vertigo

Coleção da Vertigo da Ed. Abril

E, sentando em um pub qualquer, eu olho para frente e vejo um sujeito usando um sobretudo e bebendo um pint de cerveja. Ele olha para mim e pisca um olho enquanto sua boca se abre em um sorriso.

Alan Moore

Na década de 90, eu e minha família residíamos na cidade de Franca, localizada no interior paulista. Minha mãe estava às vias de se aposentar e meu pai obtinha renda através de uma banca de jornal. Nesse época, eu lia absolutamente tudo de quadrinhos que conseguia colocar minhas mãos. A internet era um sonho distante, scans nem pensavam em existir e, por morar em uma cidade do interior do estado, estava a mercê da maldita distribuição da Dinap. Quem reclama da distribuição setorizada hoje não fazia ideia de como era o trabalho da Dinap.

Enfim, o mercado de HQs era dominado pela Editora Abril e seus famigerados formatinhos. Eu consumia TUDO que chegava em Franca e isso se resumia basicamente a Marvel e DC. Porém, vez ou outra eu encontrava em sebos algumas edições de HQs diferentes publicada pelo Globo ou por editoras menores. Eu ficava maluco quando encontrava algum gibi em formato americano ou magazine. Porém, por volta de 1994, começou a aparecer uma propaganda peculiar nas revistada Marvel / DC da Abril.

Um homem com um zíper na cabeça. O mesmo abria o zíper e serpentes ameaçadoras saíam de sua mente. Vertigo: Para leitores adultos ou alguma coisa assim dizia a propaganda. Formatão, histórias de terror fodaspracarai diziam meus colegas que foram afortunados o bastante para colocar suas juvenis mãos em um exemplar. Aquilo me deixava maluco e eu sepava obsessivamente uma parte do meu salário para comprar essa revista. Mas, só tinha um problema: SAPORRA NÃO ERA DISTRIBUÍDA PARA A CIDADE QUE EU MORAVA. Meu pai viaja à São Paulo a trabalho poucas vezes, não tinha como comprar pela internet (interhã?) e solicitar através da distribuidora era tão burocrático que era mais fácil eu ir a pé para a capital.

Mas, sei lá porque cargas d’água, um dia qualquer, em um carregamento de revistas qualquer, aparece, do nada, Vertigo n°05. Acho que enchi tanto o saco do meu pai e ele, por sua vez, encheu tanto o saco da distribuidora (não sei se foi isso que aconteceu, não lembro muito bem) só sei que meu Santo Graal da época apareceu em na minha frente.

(Forçando um pouco a memória, eu me lembro que a distribuição era tão aleatória para certas publicações que vira e mexe aparecia números soltos de algumas revistas. Foi assim que consegui minhas primeiras Heavy Metal, Druuna, Ranxerox, etc. Segue o baile).

Pulei na prateleira e agarrei a HQ. Aquela capa maravilhosa (que, penso eu, é obra de Dave McKean), aqueles dizeres Edição Especial com Hellblazer, o homem que desafia o demônio, aquele título vermelho VERTIGO… foi amor a primeira vista. Foi com essa edição que entrei em contato com John Constantine pela primeira vez e que me vez entrar de cabeça em um mundo cheio de sangue, seres infernais, acordos macabros e finais nem um pouco felizes, onde as pessoas pagavam pelos seus pecados e nem sempre o super herói colorido ganhava no final.

A edição continha três histórias do mago inglês, duas escritas pelo fantástico Garth Ennis e uma de autoria de Jamie Delano:

  • O Senhor da Dança: Garth Ennis / Steve Dillon, é uma história OK e nada demais. Constantine se encontra com um ancestral deus pagão na véspera do Natal.
  • Newcastle: Jamie Delano / Richard Piers Rayner e Mark Buckingham: a maldita noite em Newcastle onde tudo da merda e que assombrou Constantine durante o resto de sua existência. Já disse isso aqui uma vez: respeito Jamie Delano por tudo que criou em Hellblazer e acho algumas de suas ideias sensacionais mas a forma como ele desenvolve seu roteiro é por demais sacal. Céu cinzento sangrando amargura num vento azedado pelo odor de ferrugem. Como um velho elefante, estou de volta ao lugar de morrer. Porra, haja paciência.
  • A Confissão: Garth Ennis / Steve Dillon. De longe, uma das minhas histórias preferidas de toda a cronologia de Hellblazer. John reencontra um velho padre que tentou abusar sexualmente dele na adolescência. Por fim, ele descobre que o sacerdote passou anos no manicômio ouvindo diariamente a confissão dos pecados de Lúcifer.

A Confissão me deixou embasbacado. Li, reli e ainda releio essa história por vários anos e ela continua sendo perturbadora como a primeira vez.

Nos meses seguintes, as outras edições começaram a aparecer na banca do meu pai, assim como as 4 primeiras. Infelizmente, a publicação morreu no número 12 e eu passei um bom tempo órfão de histórias do velho mago assim como de algo fora dos colantes coloridos. Mas, por fim, consegui outros meios de adquirir mais coisas do selo Vertigo mas isso fica para a próxima.

  • Pingback: Top 5 hqs mensais que valem a pena a compra - Baile dos Enxutos()

  • Renan

    História bacana e acho que já foi mais difícil ser colecionador de revistas, não que hoje tudo seja uma maravilha. É legal procurar em sebos, de vez em quando aparecem edições raras totalmente jogadas nos cantos. É quase como achar $$ no meio da rua.

    E pelos comentários, poderiam fazer um post sobre colecionismo e dicas para conservar revistas.

    • Valeu e sugestão anotada. Já tava afim de escrever algo sobre isso mesmo.

  • Canoa Furada

    História bacana e acho que já foi mais difícil ser colecionador de revistas, não que hoje tudo seja uma maravilha. É legal procurar em sebos, de vez em quando aparecem edições raras totalmente jogadas nos cantos. É quase como achar $$ no meio da rua.

    E pelos comentários, poderiam fazer um post sobre colecionismo e dicas para conservar revistas.

    • Valeu e sugestão anotada. Já tava afim de escrever algo sobre isso mesmo.

  • O pão do céu

    Que grande texto, cara! Parabéns pela coleção!

  • O pão do céu

    Que grande texto, cara! Parabéns pela coleção!

  • Robin Hood

    Grande texto, Sorg. Também passei por tudo isso que você falou. Mas naquela época, esse trabalhão que a gente tinha pra conseguir alguma coisa valia a pena, pois as histórias eram de primeira. Hoje, dependendo do personagem, até pra baixar de graça na internet já acho que dá muito trabalho e sai caro 🙂

  • Robin Hood

    Grande texto, Sorg. Também passei por tudo isso que você falou. Mas naquela época, esse trabalhão que a gente tinha pra conseguir alguma coisa valia a pena, pois as histórias eram de primeira. Hoje, dependendo do personagem, até pra baixar de graça na internet já acho que dá muito trabalho e sai caro 🙂

  • Marko

    Pensar que eu peguei essa época, do desespero de não saber se vai conseguir ler o desfecho do arco, ou como ele começava…..de caçar em sebos, revistas que tu não sabia se prestavam e as vezes acaba comprando gato por lebre ou achava raridades (não tinha nenhuma fonte pra saber o que era bom).
    Quanto ao Jaime Delano, eu adoro o jeito como ele escreve (E pelo que parece, sou um dos únicos fãs do jeito que o Cris Claremont escreve também), pra mim, “O” John Constantine é o dele, além dele conseguir dar todo um background e profundidade ao personagem (foi o que melhor soube retratar e abordar o período turbulento que a inglaterra passava).

  • Bizarro

    Pensar que eu peguei essa época, do desespero de não saber se vai conseguir ler o desfecho do arco, ou como ele começava…..de caçar em sebos, revistas que tu não sabia se prestavam e as vezes acaba comprando gato por lebre ou achava raridades (não tinha nenhuma fonte pra saber o que era bom).
    Quanto ao Jaime Delano, eu adoro o jeito como ele escreve (E pelo que parece, sou um dos únicos fãs do jeito que o Cris Claremont escreve também), pra mim, “O” John Constantine é o dele, além dele conseguir dar todo um background e profundidade ao personagem (foi o que melhor soube retratar e abordar o período turbulento que a inglaterra passava).

  • Boa matéria. Sabe, eu acho também que hoje em dia estamos melhores servidos por que há mais de uma editora publicando coisas. É claro que nem todas publicam coisas boas, com preços justos ou com um bom material utilizado na impressão. Eu sou da época dos formatinhos e sabe, naquela época existia praticamente o monópoliio da Editora Abril… então, eles publicavam o que queriam, como queriam e destribariam a revista do jeito que queriam. Ainda me lembro quando a Globo começou à publicar quadrinhos, mini-séries e
    Graphic novels com qualidade o rebuliço que causou na época e que a Editora Abril ficou mordidíssima com essa porra.

  • Boa matéria. Sabe, eu acho também que hoje em dia estamos melhores servidos por que há mais de uma editora publicando coisas. É claro que nem todas publicam coisas boas, com preços justos ou com um bom material utilizado na impressão. Eu sou da época dos formatinhos e sabe, naquela época existia praticamente o monópoliio da Editora Abril… então, eles publicavam o que queriam, como queriam e destribariam as revistas do jeito que queriam. Ainda me lembro quando a Globo começou à publicar quadrinhos, mini-séries e Graphic novels com qualidade o rebuliço que causou na época e que a Editora Abril ficou mordidíssima com essa porra. Tanto que entrou na Justiça para reaver os direitos de certos títulos (no caso a Revista Marvel Force que publicava histórias do Excalibur, Motoqueiro Fantasma, Novos Guerreiros e Cavaleiro da Lua – entre outras). Depois,surgiram outras editoras e a gente teve variedade de material… mas muitas não sobreviveram ou não deram continuidade aos títulos que publicavam. Hoje as coisas estão melhores e a Panini no geral faz um bom trabalho… mas eu sinto falta de outra editora investindo pesado em quadrinhos. Quer ver uma coisa que me deixa puto até hoje??? Ninguém ter lançado a revista Lúcifer (Foda pracaraio)… lançaram umas duas mini séries eu acho (que englobava os primeiros números da revista mensal e mais uma ou outra história). Esta revista teve 75 edições eu acho e por aqui, passou batido.

  • Foda! Deu vontade de fuçar nos meus gibis aqui e fazer aquele podcast que havíamos comentado com o Abreu…

  • Foda! Deu vontade de fuçar nos meus gibis aqui e fazer aquele podcast que havíamos comentado com o Abreu…

  • Rafael
    • Pqp, qual o sentido disso? Deixar o pau chapado?
      kkkkkkkkkkk

      • Rafael

        sei lá cara, mas é por isso que está endereçado ao Majjin, ele é o especialista.

  • Rafael
    • Pqp, qual o sentido disso? Deixar o pau chapado?
      kkkkkkkkkkk

      • Rafael

        sei lá cara, mas é por isso que está endereçado ao Majjin, ele é o especialista.

  • Tudo envelopadinho, que amor por essas revistas cara.
    Parabéns Sorg.

    • JJota

      Poxa, tudo meu é guardado em plástico.

      Sério, até AvX tá ensacado.

      • Invejo vocês por esse zelo que tem com suas HQs, eu simplesmente deixo-as na estante perfiladas, tudo bem que não tenho algo exuberante pra se mostrar, mais e bonito de se ver.

        • JJota

          Cara, eu já vi o que desleixo pode fazer com suas revistas. Aprendi da pior forma. Ah, e minha coleção é guardada em armários de aço trancados a chave!

          • Boto fé cara, assim que chegar em casa vou coloca-las em saquinhos, até mesmo as minhas edições do universo DC do ano passado. Não sou DCneco que fique bem claro, e que tem que começar de algum lugar saca.

          • JJota

            Eu compro plásticos grandes e, com durex, dobro no tamanho da edição pra que não fique muito amassado nem cheio de ar. Funciona bem e mantém de forma legal. Tenho algumas edições com mais de dez anos que parecem novas!

          • A principio os únicos que estão guardados em plastico são os mangas do DB (sou putinha da serie), plastico simples, aqueles de portfólios mesmo, so que mão acondicionados, morar em ap e foda devido ao espaço :

          • JJota

            Tem sites – e lojas de quadrinhos – que vendem os plásticos nos tamanhos padronizados (americano, álbum, formatinho, mangá…).

          • To sabendo, achava exagero isso, so que percebi que e questão de dar valor a arte.

          • JJota

            Cara, você não faz ideia do que a umidade pode fazer com uma coleção de HQs (e, claro, com a sua saúde física e mental quando vê o desastre….)

          • Com HQs nunca tive esse problema,(graças a deus), mas sei o que ela pode fazer com o papel em si, ja sofri muito com a perda de desenhos que havia guardado errado.

      • Polvo Aranha

        As minhas revistas ficam guardadas em baús (isso mesmo, no plural, e olha que nem faz 10 anos que eu coleciono), em ordem alfabética dos títulos e por numeração.

        • JJota

          Eu já usei baús (e caixas de papelão…..). Mas mudei e passei a usar armários de aço.

          • Polvo Aranha

            Do jeito que elas estão se acumulam e ficam difíceis de mexer com dezenas de outras revistas em cima, acho que vou ter que mudar elas prum armário mesmo.

            Meus encadernados já ocupam metade do armário de livro da família.

          • JJota

            Foi por isso que mudei. Pensei primeiro em armários de madeira mesmo, mas não poderia ser qualquer material por conta de problemas como a umidade. Mas aí o custo ficou muito alto e optei pelos de aço, que duram bastante tempo, são fáceis de encontrar e custam beeeeeeeeeem menos.

          • No meu caso não vejo utilidade (ainda), de colocar em armários ou baús, como não gosto de comprar mensais a minha grande maioria e de encadernados.

          • Robin Hood

            Eu guardava em caixas de papelão, daquelas que vem televisão dentro, mas não recomendo, e nem o baú. Com o tempo, acumulam cheiro de poeira e papel velho e dá o maior trabalho tirar tudo pra tomar um sol. Há algum tempo comprei uma prateleira de madeira no submarino e coloco os meus gibis nela. Embaladas em plástico também, é claro.

          • pabloREM

            As mensais guardo em caixa-arquivos de plástico mas não ensaco cada uma. As especiais, que não tenho muitas, ficam em um armário de madeira até eu conseguir construir uma estante especial que venho planejando faz tempo.

      • Rafael

        putz, essa do plástico é uma boa hein, tenho umas hqs compradas à 2 anos que já estão meio sofrida

        • JJota

          Edições de luxo não parecem sofrer muito, mas as mensais em papel pisabrite precisam ser melhor cuidadas.

      • Axv? Jesus.
        Mas eu não guardo em saquinhos mais.

        • JJota

          Pois é… Eu sou um verme! E já estou comprando a mini do King Ultron.

          • essa ainda não chegou aqui. Mas a pretensão de compra está bem alta.

            2014-02-20 8:52 GMT-02:00 Disqus :

  • JJota

    Já comentei isso antes em outros posts, mas é sempre bom lembrar, principalmente quando textos nostálgicos como este do Sorg lembram as dificuldades que velhos pessoas nascidas há um pouco mais de tempo passaram pra começar suas coleções: obrigado, Panini, apesar de tudo.

    Sim, ok, hoje tem internet, blablablá… Mas o melhor é que, com todas as facilidades de compra por outros mios (e uma distibuição infinitamente melhor), EXISTE O MATERIAL SENDO LANÇADO. Quantas vezes vimos os bons títulos da Vertigo naufragarem, deixando colecionadores a ver navios? Lembram da Pixel, só pra citar um exemplo recente?

    Quem sofreu com isso algum dia imaginou que teria Preacher completo? Ou toda a primeira fase do Hellblazer? 100 Balas? Fábulas? Y – O Último Homem? Transmetropolitan? Sandman em encadernados de luxo? Ou que estaria hoje feliz encomendando suas edições encadernadas de Planetary? E, normalmente, em preços acessíveis ou pelo menos em boas relações custo-benefício?

    A Panini tem suas mancadas, sim. Mas, nesta parte, merece meu respeito e gratidão.

    • Polvo Aranha

      Se vendeu por quanto, JJota?

      • JJota

        Bem que a Panini poderia me ressarcir por tudo que eu comprei do Batman do Grant Morrison pra cá…

        Mas a césar o que é de césar. Sempre criticamos muito, acho que tem momentos em que é preciso, sim, elogiar quando o sujeito faz uma coisa certa (por exemplo, quando o Moe pedir as contas do BdE eu farei um post de agradecimento!).

        Polvo, você não faz ideia do que era ser colecionador de quadrinhos nos anos 80 em uma cidade como Fortaleza, cara…

        • Polvo Aranha

          Eu estou brincando, JJota. A Panini tem seus méritos.

          • JJota

            Relaxa, Polvo. Eu sei.

            P.S.: Não me mande pra geladeira no blog da Sandrinha Mel HQFan.

          • Polvo Aranha

            Por que eu mandaria?

          • JJota

            Por moezice.

          • Polvo Aranha

            Tá me comparando ao Moe? Agora sim você vai pra geladeira.

          • JJota

            Pqp…

        • Rafael

          “quando o Moe pedir as contas do BdE eu farei um post de agradecimento”

          e não só vc, vai ser um mês de comemorações!

          • JJota

            Mês “Adeus, Moe!”

        • Robin Hood

          Ah, e na época da hiperinflação, em que as revista não tinham preço e sim um código? A cada semana a lista de preços era atualizada. E tome grana…

          • JJota

            Pqp, era foda! E o jornaleiro fdp ainda ficava fazendo aquele suspense enquanto procurava o preço, sem deixar você ver…

          • As vertigo da abril foram com códigos. Enquanto cada formatinho custava em mmédia dois reais, os com códigos chegavam ao absurdo de 6 reais.

    • Aquaman de BH

      Isso aí. Ainda mais agora, com outras iniciativas.
      HQM tá pra lançar séries interessantes esse ano, Bone, Estranhos no Paraíso, Ladrão dos Ladrões.
      Pensar em hq’s alternativas saindo aqui anos atrás era quase impensável. O que saísse vendia pouco e era cancelado. Até os Mongás. Hoje cada vez mais títulos não tão populares chegam aqui, muito além das modinhas de Naruto, Dragon Ball, e outros materiais mais prestigiados.

      • JJota

        Mas até aí eu acho que é preciso agradecer a Panini, que tem cumprido suas promessas. Editora, hoje, que deixa série pelo caminho morre.

        • Renan

          Não quando se tem o monopólio do mercado.

  • Tudo envelopadinho, que amor por essas revistas cara.
    Parabéns Sorg.

    • JJota

      Poxa, tudo meu é guardado em plástico.

      Sério, até AvX tá ensacado.

      • Invejo vocês por esse zelo que tem com suas HQs, eu simplesmente deixo-as na estante perfiladas, tudo bem que não tenho algo exuberante pra se mostrar, mais e bonito de se ver.

        • JJota

          Cara, eu já vi o que desleixo pode fazer com suas revistas. Aprendi da pior forma. Ah, e minha coleção é guardada em armários de aço trancados a chave!

          • Boto fé cara, assim que chegar em casa vou coloca-las em saquinhos, até mesmo as minhas edições do universo DC do ano passado. Não sou DCneco que fique bem claro, e que tem que começar de algum lugar saca.

          • JJota

            Eu compro plásticos grandes e, com durex, dobro no tamanho da edição pra que não fique muito amassado nem cheio de ar. Funciona bem e mantém de forma legal. Tenho algumas edições com mais de dez anos que parecem novas!

          • A principio os únicos que estão guardados em plastico são os mangas do DB (sou putinha da serie), plastico simples, aqueles de portfólios mesmo, so que mau acondicionados, morar em ap e foda devido ao espaço :

          • JJota

            Tem sites – e lojas de quadrinhos – que vendem os plásticos nos tamanhos padronizados (americano, álbum, formatinho, mangá…).

          • To sabendo, achava exagero isso, so que percebi que e questão de dar valor a arte.

          • JJota

            Cara, você não faz ideia do que a umidade pode fazer com uma coleção de HQs (e, claro, com a sua saúde física e mental quando vê o desastre….)

          • Com HQs nunca tive esse problema,(graças a deus), mas sei o que ela pode fazer com o papel em si, ja sofri muito com a perda de desenhos que havia guardado errado.

      • Polvo Aranha

        As minhas revistas ficam guardadas em baús (isso mesmo, no plural, e olha que nem faz 10 anos que eu coleciono), em ordem alfabética dos títulos e por numeração.

        • JJota

          Eu já usei baús (e caixas de papelão…..). Mas mudei e passei a usar armários de aço.

          • Polvo Aranha

            Do jeito que elas estão se acumulam e ficam difíceis de mexer com dezenas de outras revistas em cima, acho que vou ter que mudar elas prum armário mesmo.

            Meus encadernados já ocupam metade do armário de livro da família.

          • JJota

            Foi por isso que mudei. Pensei primeiro em armários de madeira mesmo, mas não poderia ser qualquer material por conta de problemas como a umidade. Mas aí o custo ficou muito alto e optei pelos de aço, que duram bastante tempo, são fáceis de encontrar e custam beeeeeeeeeem menos.

          • No meu caso não vejo utilidade (ainda), de colocar em armários ou baús, como não gosto de comprar mensais a minha grande maioria e de encadernados.

          • Robin Hood

            Eu guardava em caixas de papelão, daquelas que vem televisão dentro, mas não recomendo, e nem o baú. Com o tempo, acumulam cheiro de poeira e papel velho e dá o maior trabalho tirar tudo pra tomar um sol. Há algum tempo comprei uma prateleira de madeira no submarino e coloco os meus gibis nela. Embaladas em plástico também, é claro.

          • pabloREM

            As mensais guardo em caixa-arquivos de plástico mas não ensaco cada uma. As especiais, que não tenho muitas, ficam em um armário de madeira até eu conseguir construir uma estante especial que venho planejando faz tempo.

      • Rafael

        putz, essa do plástico é uma boa hein, tenho umas hqs compradas à 2 anos que já estão meio sofrida

        • JJota

          Edições de luxo não parecem sofrer muito, mas as mensais em papel pisabrite precisam ser melhor cuidadas.

      • Axv? Jesus.
        Mas eu não guardo em saquinhos mais.

        • JJota

          Pois é… Eu sou um verme! E já estou comprando a mini do King Ultron.

          • essa ainda não chegou aqui. Mas a pretensão de compra está bem alta.

            2014-02-20 8:52 GMT-02:00 Disqus :

  • JJota

    Já comentei isso antes em outros posts, mas é sempre bom lembrar, principalmente quando textos nostálgicos como este do Sorg lembram as dificuldades que velhos pessoas nascidas há um pouco mais de tempo passaram pra começar suas coleções: obrigado, Panini, apesar de tudo.

    Sim, ok, hoje tem internet, blablablá… Mas o melhor é que, com todas as facilidades de compra por outros mios (e uma distibuição infinitamente melhor), EXISTE O MATERIAL SENDO LANÇADO. Quantas vezes vimos os bons títulos da Vertigo naufragarem, deixando colecionadores a ver navios? Lembram da Pixel, só pra citar um exemplo recente?

    Quem sofreu com isso algum dia imaginou que teria Preacher completo? Ou toda a primeira fase do Hellblazer? 100 Balas? Fábulas? Y – O Último Homem? Transmetropolitan? Sandman em encadernados de luxo? Ou que estaria hoje feliz encomendando suas edições encadernadas de Planetary? E, normalmente, em preços acessíveis ou pelo menos em boas relações custo-benefício?

    A Panini tem suas mancadas, sim. Mas, nesta parte, merece meu respeito e gratidão.

    • Polvo Aranha

      Se vendeu por quanto, JJota?

      • JJota

        Bem que a Panini poderia me ressarcir por tudo que eu comprei do Batman do Grant Morrison pra cá…

        Mas a césar o que é de césar. Sempre criticamos muito, acho que tem momentos em que é preciso, sim, elogiar quando o sujeito faz uma coisa certa (por exemplo, quando o Moe pedir as contas do BdE eu farei um post de agradecimento!).

        Polvo, você não faz ideia do que era ser colecionador de quadrinhos nos anos 80 em uma cidade como Fortaleza, cara…

        • Polvo Aranha

          Eu estou brincando, JJota. A Panini tem seus méritos.

          • JJota

            Relaxa, Polvo. Eu sei.

            P.S.: Não me mande pra geladeira no blog da Sandrinha Mel HQFan.

          • Polvo Aranha

            Por que eu mandaria?

          • JJota

            Por moezice.

          • Polvo Aranha

            Tá me comparando ao Moe? Agora sim você vai pra geladeira.

          • JJota

            Pqp…

        • Rafael

          “quando o Moe pedir as contas do BdE eu farei um post de agradecimento”

          e não só vc, vai ser um mês de comemorações!

          • JJota

            Mês “Adeus, Moe!”

        • Robin Hood

          Ah, e na época da hiperinflação, em que as revista não tinham preço e sim um código? A cada semana a lista de preços era atualizada. E tome grana…

          • JJota

            Pqp, era foda! E o jornaleiro fdp ainda ficava fazendo aquele suspense enquanto procurava o preço, sem deixar você ver…

          • As vertigo da abril foram com códigos. Enquanto cada formatinho custava em mmédia dois reais, os com códigos chegavam ao absurdo de 6 reais.

    • Aquaman, O Lego Emo

      Isso aí. Ainda mais agora, com outras iniciativas.
      HQM tá pra lançar séries interessantes esse ano, Bone, Estranhos no Paraíso, Ladrão dos Ladrões.
      Pensar em hq’s alternativas saindo aqui anos atrás era quase impensável. O que saísse vendia pouco e era cancelado. Até os Mongás. Hoje cada vez mais títulos não tão populares chegam aqui, muito além das modinhas de Naruto, Dragon Ball, e outros materiais mais prestigiados.

      • JJota

        Mas até aí eu acho que é preciso agradecer a Panini, que tem cumprido suas promessas. Editora, hoje, que deixa série pelo caminho morre.

        • Canoa Furada

          Não quando se tem o monopólio do mercado.

  • Polvo Aranha

    O Sorg deve ter lido uma edição do atual Contantine leke pra querer fazer esse mimimi post.

    • JJota

      Huuummmm… Tenho a impressão que esse material deixa o Sorg com hidrofobia.

    • pEor que não.

      2014-02-19 15:20 GMT-02:00 Disqus :

      • Rafael

        e nem leia, (ao menos que queira um motivo pra se matar)

      • Polvo Aranha

        Melhor que não.

      • JJota

        Pior?

        • Foi por saudosismo mesmo. Taba afim de escreversobre essa edição faz tempo mas acabou virando um poste sobre essa época.

          • JJota

            Cara, gosto muito de posts assim. O pior foi brincadeira.

          • eu tô querendo fazer outro sobre colecionar hqs e a arte de guardar :D.
            Em tempo e por curiosidade: o que tu andas comprando de mensal?

            2014-02-20 8:53 GMT-02:00 Disqus :

          • Batman e Superior, que pergunta! aehauheauheuae

            Em 20 de fevereiro de 2014 07:54, Disqus escreveu:

          • eu expRodu o Jotinha em BH.

            2014-02-20 8:59 GMT-02:00 Disqus :

  • Polvo Aranha

    O Sorg deve ter lido uma edição do atual Contantine leke pra querer fazer esse mimimi post.

    • JJota

      Huuummmm… Tenho a impressão que esse material deixa o Sorg com hidrofobia.

    • pEor que não.

      2014-02-19 15:20 GMT-02:00 Disqus :

      • Rafael

        e nem leia, (ao menos que queira um motivo pra se matar)

      • Polvo Aranha

        Melhor que não.

      • JJota

        Pior?

        • Foi por saudosismo mesmo. Taba afim de escreversobre essa edição faz tempo mas acabou virando um poste sobre essa época.

          • JJota

            Cara, gosto muito de posts assim. O pior foi brincadeira.

          • eu tô querendo fazer outro sobre colecionar hqs e a arte de guardar :D.
            Em tempo e por curiosidade: o que tu andas comprando de mensal?

            2014-02-20 8:53 GMT-02:00 Disqus :

          • Batman e Superior, que pergunta! aehauheauheuae

            Em 20 de fevereiro de 2014 07:54, Disqus escreveu:

          • eu expRodu o Jotinha em BH.

            2014-02-20 8:59 GMT-02:00 Disqus :

  • O_Comentarista

    Belo texto.

    E hoje, com a facilidade de compras pela internet, scans, apps pra celular…o povo fica lendo Aranha Superior.

    • Robin Hood

      E tem gente que até faz resenha disso! Depois tem que ir pra uma clínica de desintoxicação e não sabe porque 🙂

  • O_Comentarista

    Belo texto.

    E hoje, com a facilidade de compras pela internet, scans, apps pra celular…o povo fica lendo Aranha Superior.

    • Robin Hood

      E tem gente que até faz resenha disso! Depois tem que ir pra uma clínica de desintoxicação e não sabe porque 🙂