Matinê dos Enxutos: Titãs da Netflix

0
293

A despeito de minha descrença inicial…

Salve, salve, cambada de Enxutos e Enxutetes que gostariam de ser o Robin de algum Batman. Com férias produtivas, consegui terminar a série Titãs da Netflix e brindo-os (ou não) com as minhas impressões. Sigam-me os bons.

A sinopse mais VA-GA-BUN-DA que descobri `oficial`foi esta: Titãs acompanha jovens heróis de todo o Universo DC assim que atingem a maioridade em uma abordagem mais enérgica sobre a clássica franquia dos Jovens Titãs. Dick Grayson e Rachel Roth, uma jovem especial possuída por uma estranha escuridão, se envolvem em uma conspiração que pode trazer o inferno à Terra. Juntando-se a eles estão a temperamental Estelar e o adorável Mutano. Juntos, eles se tornam uma família e uma equipe de heróis.

Adicionando mais tempero sem entregar muitos spoilers, apesar da Ravena, o principal foco é a relação mal acabada entre Dick e Bruce, eminência parda ao longo da série, e como o ex-Robin lida com esta situação. Por conta disso é que acaba ajudando a jovem e se alia aos outros dois. Por sinal, há participação de Rapina e Columba em alguns episódios, com ganchos para sua efetivação na próxima temporada, além de Donna Troy e Trigon, claro.

Dawn…. uma BOA atriz…

Como são muitos atores, e mantendo a tradição de a la Jack, focarei somente no quarteto principal, sem muitas delongas. Mutano (que não usa esse nome, só o civil Garfield) / Ryan Potter entrega o que se espera, o camarada engraçado e boa praça, sem muito mais a dizer. Estelar (idem ao anterior, Kory Anders apenas) / Anna Diop, apesar da polêmica visual de seu uniforme, ao qual escrevo adiante, convence com a desmemoriada heroína badass e empoderada. Ravena (bi-idem, Rachel Roth) / Teagan Croft tem mais nuances da personagem e, talvez por conta disso, tenha algumas dificuldades em algumas cenas. Nada que comprometa, mas em linhas gerais segura bem o papel. Dick Grayson / Robin (esse usa o nome!) / Brenton Thwaites é o cara que tem mais tempo em tela e protagonista. Possui um papel difícil por encarnar o mais icônico destes personagens e precisar sair da sombra do Batman, mesmo na série, afinal há uma aparição do Homem Morcego e ele é, como escrito anteriormente, a eminência parda em quase todos os episódios onde Dick é o protagonista. O ator tem suas limitações evidentes, entretanto o personagem caiu bem, quase como uma luva. Ele tem cara de `Robin` e suas dúvidas / hesitações parecem críveis. Não é digno de um Norrin Rad dourado, mas dá para o gasto.

Calma JJ…

E eu com isso? Well, o roteiro apresenta temas mais sombrios e sanguinários do que qualquer uma das séries habituais da DC / Warner mais famosas (Arrow, Flash, Supergirl e por aí vai). Por ser um tema mais `adulto`, há algumas falhas que não passam despercebidas mesmo em um primeira passada de olhos, especialmente no episódio do Manicômio onde o vilão ora está preso e ora é solto milagrosamente, tendo em vista que estaria em um dos esconderijos seguros do Batman. Entretanto e apesar disso, não compromete o todo.

Buscando uma identidade própria e com várias tramas entrelaçadas, mesmo a tradicional `barriga` da Netflix tem seu propósito, o enredo te prende. Usa de forma nada sutil o universo da DC, especialmente o Batman, deixando algumas perguntas sem resposta ao longo do caminho, justamente para fechar em um clímax ainda mais aberto para a segunda temporada. O último episódio, claramente algo alternativo, é muito bom e interessante. Os personagens possuem `camadas` e todos tem seu lado sombrio, mesmo o `cordial` Garfield, tendo algum tempo de tela para desenvolver e apresentar ao espectador.

Hehehuaheuaehuae … mas tem sentido na série.

O principal ponto fraco que seriam os uniformes, especialmente da Estelar, acabam funcionando. O jogo de cores sombrios não deixa o exotismo aparecer em demasia e o carnaval dos quadrinhos é levado para a tela com algum respeito e funcional, por mais incrível que pareça. Continua estranho, óbvio, mas não tanto quanto aparentava nas imagens soltas clicadas durante as filmagens. Até mesmo os efeitos visuais são honestos, considerando que é apenas uma série de TV.

Ele aparece… não em todo o seu esplendor, mas aparece,,,

Enfim, surpreendentemente bom. A DC apostou em um caminho diferente do seu habitual nas séries, alinhando mais com sua visão mais sombria dos filmes. Interessante, considerando que os filmes seguem um caminho diverso, considerando Aquamomoa e Mulher Maravilha bem mais light que vinha sendo o habitual. Por sinal, foi o que a Marvel tentou fazer com suas séries na Netflix sendo estas mais realistas do que os filmes. Independente disso, creio que a Warner / DC tem vasto material na mão para apostar nos mais diversos públicos, respeitando os fãs, sejam os mais darks ou lights. Para este caso, conseguiu e espero que ache seu norte a partir de agora….

Nota 8 de 10

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1