Matinê dos Enxutos: Justiceiro Segunda Temporada

0
225

Perdoai-vos, pois eles não sabem o que fazem…

Salve, salve, cambada de Enxutos e Enxutetes com porte e posse de armas. Após me degladiar muito e ser perserverante, consegui assistir até o fim a segunda temporada do Justiceiro pela Netflix. E pelo início da nossa prosa, você, caro leitor, já pode advir o que está a caminho…. Sigam-me os bons.

Eu que grito com este cara chato…

Como de praxe, o resumão com alguns spoilers, o que na prática poderá não ser tão ruim assim. Após os eventos da última temporada, Castle assume o nome de Pete Castiglione e tenta levar uma vida `comum`. Chega a se envolver com uma mulher, mas tudo muda quando acaba ajudando uma jovem de ser capturada, resultando em uma matança e a volta do Justiceiro à ativa. A partir daí a trama se desenvolve com duas vertentes. A primeira onde vemos Billy Russo (Retalho, que nunca usa o nome), sua recuperação com perda de memória, a ajuda de uma psicóloga e como este processo todo recai sobre Castle. Ah, sim, Madani, a pior policial do mundo, está de volta cometendo novos erros e com `redenção` final que não é redenção.

A psicóloga é a do meio. Não escrevi a respeito dela, mas tem papel de destaque por seu envolvimento com o Billy. Tem suas motivações… e é… sei lá. Talvez pelo Retalho ser tão ruim, acabei não dando atenção, além de possuir cenas muito chatas com debates psicológicos …

A segunda, e menos explorada, apresenta o porquê da jovem estar sendo perseguida. Na verdade seu nome é Jennifer e conheci no Tinder Amy, uma trambiqueira que, junto com amigos, tenta chantagear a família de um senador. O tal representante do povo é gay e possui fotos comprometedoras. Seus pais, sem conhecimento do filho, são religiosos poderosos que armam para torná-lo presidente da trumplândia e não podem permitir esta mancha no seu legado. Daí fazem uso dos serviços de John Pilgrim (não o Scott), um cabra da congregação, mas com um passado misterioso. A princípio, parece fazer as coisas em nome da religião, mas aos poucos vamos descobrindo que na verdade os pais do mau manu estão usando sua família para `obrigá-lo` a fazer o serviço sujo (em linhas gerais, esposa em estado terminal, ajuda financeira para o tratamento e cuidados para os dois filhos do casal). Mais spoilers? Deixa para ao longo da análise…

E eu com isso? Well, comecemos a la Jack, por partes e pelos atores. Como a lista é grande, ficarei só nos protagonistas. Amy / Giorgia Whigham é a Xovem dexxcolada e leva seu papel sem muitos problemas. John Pilgrim / Josh Stewart é um baita vilão desperdiçado. O cabra não é bi-dimensional, tem tempo de tela, o ator segura as pontas e convence. Madani / Amber Rose é… é…. uma coisa. O papel não ajuda e a atriz, apesar de uma beleza diferente, também não, mas ainda sim não é o pior. O pior mesmo é Ben Barnes / Billy. Com a preocupação do roteiro em dar `profundidade` ao personagem, o ator não segura as pontas. Ok, o roteiro não ajuda, entretanto, ainda sim, as caras e bocas, o seu `sentimento` e confusão do vilão ficam comprometidos ainda mais. De fato, parece ter sido exigido mais do que o ator pode entregar. Punisheiro /Jon Bernthal  entrega o que se espera. Não empolga, mas não compromete. Fica evidente seu esforço e como gosta do papel, entretanto novamente não deu sorte com esta nova encarnação do personagem. Demais atores: sem grandes destaques. O amigo afro ex-militar faz o papel de micro e consegue entregar bem a proposta, sendo o mais relevante. O resto é o resto, inclusive a participação da `amada` Karen Page….

Participação especial….. noooooooooo

Quanto ao roteiro…. erraram de novo. Tanto potencial desperdiçado! O drama psicológico do Retalho é um pé no saco de tão arrastado. Nem vou entrar no mérito das cicatrizes que quase não aparecem, mas na proposta em si. São loooooongos diálogos com a psicóloga… e o pior: no fim Billy não se lembra do que fizera à família do Castle e ainda sim, tenta matar o `amigo` , porque… porque… porque… ora, PORQUE SIM! Afinal, se Frank o deformou por ter matado a sua família, mesmo que esta fosse sua também, ele merece morrer. E a Madani? Mais uma vez sua principal atribuição foi errar. Ela quem entrega todo o serviço para a psicóloga (que ao final se APAIXONA pelo Billy por querer salvá-lo) e quase faz Castle perder a vida. A sua redenção final foi ter dado três tiros no Billy, não matá-lo, e quase morrer de novo por suas mãos. Uma das piores personagens policiais de todos os tempos e, de mãos dadas ao Russo nesta temporada, a pior dupla de apoio para qualquer protagonista.

A segunda trama deveria empolgar mais, no entanto serve apenas como escada para deixar Frank com a menina e `humanizá-lo`. Pilgrim parece um vilão sinistro, mas é subaproveitado. Fica sempre naquela de ser `o mauzão que está por vir e é imparável`. O fim deste arco é até melhor, pois há ao menos uma cena de luta interessante com o Punisheiro, melhor até do que com o Retalho. Como ficou muito tempo como uma ameaça que nunca chega, ao fim já estava quase desistindo da série…

`Scott` Pilgrim, desperdício

Por fim, a curiosidade mórbida foi maior, até mesmo para saber como juntariam estas duas tramas. Claro que não juntam, o elo é apenas Castle e a garota. Poderiam tranquilamente ser dois arcos totalmente separados que não fariam a menor diferença. Castle mata Billy de forma seca (talvez uma das melhores cenas) e Pilgrim fica com a família, ajudado pelo anti-herói. Considerando tudo, poderia ter sido uma temporada com 6-7 episódios, especialmente se retirar o monte de conversas psicológicas do Billy chorão e do Justiceiro humanizado. Nada contra este último, pelo contrário. Faz sentido para tornar o personagem mais próximo da realidade, entretanto os looooongos diálogos não ajudam, só atrapalham.

Não foi desta vez mais uma vez…

Texto com muitas letrinhas para escrever o seguinte: um pena. Perderam mais uma oportunidade. O que deveria ser um dos personagens mais fáceis de se fazer uma série televisiva se perde. Tem seus bons momentos quando aposta na ação, contexto dos militares pós-guerra… agora a contextualização psicológica é um desastre. A Madani é um desastre. Billy é um saco sem fundo de chatice. Infelizmente não vale seu tempo, assim como eu perdi o meu.

Nota 4 de 10

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1