Seria todo o ‘haterismo’ apropriado?

Salve, salve, cambada de Enxutos e Enxutetes! Quem conhece o BdE, há mais tempo, sabe que minha produtividade já não é mais a mesma, mas os meus cabelos de vez em quando volto às raízes e trago algumas opiniões, mesmo que tardias, sobre séries e filmes, em especial, e chegou a hora de o Punho de Ferro da Netflix. Fiquem tranquilos, pois virá com poucos spoilers.

UM PUNHO DE FERRO BEM ECONÔMICO. DEVIA ESTAR PAGANDO BANDEIRA VERMELHA.

Bom, você que lê estas maldigitadas palavras já deve saber, entretanto, que vamonos a uma sinopse mequetrefe, copiada de algum lugar desta grande rede:

Daniel Rand (Finn Jones) é um bilionário, herdeiro da fortuna das Indústrias Rand. Por 15 anos, todos acreditaram que ele estava morto, após um acidente de avião no Himalaia que vitimou seus pais, Wendell e Heather Rand, mas Danny foi salvo e viveu todo esse tempo na cidade mística de K’un-Lun, uma das Sete Capitais do Céu. Lá, Danny aprendeu a canalizar o seu chi e se tornou o Punho de Ferro. De volta a Nova York, ele vai tentar retomar seu posto na empresa, agora sob o comando de seus amigos de infância Joy (Jessica Stroup) e Ward Meachum (Tom Pelphrey). Mas ele precisa convencer a todos que é realmente quem diz ser e combater o Tentáculo, com a ajuda de Colleen Wing (Jessica Henwick).

E chega por aqui, senão estraga a diversão. Ou não.

IRMÃOS MEACHUM, COMPLICADOS FEITO O PAI. QUASE UMA NOVELA MEXICANA NUMA SÉRIE DE KUNG FU.

Comecemos as análises pelos artistas do espetáculo. Finn Jones está OK, não chegando a ser um “olha que Barriga, senhor Espetáculo”. A cara de moleque mimado ajuda em certos aspectos e atrapalha em outros, afinal, o cidadão ficou 15 anos em um monastério, sofrendo e comendo o pão que o Infame amassou. Os irmãos Joy e Ward seguram bem as cenas e, apesar do segundo quase ir ao limite da canastrice em algumas, a coisa flui de maneira bem satisfatória. A Japonesa de Pequim, o caso amoroso que faz o Punho do Rand ficar de Ferro, também leva bem, sem maiores destaques. Talvez e, para minha surpresa, quem se sai melhor é o Faramir, como Harold Meachum. Os rompantes de raiva, considerando sua cara inexpressiva, são de fato convincentes. O resto é o resto, sendo que a Claire (Rosario Dawson) faz o mais do mesmo das demais séries da Netflix, Madame Gao e Bakuto tem alguma presença de cena (com destaque para a primeira) e só.

COLLEEN WING, A MULHER QUE FEZ “O PUNHO DO RAND FICAR DE FERRO”. EU SEI… DESCULPEM POR ISSO…

Sobre as cenas de luta… são o ponto mais fraco da série. Sejamos honestos: as cenas melhoram com o decorrer dos capítulos, mas o início realmente quase chega a dar vergonha alheia do arame fu. Finn Jones notadamente tem dificuldades com estas cenas, apesar de certa evolução. O único desconto é a desvantagem que ele tem em relação ao Demolidor, por exemplo, afinal o Batman Vermelho usa máscara e pode-se abusar dos dublês. Já o herói Punho de Ferro tem que ‘dar a cara a tapa’ na maioria das cenas e aí depende realmente da habilidade do protagonista. No entanto, isso não é desculpa para todas as cenas iniciais e com outros atores estarem tão aquém, do que se poderia imaginar, em uma série baseada em artes marciais. Comparada ao Demolidor, perde de dez a zero e isso só nos primeiros 20 minutos do primeiro tempo…

SE O PDF USASSE AO MENOS UMA MÁSCARA NA SÉRIE, PODERIAM POR UM DUBLÊ MELHOR NAS CENAS DE LUTA.

O enredo é enxuto o suficiente para te prender a atenção. O início vem com a ‘aclimatação’ do personagem e segue uma linha ‘psicológica’, sobre o fato de Danny voltar, após tantos anos, e os irmãos Meachum duvidarem de que realmente ele é quem diz ser. Passado este início mais ‘conturbado’ para o próprio enredo, no limite de quase se perder, a história volta a se centrar na luta contra o Tentáculo e ganha mais corpo, prendendo sua atenção em definitivo. O problema é que isso começa lá pelo terceiro episódio e, caso você se decepcionar com as lutas iniciais e o enredo introdutório, provavelmente não estará tão interessado em continuar. Fique firme que a coisa melhora e algumas ‘reviravoltas’ tornam a história interessante.

BAKUTO, NOME JAPONÊS, CARA DE ÁRABE.

Por fim, é uma série imperdível? Não. É péssimo como se desenhou na vastidão da grande rede? Também não. A ‘polêmica’ sobre ter um ator não asiático como protagonista só reverbera o que há de pior no politicamente correto ora em vigor na internet: a ignorância. O grande mal deste milênio, por incrível que pareça, é a possibilidade de pequenos grupos ganharem um ‘megafone’ para disseminar bobagens que podem ser perigosas. À direita e à esquerda. Neste caso específico, criticar a série por isso é o mesmo que dizer que o Superman ser branco é racismo e o Batman não assumir a homossexualidade é sexismo. O mundo dos ‘ismos’ é um saco, ainda mais trazendo para um mundo ‘nerd’ onde, em tese, seriam pessoas menos propensas a este tipo de coisa.

DAVOS, UM SERPENTE DE AÇO BAIXINHO E TAMBÉM COM CARA DE ÁRABE.

Enfim, na minha Umilde opinião: pior que os dois ‘Demolidores’ e um pouco acima de Luke Cage (este, por sinal, tem atores melhores. Se fosse um ator de maior qualidade como protagonista, estaria acima de Iron Fist). E, para raiva de muitos, não se compara a Jessica JonezZZZZZZZZZZZZ…

O diferencial da série, para mim, foi mostrar que existe dualidade em todos. O mundo é cinza, sem existir o bem ou o mal absolutos. Madame Gao, usando a verdade como arma, e a virada da Joy Meachum, e o próprio comportamento do Punho, evidenciam isto. Ser bom ou mau depende da perspectiva e de seus interesses, mas não é assim na vida real?

Nota: 7,0 de 10.

  • Canoa Furada

    Boa resenha King! No final fiquei com as mesmas impressões que escrevestes.

    Percebi também que muitas pessoas esperavam ver mais de Kun’Lun e uma explicação mais detalhada da origem do personagem(os treinamentos e tal), que acabou gerando grande decepção. E as cenas de luta decepcionam mesmo, acho que a melhor saída seria escurecer bem as cenas e deixar os dublês trabalharem.

    Dessas séries todas da Netflix, só tive vontade de assistir essa, então não posso comparar com as outras.

    • A primeira do Demolidor vale , salvo o final power ranger. As lutas são muito melhores e vale assistir.

  • Alexandre

    Essa comparação entre as séries é válida até certo ponto. Mas todos os personagens são diferentes. E a (agora) incensada série do demolidor também tem umas coisas bem capengas.
    Gostei do punho de ferro. Burocrático enredo de origem, mas tem seus momentos. Gostei do elenco. Nenhuma atuação realmente ruim. Ward é um personagem irritante muitas vezes, mas o ator mandou bem.
    Não sei se é uma boa ter kun lun já na segunda temporada. Espero que apareça dentro de um orçamento que faça jus aos efeitos especiais necessários.

    • Sim concordo há coisas que no Demolidor incomodam, especialmente a segunda temporada. Mas no fim acaba sendo mesmo o gosto de cada um.

  • starscream2

    Ainda nem terminei de assistir a segunda temporada do Demolidor. Mas se a série do Murdock é a “melhor” dessa leva, meu desinteresse pelas outras só aumenta.

  • JJota

    Não consigo passar do segundo episódio… Começo, vejo uns cinco minutos, cochilo e aí mudo pro Brickleberry.

  • Robin Hood

    Essa série pode até não ser muito boa, mas o que salva são as piadas de duplo sentido…como dizem por aí, Punho de Ferro no Kun-Lun dos outros é refresco!

    • eu cretino

      É por isso que esse ator é bem semelhante ao Chris Pratt???
      Será meio guardiões da galáxia essa série?

  • King passou meses só digerindo a série, só pra se convencer de que não foi tão ruim assim.

    Levando em conta que o Kong defende o Aranha do Slott, não me admira tentar defender essa diarreia.

    • O Kong defender o Aranha do Slott é um prodígio. Ainda mais porque o gorila não sabe falar

      • JJota

        E, se defende o Aranha do Slott, também não sabe ler…

        • Robin Hood

          Na verdade, com aqueles desenhos do Ruimberto Ramos, eu acho que o bicho é cego mesmo…

      • eu cretino

        Huehuehuehue

  • Vipo Free

    Vamos lá, gostei da seria, para mim a melhor coisa é o ward(achei o personagem e ator muito bons), embora todos tenham a achado sem graça, achei a joy bem gatinha.
    Achei a participação da Claire meia forçada(ela fica se metendo nas coisas sendo que nem tinha intimidade ainda), sem falar que ela lutando tambem foi forçado, e a Collen tambem é meio estranha(e o punho tinha que ficar com a misty ¬¬).
    Estou achando interessante como o tentaculo faz nas series as vezes da hidra nos filmes.
    Acho o punho a pior de todas, mas ainda é boa. Demolidor>JJ(killgrave é foda)>Luke Cage(tava achando muito boa, mas os 2/3 ultimos ep são bem fracos)> Punho

    • Joy é gatinha de fato, apesar de magra demais. Parece aquelas patricinhas delícia de facul que você não tem mora$ pra pegar.

      • Vipo Free

        Bem mas gatinha que a japa, punho de ferro eeeeeerraaaaaaa!

      • Não tão magra quanto a Elektra.

        • Robin Hood

          Mas que ainda ganha da Mulher Magravilha!

          • JJota

            Hereges…

  • Ainda não acabei mas a minha decepção maior é o fato de não ter mostrado nada sobre kun lun e todo o lado místico do personagem que é, de longe, a coisa mais legal de PDF

    • MINTIRA. A reclamação é porque não é um japonês de Tóquio como protagonista. Tu não fala mal da JesssZZZZZica Jonessszz

      • MACHISTA OPRESSOR!

        • eu cretino

          Donald King para presidente dos Estados Enxutos da América

    • Vipo Free

      Acho que foi proposital, provavelmente sera a tônica da segunda temporada.

    • Robin Hood

      Liga não, que se você converter para word eles devem aparecer 🙂

      • eu cretino

        👏👏👏👏👏 merece cem aplicativos para converter nesses formatos

  • O_Comentarista

    Uma série que deveria ter as melhores lutas e elementos místicos se resume a um drama corporativo mexicano e um punho que só usa o poder pra quebrar portas.

    • E destruir um andar, não se esqueça.

      • Melhor parte da série! Pena que foi só uma vez. Maldito orçamento limitado de séries!

        • Gastaram todo o orçamento naquela cena…

          • Com certeza! Por isso o PdF acende poucas vezes o punho na série.

        • Robin Hood

          O que acabou foi o orçamento do Viagra pro punho ficar de ferro!

          • Prassodia. Um clássico

    • Resumiu PdF muito bem!

      Só nos resta torcer para que mostrem mesmo K’un-Lun numa segunda temporada.

      • eu cretino

        Que apareça o Kung lao na segunda temporada

    • Vipo Free

      Não achei a serie ruim, mas que o poder dele é um lixo é.

  • Anubis_Necromancer

    Fraca se comparada as outras.

    • Luke Cage e Jessica Jones tem pontos bem fracos também. Acho JJ com mais problemas que PdF.

      • Acabou que não escrevi o que de fato gostei na série. Se puder jogar um penúltimo parágrafo pra mim…..

        O diferencial para mim foi mostrar que existe dualidade em todos. O mundo é cinza, sem existir o bem ou mal absoluto. Madame Gao usando a verdade como arma e a virada da Joy Meachum, e o próprio comportamento do Punho, evidenciam isto. Ser bom ou mau depende da perspectiva e de seus interesses. E não é assim na vida real ?

      • JJota

        Eu gosto de Jessica Jones. Realmente, vale pela atuação bacana do Tennant como Killgrave. Ganha de Luke Cage, na minha opinião, porque acho o roteiro desta forçado demais (pqp, aquele lance do irmão incriminando ele foi de uma bosta sem tamanho!) e o protagonista merecia um ator melhor. Mas Jessica tem problemas comuns às outras séries da Marvel-Netflix: roteiro arrastado, coadjuvantes fracos e/ou desnecessariamente destacados (Karen page, na segunda temporada do Demolidor, foi um vacilo enorme) e tramas secundárias enfadonhas. Chega um momento em que ver, pela quinquagésima vez, a Jessica enchendo a cara fica cansativo…

        • O maior problema de Xessica Xones pra mim são os personagens coadjuvantes, que são ruins e totalmente descartáveis! Seria legal eles terem um melhor desenvolvimento, para gerar empatia, e ver o Killgrave torturando, abusando e matando todos eles, forçando a JJ a matá-lo snyderianamente no final.

          • JJota

            Sim, sim, SIM! MATE TODOS ELES KILLGRAVE.

      • eu cretino

        JJ? Pdf? São aplicativos novos ou integrantes novos no bde?
        Esses códigos que vcs usam……….

        • São seu pai e sua mãe, vestidos para o Baile dos Enxutos!

    • JJ é muito ruim. Só assisti até o final pois sou ranzinza para falar mal com propriedade.

      LC o protagonista quase mata tudo. O Boca de Algodão tão maior como ator ….

      • Vipo Free

        JJ curti bastante (killgrave acho melhor personagem e melhor poder de todo mcu ate agora), e Lc tambem estava curtindo, achava legal como o luke se preocupava com a comunidade e com a mensagem que estava passando, inclusive fez discursos muito bons, só o final com o cobra de cristal(era esse o nome? Não lembro) que destou bastante.

        • O que me prendeu em JJ foi o Killgrave mesmo. Não consigo gostar da atriz. Ela não atua , só é ela mesma. Daí rola o preconceito.

          Do LC os atores de apoio são muito bons, assim como a trilha sonora. De novo o protagonista não ajuda, mas o tal Cobra é um vilão decepcionante. .. ainda mais com o Boca de Algodão e suas nuances.

          Punho pra mim ganhou do LC por ser mais mediano no todo. Achei bem interessante a forma como lidaram com os Meachum e a dualidade. O fato do bem e mal não serem absolutos e o mundo ser cinza. Me ganhou aí

          • Vipo Free

            Putz não acho a xessica tão ruim.

        • Cascavel.

      • Robin Hood

        “JJ é muito ruim”.
        Pô…. o cara mal começou a trabalhar no baile e já vem neguinho querendo puxar o tapete! Ele nem sequer escreve tão mal quanto o Moe e ainda por cima sabe soletrar um pouquinho melhor que o Dadá! Se bobear, está no mesmo nível dos estagiários do UOL!

        Hein? Era outro JJ? Xiii, foi maus… 🙂

        • Xota xota é o outro. Rs

        • JJota

          Quando uma defesa lhe ofende, o que fazer?

          Obrigado?

      • JJota

        MAS COMO ASSIM EU SOU MUITO R…?

        Ah, você tá falando da Jessica Jones? Hum… Oi, King? Tudo bom? Bom dia pra você! Por favor, não pede pro Dadá me demitir…

    • Na média se comparada à DC

      • Anubis_Necromancer

        Não se for ver na plataforma na qual foi lançada.
        Afinal na Netflix eles “ousam” mais do que nos canais abertos da DC.
        Quando a Warner (Ou AT&T) lançaram canais de streaming ai sim a comparação será válida^^

        • Discordo totalmente! Independente de ter mais liberdade ou não, por causa de onde a série é exibida, tem de se saber jogar bem com as armas que se tem. Senão isso vira apenas desculpa para justificar a incompetência.

          • Anubis_Necromancer

            Mas se vc mostrar muita violencia na tv aberta, a censura cai matando.
            Diferente de uma tv pela net.
            O público ali é mais restrito.
            Peguemos como exemplo Orange is the New Black com o antigo The L Word, as cenas sexuais entre as duas são diferentes, pois são feitas em determinadas plataformas.

            Por isso nunca comparei Arrow com Demolidor, pois são duas formas de transmissão totalmente diferentes.
            Arrow poderia ser tão violento e adulto quanto o Demolidor, ou mesmo termos uma serie do Cão Raivoso tão sanguinária quanto a de um Justiceiro, mas há restrições para isso na tv aberta.