Snake’s Revenge.

Do lado de fora Kup e Action Man encaram o Predaking, enquanto Mayday diz que vai entrar para tentar ajudar a dupla, já que pelo que Kup disse, eles não poderiam ser um combiner, já que eles não se bicavam mesmo trabalhando juntos.

De volta ao interior do castelo, Snake-Eyes desconecta Blackrock do Talismã replicado, e diz que a conexão entre ele o artefato, o fez ter memórias até então esquecidas.

Afirmando que o Talismã fora criado por Onyx e enviado para a Terra junto com ele.

Blackrock volta a sua forma cybertroniana para ajudar o ninja, e é quando Mayday chega atualizando-os sobre as condições no lado de fora.

O headmaster então tenta hackear os computadores de Krieger, mas temendo que com isso pudesse voltar a sua “personalidade malvada”, apenas para ser interrompido por Snake-Eyes destruindo o computador e com isso desativando a conexão dos Predacons no lado de fora.

Com isso, os Predacons se separam ficando agonizando no chão. Action Man então decide invadir o castelo para achar seus amigos, mas é acertado com força por Razorclaw. Kup que estima muito o rapaz, parte para cima do líder dos Predacos e o fulmina, ficando aliviado ao perceber que o jovem agente estava bem, apesar de ferido.

O grupo dentro do castelo consegue chegar até o M.A.S.S. e ativa-lo, para surpresa de um Krieger carregando Ironblood, que apenas diz que foram enganados pelo truque mais velho do livro, mas avisa que as coordenadas inseridas na máquina foram de curta distância e que eles acabariam caindo da montanha aonde fica o castelo de Iron Klaw.

Dito e feito o trio prestes a se esborrachar no chão, é salva por Kup que os tira de lá em seu modo caminhão.

Blackrock diz que agora tem as informações de que precisam: De onde o Talismã veio e aonde está o verdadeiro Tomax.

De volta ao castelo, Iron Klaw ver o grupo se distanciando enquanto conversa com uma outra pessoa no mesmo quarto, quando Krieger e Ironblood chegam reportando a situação e os “sacrifício” calculados da operação.

Krieger alegando que os Revolucionários saberão do que se trata o Projeto Homem de Gelo, mas Ironblood o tranquiliza dizendo que ainda estão cheios de surpresa, terminado a edição com a Doutora X e Storm Shadow num deposito onde está congelado Optimus Prime Steampunk!

Optimus Prime Steampunk.

E como sempre o resultado final ficou muito bom, não ótimo, pois a quantidade de personagens para poucas páginas é enorme.

Além de reapresentar os antigos, a inserção desses velhos em versão atualizada é um trabalho bem pesado (ter que criar uma ‘cronologia’ para cada um sem tropeçar no que foi escrito pode parecer algo comum para o leitor, mas não para quem escreve).

Mas John Barber continua sabendo aonde pisar sem tocar em alguma mina.

A volta de Fico Ossio é bem-vinda, pois apesar de pouco falho em algumas cenas, dos quais ver-se apenas “esboços mal terminados”, as cenas de ação têm uma dinâmica boa.

Nota 08/10.

Quem é Quem.

A boa e velha trívia para as referências XD.

Predacons – Uma sub-facção dentro dos Decepticons nos quais se transformam em animais.

Originários da G1 animada, e constituída por Razorclaw, Divebomb, Headstrong, Rampage e Tantrum, além de se combinar no Predaking.

Predacons G1 – Mortos, mas não esquecidos, pois eles sempre voltam…

Com o relaunch na metade da década de 1990, ganhou status de facção. Na franquia Prime, voltaram a ser uma sub-facção dentro dos Decepticons.

Predacons e seu Megatrons sacanas.
Predacons Prime – Predaking Líder (e até final da serie, o único) dos Predacons.
Darksteel e Skylynx – Porque um não vende toys suficientes.

Na sua versão mais atual, continuam como um grupo de elite, só que foram treinados pelo Autobot Kup, não mais afiliados aos Decepticons logo após o fim da Grande Guerra. Vivendo na Terra sob as ordens atualmente de Iron Klaw.

Versão 3rd parties.

Snake-Eyes – Ninja Comando pertencentes a franquia G.I. Joe. Lançado na 1st Wave da coleção em 1982 dos toys, logo depois da crise do petróleo de 1970, quando a Hasbro decidiu diminuir o tamanho dos Joes, de 30 cm (12”) para 10cm (3 ¾”), e assim economizar no plástico.

No Brasil, quando lançados em 1984, com o nome de Comandos em Ação, mas diferente dos EUA, aqui não foram lançaram todas os figures da Wave, apenas 6 contra os 16 da terra do tio Sam. E nisso mudando o lado do ninja, renomeando para O Invasor.

A 1st Wave que todo brasileiro queria…
…e a que ganhamos. Triste saber disso só depois de alguns anos.

Sua versão mais atual, vive agindo como um “agente duplo” tanto nos Joes quanto no COBRA, quando ambos ainda estavam na ativa.

The Real American Ninja!

Iron Granadiers – Lançado na 7th Wave dos toys em 1988, são o exército pessoal de Destro “Dourado” (versão 2 do vilão).

As múltiplas facetas de um toy maneiro (eu tive um sem os polegares).
Destro que alcançou o Sétimo Sentido.

No Brasil, pela linha Comandos em Ação se tornaram membros da Força Destro sendo chamados de Piloto do D.E.M.O.N., um tanque gigante.

Versão americana.
Versão brasileira.

Na versão atual, eles aparecem a serviço de Iron Klaw para enfrentar os revolucionários.

Dando a entender que a figura com a qual o vilão conversa seja Destro.

Atualizada com estilo, ou relançar as versões de 2012.

Headmaster – Surgidos em 1987, na última temporada da G1 animada, e depois nos quadrinhos da Marvel. Headmaster é a tecnologia usada em transformers, humanos ou similares, modificados que se transformam em cabeças para se encaixarem em corpos maiores.

Headmasters no desenho da G1.
E sua versão nos quadrinhos.
Bichinhos piruletas (sério, tem que saber pular bem, para chegar até ali em cima…).

De vez em outra a ideia volta a ser usada em diversas mídias, como no caso do Cogman e Nitro do recente TF5: The Last Knight

Na encarnação atual dos quadrinhos, os Headmasters foram uma antiga facção que lutou na Primeira Guerra Civil Cybertroniana (não confundir com a Grande Guerra que aconteceu entre os Autobots e Decepticons.).

Regra igual a matar zumbis: atirar na cabeça.

Após isso a tecnologia foi usada por Skorponok tanto no planeta Nebulon quanto na Terra.

Hunter O’nion e o triste destino em ter amigos Autobots…

Atualmente, alguns da facção sobreviveram e agora estão de volta para se vingarem das outras facções, como Sentinel Prime.

Sentinel Prime, um dos Headmastes originais.

Optimus Prime Steampunk – Oriundo do cenário Hearts of Steel como o Centurion. Enfrentou desde os Decepticons nas guerras bestiais, antes de entrar no modo de hibernação como o restante dos Autobots.

Despertando durante a revolução industrial americana para enfrentar os Mythos, que tentavam conquistar a humanidade.

Seu paradeiro até então ficou desconhecido, até agora.

As Guerras Bestiais da IDW.
Pela humanidade, contra os Mythos.

QUER ESCREVER TAMBÉM PARA O BDE? CAPRICHE NAS IMAGENS, DEIXE A LUÇ DE DADÁ GUIAR SEUS DEDINHOS E MANDE TUDO PARA OBAILEDOSENXUTOS@GMAIL.COM.

  • starscream2

    Só não entendi direito qual é a do Snake Eyes, Anubis. Um agente duplo normalmente tem os seus próprios interesses. Qual é a dele, afinal?

    • Anubis_Necromancer

      Ninguém sabe.
      Nem quem escreve deve saber.
      O cara é um Deadpool silencioso. Faz o que der na telha dele.

      • starscream2

        Acho o Snake supervalorizado, como o Wolverine, nos X-Men. Ele pode ser um agente útil, pelas suas capacidades (assim como os outros Joes), mas retratá-lo como overpower sempre é um saco.

        • Anubis_Necromancer

          Ele chegou a quase morrer durante o run do volume 1.
          Mas conseguiu sair vivo e fisicamente estável, mas não espiritualmente.
          Tanto que ele passa uns tempos para se recuperar com um velho mestre quitandeiro.

  • Eduardo

    – A Estrela nunca aceitou/entendeu o Snake Eyes como “mocinho” da historia:

    http://www.yojoe.com/action/int/br-invasor.shtml

    http://www.yojoe.com/action/int/cobradeaco.shtml

    http://www.yojoe.com/action/85/snakeeyes2.shtml

    (A quem interessar possa: NÃO EXISTE Cobra de Aço, é o Snake Eyes pintado, exclusivo do Brasil. Vale até 500 rodrigomaias no Mercado Livre. A Hasbro caiu na conversa e fez um “pratinha” numa edição especial Special Missions: Brazil. Nego pede 1000 rodrigomaias mínimo.)

    http://news.hisstank.com/wp-content/uploads/sites/8/2010/12/JoeCon-2011-Cobra-De-Aco-Steel-Cobra_1293742178.jpg

    – Uma questão para os especialistas Enxutos aqui presentes: os genéricos dos Transformers que saíram no Brasil (Mutantes, da Glasslite, e Convert, da Troll) também fazem parte do “cânon” ou são só “piratex” mesmo?

    – Esses Headmasters me lembraram os Centurions (“Força Extrema!”).

    • starscream2

      Gobots são a primeira franquia de robôs que se transformam e foram lançados por aqui pela Mimo e Glasslite. Não são piratas, até porque vieram primeiro. A Takara e a Hasbro reciclaram as linhas Diaclone e Micromen para criar os Transformers depois.

      • Eduardo

        Valeu pela informação.
        Eu tinha vários deles (Gobots, os nossos Convert e Mutantes), até mais que os Transformers (que eram mais caros e, pensando bem, mais toscos). Mas eu sempre fui mais ligado nos Joes.
        E se eu soubesse que o Gobots ônibus era o mais raro de todos… eu tinha dois dele!

    • Anubis_Necromancer

      Acredito que deve ser mais por causa da cor negra.
      Já que ainda estavamos naquela de “lado negro da Força” com o Darth Vader.
      Dai a cor azul não teria uma aceitação tão boa assim para justificar os vilões.
      Interessante que mesmo com o desenho isso nunca mudou…
      E o bom e velho “Cobra Comandante Negro” XD
      https://c1.staticflickr.com/1/105/366324712_1b60ccc2af.jpg
      O que esse pessoal da Estrela tinha na cabeça^^

  • Edalmir Biscaia Das Neto

    Manda mais, Chthulu contra o Lider Optmus é bom demais!

  • Pedreira Guilliman

    por mais que as HQ’s de TF estejam meio Tumbrizadas

    elas estão valendo a pena pelo casal bundy

    Starscream e Windblade

  • Frogwalken
  • Pedreira Guilliman

    NUNCA MAIS NUNCA haverá um megatron tao foda quanto o do BW/BM

    o filho da puta conquistou tudo, e perdeu apenas na base do Matrix Ex machina

    • Frogwalken

      O único problema é o Rattrap que era foda em BW e ficou meio bosta em BM

      • Pedreira Guilliman

        por que a mainframe quis puxar o conceito original dele no BW

  • Frogwalken

    Autobots contra a Mythos e Oliver Queen contra a Salvat ( RÁ! )

    Resenha maneira Anubus, gostei da aparição do Snake Eyes agora só falta uma Lady Jaye aí =D

  • O_Comentarista

    Continua um puta puteiro do caralho essa história.

    Mas pelo menos o Anubis explica quem é quem no final.

  • Melhor que ler Marvel…

    • Eduardo

      Pois é… até a IDW já tá fazendo clássicos e sagas interessantes…