Final-Crisis-Superman-Beyond-Spread

Ou a técnica de fazer “um” virar o  “infinito”…e ganhar dinheiro com isso!

Olá enxutos! Retomando nossa rotina de dissertações sobre a vida, a arte e o inútil, venho até vocês com algo que nos últimos anos vem enchendo a cabeça dos leitores. Os malditos Multiversos!

The Multiversity4

No mundo real

Primeiro, vamos a definição científica, pura e clara: Existe a Teoria das Cordas, que prega a existência de partículas ainda menores que as moléculas, as Cordas, que vibram em sequências específicas. São essas vibrações que definem os formatos da matéria e da energia no Universo. Só que os cálculos sobre essas vibrações se mostraram imprecisos, e a única forma de explicar essas diferenças é através da existência não apenas de matéria ou energia diferentes, mas universos totalmente diferentes para elas. E assim temos múltiplos Universos. Se bem que eu prefiro a explicação da bola de gude do final de MIB

Nos Quadrinhos

Nos quadrinhos esse é um tema bem velho. Não é algo de 20 anos atrás, ele vem de mais tempo. Talvez a primeira menção a existência de Terras Paralelas nos quadrinhos tenha sido na clássica história “Flash of Two Words”, de 1961, Onde Barry Allen encontra Jay Garrick pela primeira vez. Depois disso, muitos encontros aconteceram, levando a Liga da Justiça e a Sociedade da Justiça a se esbarrarem, além de personagens da Fawcett Comics, e de outras editoras que iam sendo compradas e tinham seus personagens sendo “agregados” a editora.

Flash-of-two-worlds

Com o aumento do portfolio de heróis, aumentou o número de histórias que não batiam por conta das tramas ou idades dos personagens (aquela velha questão de “como o Batman começou a lutar na década de 30, e continua jovem nos anos 70?”), e das várias questões editoriais e legais que envolviam esses novos personagens, em meado dos anos 80 surgiu a Crise nas Infinitas Terras, que tecnicamente “unificou” esses mundos, mesmo que com alguns erros ou incoerências. Mesmo assim,  depois da Crise essa situação de agregar novos mundos pôde ser vista com os personagens do Universo Milestone (Super Choque) e da Wildstorm (Authority e Wildcats). Ainda houveram eventos como Zero Hora, Crise Final, Flashpoint, e recentemente Multiversity, que trouxeram o conceito do Multiverso de volta a DC, que tecnicamente eram novas formas de arrumar o Multiverso da DC.

colorizing_the_justice_league_of_america_master_be_by_dinei-d5k2wdj

Na Marvel isso foi mais gradual (mas não menos confuso) acontecendo dentro da própria editora, como o fato dos nove reinos da mitologia de Thor por si só poderem ser vistos como Multiversos, os mundos vistos nas aventuras do Capitão Britânia, Dias de um Futuro Esquecido, A Terra do Esquadrão Supremo, Marvel Zombies, Era do Apocalipse, Heróis Renascem,  Futuro Imperfeito, o Universo 2099, Ultimate, e recentemente, o Spiderverse.

Como podem notar, os Multiversos não são simples variações que possuem um conjunto de características distintas uma das outras. Na ciência real, o conceito do Multiverso é muito tênue. Ele pode ser algo bem simples, ou pode ter mudanças extremas. Uma Terra onde você seja do sexo oposto seria praticamente igual a nossa. Mas um universo onde as moléculas de oxigênio não tenham se formado por exemplo, seria…muito improvável de ser habitável… Ou uma terra onde Hitler ganhou a guerra, seria um caos social completo na nossa pequena civilização!

wolfenstein-the-new-order-walkthrough
Melhor versão alternativa para Segunda Guerra! Ever!

Como o “Multi”verso estraga o “Uni”verso?

Talvez pela mesma maneira que uma fofoca estraga a vida de alguém. Porque algum filho da puta resolveu se meter na vida dos outros. Nos quadrinhos, o conceito do multiverso geralmente ocorre por conta de um acidente (Barry Allen foi parar no mundo de Jay Garrick quando sem querer vibrou suas moléculas e entrou na sintonia de outra realidade) ou quando alguém resolve invadir o mundo dos outros (o primeiro arco de Authority era basicamente uma guerra entre realidades, onde mundos mais velhos atacavam e pilhavam mundos em desenvolvimento). Nesse contexto, mesclar terras diferentes consiste em criar uma força imbatível para o bem, ou começar uma grande tragédia!

TheAuthority03-20_21
Clones chineses super poderosos com tecnologia trans dimensional! Viva ao comunismo! Não, péra…

Outro motivo para se utilizar um multiverso é a ameaça maior. Esse é o motivo principal por trás de Multiversity de Grant Morrison por exemplo, ao mostrar os Gentry, como a ameaça derradeira que quer infectar os universos através de histórias em quadrinhos. Sério. É isso mesmo. Quadrinhos são malignos. Largue essa hq. AGORA!

multiversity-dc-comics-grant-morrison-gentry
A verdade oculta nessa hq é que nós somos os Gentry!

Em Secret Wars, nos é mostrado os Beyonders, e como eles são os “chefões da fase”, os mais poderosos seres do universo. E também como os heróis da o Universo Marvel 616 (o “oficial) tentam salvar a Terra destruindo outras Terras. Ou seja, os nossos heróis são assassinos de bilhões de vida. Parabéns campeões!

beyonders
“Doom. Pelos breves momentos que este, e outros universos ainda terão, crianças irão chorar ao saber o que aconteceu com você hoje” – Beyonders

Mas a questão é que o multiverso talvez tenha uma função um pouco mais nefasta, e que não tem muito, ou nada a ver com os roteiros: vender. Sim, vender. Porque assim eles são capazes de produzir 124 edições diferentes com o mesmo herói, milhares de tie-ins, e sempre usar a questão das Terras Paralelas para explicar erros ou incoerências na vida dos personagens!

– Mas o Superman não mata? Porque ele matou agora?

– Mas esse não é o SEU Superman! Esse é o SupermatadorMan, o assassino nazista da Terra 56800998, raiz de Pi. Ele veio da Kripton-Negativa-Reversa e enfrenta o único herói dessa Terra, o Bat(jayjay)man, o vigilante pobre e reclamão.

– AHHHHH TAHHHHH! Assim tudo bem, esse Superman pode matar então. Não é o MEU! Vou comprar uma edição só pela curiosidade! Massavéio!

Mais uma vez eu digo: a culpa é nossa….Bom, voltando…

Sejam quais forem as questões que envolvam um Multiverso, três coisas são fundamentais: Primeiro, ele sempre vai existir, porque é um recurso que faz parte do mito dos heróis. Segundo, quando você reclamar demais do seu personagem, ele logo sofrerá um reboot, e será transformado em algo que aconteceu em outro tempo, em outro lugar, em outra Terra. E finalmente, se a história é boa, realmente importa em que realidade ela acontece? Eu penso que não.

 

batman-victorian
Por um mundo com menos “Multiversity” e mais “Else Worlds”!

E assim encerro mais um bate papo. Espero que tenham gostado, senão, desculpem minhas opiniões de merda! E na próxima postagem, vou tentar refazer a cronologia dos X-men! Tô fudido!

E vou ali!

  • eu cretino

    Porra bom post esse viu? Até que enfim

  • eu cretino

    Porra bom post esse viu? Até que enfim

  • testando 123

  • testando 123

  • Bob Balburdia

    “Flash of Two Words”

    Flash com vocabulário limitado.

  • Bob Balburdia

    “Flash of Two Words”

    Flash com vocabulário limitado.

  • Onofre Ricardo

    Na verdade, a primeira menção a universos paralelos nos quadrinhos foi numa história da Mulher-Maravilha, de 1953, em que ele vai parar numa Terra paralela q é chamada de “Mirror World”.

    • Corvo

      Sim, mas no caso a historia do Flash foi a primeira onde a versão “paralela” do personagem existia antes e não foi feita somente para uma historia.

    • Divosa Uplanovytch

      Ja tinha mensãos a univero paralelo na revista do SuperMan no tempo em e que ele tinha aqueles poderes doidos de controle mental e cara de massinha.

      • Onofre Ricardo

        Dessa eu não sabia. Mas é que nessa história da Mulher-maravilha rola dela realmente ir parar num mundo paralelo, aonde inclusive tem uma versão dela e de uns vilões dela, além de citarem que todas as diferentes versões possuem um tipo de ligação psíquica.

  • Onofre Ricardo

    Na verdade, a primeira menção a universos paralelos nos quadrinhos foi numa história da Mulher-Maravilha, de 1953, em que ele vai parar numa Terra paralela q é chamada de “Mirror World”.

    • Corvo

      Sim, mas no caso a historia do Flash foi a primeira onde a versão “paralela” do personagem existia antes e não foi feita somente para uma historia.

    • Divosa Uplanovytch

      Ja tinha mensãos a univero paralelo na revista do SuperMan no tempo em e que ele tinha aqueles poderes doidos de controle mental e cara de massinha.

      • Onofre Ricardo

        Dessa eu não sabia. Mas é que nessa história da Mulher-maravilha rola dela realmente ir parar num mundo paralelo, aonde inclusive tem uma versão dela e de uns vilões dela, além de citarem que todas as diferentes versões possuem um tipo de ligação psíquica.

  • JJota

    Multiverso é, simplesmente, uma forma de incentivar a falta de criatividade. Há boas histórias, boas sacadas, coisas relevantes? Sim. Mas, na maior parte do tempo, é apenas desculpa para termos 387 versões do Batman, 286 versões do Homem-Aranha, 177 Wolverines diferentes…

    • Me lembro que, quando garoto, durante o período da Crise nas Infinitas Terras, ver personagens em realidades alternativas era uma emoção danada, pra mim. Primeiro porque você tinha uma mudança de visual (o que dava uma refrescada no visual já batido e monótono dos personagens de sempre), e depois, porque quando era bom, trazia à tona novos backgrounds de personagens que a gente já conhecia, além de desfechos inusitados, muitas vezes melhores do que o que estávamos acostumados a ver no Mainstream. Por não ser muito frequente, a aparição de heróis alternativos sempre era muito bem vinda.

      No entanto, o troço banalizou de maneira tremenda. A novidade acabou, e, como você e o Eunuco disseram, acaba virando uma mera válvula de escape pra vender milhares de bonequinhos e merchandising.

    • Diretor Coulson, O Filho Legal

      Depende de como o recurso é usado editorialmente. O que a DCYou faz por exemplo é o exato oposto: incentivar a criatividade e boas histórias. Se quiser ler algo, é só pegar o gibi lá e ler, pronto. Não precisa correr atrás de 5 outros para acompanhar a continuidade e entender as tramas cronológicas. É uma forma da indústria se reinventar e se tornar mais amigável para os novos leitores.

  • JJota

    Multiverso é, simplesmente, uma forma de incentivar a falta de criatividade. Há boas histórias, boas sacadas, coisas relevantes? Sim. Mas, na maior parte do tempo, é apenas desculpa para termos 387 versões do Batman, 286 versões do Homem-Aranha, 177 Wolverines diferentes…

    • Me lembro que, quando garoto, durante o período da Crise nas Infinitas Terras, ver personagens em realidades alternativas era uma emoção danada, pra mim. Primeiro porque você tinha uma mudança de visual (o que dava uma refrescada no visual já batido e monótono dos personagens de sempre), e depois, porque quando era bom, trazia à tona novos backgrounds de personagens que a gente já conhecia, além de desfechos inusitados, muitas vezes melhores do que o que estávamos acostumados a ver no Mainstream. Por não ser muito frequente, a aparição de heróis alternativos sempre era muito bem vinda.

      No entanto, o troço banalizou de maneira tremenda. A novidade acabou, e, como você e o Eunuco disseram, acaba virando uma mera válvula de escape pra vender milhares de bonequinhos e merchandising.

    • Renascido Coulson, DC Te Amo

      Depende de como o recurso é usado editorialmente. O que a DCYou faz por exemplo é o exato oposto: incentivar a criatividade e boas histórias. Se quiser ler algo, é só pegar o gibi lá e ler, pronto. Não precisa correr atrás de 5 outros para acompanhar a continuidade e entender as tramas cronológicas. É uma forma da indústria se reinventar e se tornar mais amigável para os novos leitores.

  • Carlos EJT Vázquez

    Pra mim o problema é ficar limitando o numero de terras. PQ 52 terras, DC?! Deixa isso aberto, pq com esse número limitado, sempre vão se contradizer pq vao ter que ficar usando terras que ja tem uma cronologia começada e, geralmente, ignorada qnd revisitada.

    • MDrake

      Mas Multiversity prova que há uma multitude de multiversos, Teoricamente, com 52 terras CADA.
      É só uma maneira de organizar e apresentar as mais importantes.
      Por exemplo, as terras do DCUO e dos seriados existem e contam para múltiplas obras, obviamente, mas elas não são das 52 principais dos quadrinhos.

      • Carlos EJT Vázquez

        Sim, eu gosto do conceito de esse ser só um dos multiversos, mas isso foi criado bem depois de definirem que são 52 terras, inclusive incluindo gambiarras como uma “terra zero”

        • MDrake

          Mas a Terra Zero original era a New Earth post-crisis, não?
          Enfim, já tinha muito tempo que tínhamos terras não numeradas à data do seu lançamento (como, creio, Reino do Amanhã), mas que tinham ali uma continuidade, contaram a sua história e só foram numeradas muito tempo depois. Algumas nem tem número por não serem relevantes para o multiverso das 52, como os seriados (lembrando que ainda tem material novo com o Batman ’66 e Smallville), filmes, DCUO.
          Sendo que todas as análogas da Marvel possuem um número advindo do random.org e uns 8 dígitos…

  • Carlos EJT Vázquez

    Pra mim o problema é ficar limitando o numero de terras. PQ 52 terras, DC?! Deixa isso aberto, pq com esse número limitado, sempre vão se contradizer pq vao ter que ficar usando terras que ja tem uma cronologia começada e, geralmente, ignorada qnd revisitada.

    • MDrake

      Mas Multiversity prova que há uma multitude de multiversos, Teoricamente, com 52 terras CADA.
      É só uma maneira de organizar e apresentar as mais importantes.
      Por exemplo, as terras do DCUO e dos seriados existem e contam para múltiplas obras, obviamente, mas elas não são das 52 principais dos quadrinhos.

      • Carlos EJT Vázquez

        Sim, eu gosto do conceito de esse ser só um dos multiversos, mas isso foi criado bem depois de definirem que são 52 terras, inclusive incluindo gambiarras como uma “terra zero”

        • MDrake

          Mas a Terra Zero original era a New Earth post-crisis, não?
          Enfim, já tinha muito tempo que tínhamos terras não numeradas à data do seu lançamento (como, creio, Reino do Amanhã), mas que tinham ali uma continuidade, contaram a sua história e só foram numeradas muito tempo depois. Algumas nem tem número por não serem relevantes para o multiverso das 52, como os seriados (lembrando que ainda tem material novo com o Batman ’66 e Smallville), filmes, DCUO.
          Sendo que todas as análogas da Marvel possuem um número advindo do random.org e uns 8 dígitos…

  • Bizarro

    Eu adoro os Multiversos (principalmente da DC), achei espetacular terem voltado com isso. Mas sinto falta de Elseworlds (principalmente da SJA, Dossie Liberdade e Trio Profano foram espetaculares, precursores praticamente do universo ultimate e da Terra-2 atual). DC mandava bem nessa serie “Tunel do Tempo”, as historias do Batman, Superman, Flash, LJA eram excelentes (pensando agora, nunca vi nenhum elseworld solo do Ajax…pena ele sempre foi um personagem espetacular).

    • MDrake

      Faltam boas histórias, especialmente as fechadas em mini-séries ou one-shots, com terras paralelas.
      Sobram terras para aparecerem por alguns segundos em alguma megassaga da vida e cederem um ou outro personagem relevante.

  • Bizarro

    Eu adoro os Multiversos (principalmente da DC), achei espetacular terem voltado com isso. Mas sinto falta de Elseworlds (principalmente da SJA, Dossie Liberdade e Trio Profano foram espetaculares, precursores praticamente do universo ultimate e da Terra-2 atual). DC mandava bem nessa serie “Tunel do Tempo”, as historias do Batman, Superman, Flash, LJA eram excelentes (pensando agora, nunca vi nenhum elseworld solo do Ajax…pena ele sempre foi um personagem espetacular).

    • MDrake

      Faltam boas histórias, especialmente as fechadas em mini-séries ou one-shots, com terras paralelas.
      Sobram terras para aparecerem por alguns segundos em alguma megassaga da vida e cederem um ou outro personagem relevante.

  • Bizarro

    Lendo aquela trilogia X (Terra, Universo e Paraiso X), o multiverso da Marvel é abordado até que interessante (muito graças ao que o Alan Moore fez com o Capitas Britânia), pena que uma hora toca-se o foda-se e isso não serve PRA NADA no final das contas.

    • Egon de volta a ativa

      Paraiso X desisti, alongaram demais a historia que ja era longa antes

      • Bizarro

        Paraiso X até começa com uma ideia interessante, de pegar personagens de determinadas linhas temporais e talz, mas ae isso se perde. Até no plot principal, do Marvell, o troço fica meio perdido e chato, pena. Legal que eles tentam resolver algumas questões do universo marvel (A origem do Wolverine, o fato do justiceiro ter conversado com o Mercenário sobre a Elektra, entre outras coisas), mas isso só acaba alongando a historia e deixando “só pra preencher linguiça”. Mas até hj fico curioso com o que a Morte iria dizer ao Thanos em Universo X.

  • Bizarro

    Lendo aquela trilogia X (Terra, Universo e Paraiso X), o multiverso da Marvel é abordado até que interessante (muito graças ao que o Alan Moore fez com o Capitas Britânia), pena que uma hora toca-se o foda-se e isso não serve PRA NADA no final das contas.

    • Egon – Aroma ito

      Paraiso X desisti, alongaram demais a historia que ja era longa antes

      • Bizarro

        Paraiso X até começa com uma ideia interessante, de pegar personagens de determinadas linhas temporais e talz, mas ae isso se perde. Até no plot principal, do Marvell, o troço fica meio perdido e chato, pena. Legal que eles tentam resolver algumas questões do universo marvel (A origem do Wolverine, o fato do justiceiro ter conversado com o Mercenário sobre a Elektra, entre outras coisas), mas isso só acaba alongando a historia e deixando “só pra preencher linguiça”. Mas até hj fico curioso com o que a Morte iria dizer ao Thanos em Universo X.

  • [Better Call Harvey]

    Realmente Else Worlds são uma saída da cronologia muito melhor do que os Multiversos.

    Reino do Amanhã é muito foda, Gothan 1889 do Mignola tmb foi loka.

    Muito melhor do que essas tranqueiras de 1000 universos 10000000000 personagens e 0 história.

  • [Better Call Zoro]

    Realmente Else Worlds são uma saída da cronologia muito melhor do que os Multiversos.

    Reino do Amanhã é muito foda, Gothan 1889 do Mignola tmb foi loka.

    Muito melhor do que essas tranqueiras de 1000 universos 10000000000 personagens e 0 história.

  • Quadrinhos são malignos. Largue essa hq. AGORA!

    Larguei Multiversity faz tempo. Hoje sériezinha ruim…

  • Quadrinhos são malignos. Largue essa hq. AGORA!

    Larguei Multiversity faz tempo. Hoje sériezinha ruim…

  • Vou mais longe: “Else Worlds”>>>>>>>>>>>>>>>>>>“Multiversity”>>>>>>>>>>>>>>>>>>”What if…”

    Cara, eu gostava das histórias de “O que aconteceria se…”, mas a medida que fui lendo percebi que elas seguiam uma regra: A história tinha que ser pessimista. Tudo TINHA que dar errado. Qualquer acontecimento no Universo 616 era melhor que a alternativa.

    Vai ver eram apenas os anos 90…

    • Felipe P. Silveira

      dos anos 90 pra cá foi só para agradar fanboy idiota.

    • JJota

      E este é um dos motivos pelo qual acho aborrecida demais essa bobagem de se vergar à vontade de alguns e trazer de volta este conceito de Multiverso: durante os anos após a Crise nas Infinitas Terras, tivemos histórias realmente muito boas com os Elseworlds. Fugia do comum, não podia simplesmente ter outro Batman, outro Superman, outra Mulher-Maravilha… Não, tinha que ter diferenças reais, uma mudança de conceito que poderia ser territorial, temporal ou até físico. Ao contrário do Multiverso, estimulava a criatividade.

      What if ficou chato de uns tempos atrás pra cá. Quando o Bendis começou a escrever, então, deixei de lado total.

  • Felipe P. Silveira

    Em outra realidade as imagens abriram.
    O Multiverso da Marvel é muito, INFINITAMENTE, mais caótico que o da DC. O da DC parece confuso porque ela se preocupa em explicar ele. A Marvel não, ela vai a moda caralho, é só ver quando aparece uma Terra paralela na Marvel, é sempre “Terra 17457899929”, sempre um numero aleatório. Enfim, sou marvete mas prefiro muito mais como a DC trabalha as realidades paralelas.
    OBS: Só saiu gibi bosta da Marvel hoje!

    • Diretor Coulson, O Filho Legal

      ENQUANTO ISSO THE OMEGA MEN 3 FOI ESPETACULAR

  • Felipe P. Silveira

    Em outra realidade as imagens abriram.
    O Multiverso da Marvel é muito, INFINITAMENTE, mais caótico que o da DC. O da DC parece confuso porque ela se preocupa em explicar ele. A Marvel não, ela vai a moda caralho, é só ver quando aparece uma Terra paralela na Marvel, é sempre “Terra 17457899929”, sempre um numero aleatório. Enfim, sou marvete mas prefiro muito mais como a DC trabalha as realidades paralelas.
    OBS: Só saiu gibi bosta da Marvel hoje!

    • Renascido Coulson, DC Te Amo

      ENQUANTO ISSO THE OMEGA MEN 3 FOI ESPETACULAR

  • O_Comentarista

    Até o BdE teve multiverso, como o Woe e a Matinê dos Infantes.

    • eu cretino

      Não esqueça da mia,kenga,Sorga,ckreedo,reverenda(dá) e etc…….

  • O_Comentarista

    Até o BdE teve multiverso, como o Woe e a Matinê dos Infantes.

    • eu cretino

      Não esqueça da mia,kenga,Sorga,ckreedo,reverenda(dá) e etc…….

  • Anubis_Necromancer

    Numa realidade alternativa ocorrem as Trutas Wars….
    e os Futanaris dominam a terra^^

  • Anubis_Necromancer

    Numa realidade alternativa ocorrem as Trutas Wars….
    e os Futanaris dominam a terra^^