Jaume Collet-Serra é o novo favorito para assumir a direção da sequência.

Nosso “correspondente”, o Hollywood Reporter, cravou que Mel Gibson desistiu de dirigir a sequência de Esquadrão Suicida (Suicide Squad, 2016). Gibson agitou o mercado nas últimas semanas ao se declarar “bastante interessado” em comandar um filme com os super-vilões que trampam à serviço do governo dos EUA.

“Estou me preparando para Game of Thrones…”

No entanto, segundo boatos, a Warner rejeitou o primeiro roteiro de Adam Cozad (que escreveu o mais recente filme com o Tarzan), levando tudo de volta à estaca zero. Paralelamente, Zak Penn – que já tem uma certa tarimba em escrever filmes com super-equipes, tipo Vingadores e X-Men – estaria desenvolvendo outro argumento,que pode ou não ser aproveitado. Sem uma data para início da produção ou sequer uma previsão de lançamento, Mel preferiu partir em busca de outro projeto.

“Tá mais fácil escolherem – outro! – diretor pro filme do Flash…”

Desta forma, Jaume Collet-Serra, uma espécie de “segundo favorito”, pode ter vencido a disputa. Ele é conhecido principalmente por sua parceria com o ator Liam Neeson, o Ra’s al Ghul de Batman Begins (2005). Um empecilho pode ser o envolvimento do diretor com o drama televisivo Waco.

O espanhol Jaume dirigiu filmes de terror, como Casa de Cera (House of Wax, 2005) e A Órfã (Orphan, 2009), e de ação, como Desconhecido (Unknown, 2011) e Noite Sem Fim (Run All Night, 2015), ambos com Liam Neeson.

Bom, Gibson voltou às paradas com Até o Último Homem (Hacksaw Ridge, 2016) e, provavelmente, agora propostas não devem estar faltando. Claro que a forma bagunçada com que a Warner vem tratando a sequência não ajuda. Este lance de dois roteiristas trabalhando de forma independente me cheira a um terceiro sujeito depois aproveitando pedaços do trabalho de cada um, juntando as suas ideias e montando mais um filme confuso.

“Bom,eu já tenho outro trabalho garantido!”

Por outro lado, eu não vejo de forma negativa a saída do Gibson dos planos. Gosto do trabalho dele, mas não acho que ele tivesse a menor ideia do que é o Esquadrão Suicida. Assim, seria muito grande a chance de sair algo como Lanterna Verde (Green Lantern, 2011), que trouxe um cineasta – Martin Campbell, de Cassino Royale (Casino Royale, 2006) – competente, mas que não sabia absolutamente nada da mitologia que cercava o personagem e, por isso, fez um filme que não decola em momento algum justamente por não ter rumo.

Pelo menos rendeu uma boa piada em Deadpool

Espero que acertem logo com alguém, fugindo deste desnecessário desgaste, que alimenta fofocas. Ora, quem sabe o Jared Leto aceita comandar a bagaça?

“No, please!”