Porque não?

Olá enxutos! Vamos começar o ano com postão?

Depois da constatação que o filme da Liga “não deu Liga”, eu fiquei tentando entender como isso deu errado. Provavelmente a resposta mais correta seria ZACK SNYDER, mas isso é resumir, e muito, as razões para o DCU não ter tido bons resultados nas telonas.

Metade disso morreu. A outra metade deveria ter morrido…

Na minha opinião, o maior de todos os erros cometidos nesse projeto foi a falta de coerência entre os roteiros e a direção. Todos os filmes do DCU nos cinemas (Man of Steel, Batman VS Superman, Suicide Squad, Wonder Woman e Justice League) tinham boas ideias, mas com péssimas execuções. Algumas mudanças aqui e ali poderiam muito bem ter melhorado essas películas circunstancialmente.

E nesse PostE, em um exercício de pura imaginação  achismo, eu tento imaginar o que poderia ter sido feito para essa empreita ter dado certo. Sintam-se livres para dar ideias, xingar minha progenitora, ou falar abobrinhas nos comentários.

Recomendação do Sorg

Man of Steel.

1)Porque não SUPERMAN?

Para começar, o que mais me deixa puto em relação a esse filme é que Zack Snyder parece ter vergonha de dizer que é um filme do Superman. O nome dele só é citado uma única vez no filme, e com a desculpa de que “é como os solados o estão chamando”.

CARALHO! É o Superman, o maior herói de todos! Não é para ter vergonha de dizer que é um filme do Superman. Não é um filme ruim, muito pelo contrário, ele tem vários méritos. Só que muito pouco  no filme que te faz realmente sentir que esta vendo esse personagem épico na tela. É como se fosse um filme genérico do personagem, tipo brinquedo de camelô.

Se o filme do Superman fosse um brinquedo de camelô, esse seria o filme da Liga!

2)Jonathan Kent.

Esse personagem é um dos alicerces da história de origem do Superman. Eu mudaria toda a abordagem dele no filme. Talvez até o ator. Kevin Costner nos trouxe um Pa Kent totalmente diferente da sua versão clássica, e mudando esse personagem, você muda toda a questão da criação, dos valores, da própria personalidade do Superman. Jonathan Kent era um homem valoroso, e jamais iria admitir que matar crianças era uma possibilidade para se fazer um bem maior, e jamais, jamais, iria dizer que seu filho deveria deixar pessoas morrerem em nome de seu segredo.

Ao passar tais “lições” para seu filho, ele fez com que Clark crescesse com um senso de moral dúbio, e totalmente inseguro quanto ao seu futuro. Clark Kent  poderia ser  tímido, recluso, menos inseguro. Eu mudaria todas as cenas desse personagem, especialmente sua morte. Ao insistir que Clark o deixasse para morrer na cena do tornado, Jonathan ensinou  à seu filho que pessoas podem sim ser sacrificadas pelo seu segredo, pela sua segurança. Como você pode esperar que o Superman se torne um herói altruísta, se ele deixou o próprio pai morrer para não se expor ao risco de descobrirem seus poderes?

A morte de Jonathan Kent, como ocorreu no filme clássico de Richard Donner, e também nos quadrinhos, mostrou ao Super que apesar dos seus poderes, ele não é Deus, e que a vida é frágil e precisa ser preservada. Esse valor fundamental, o respeito a todas as formas de vida, é um dos pilares da importância que o Superman tem como herói.

3) Personagens Secundários:

Lois, Jimmy, Perry. Muitos personagens que fazem parte do legado do Superman foram drasticamente alterados em nome da visão que Zack Snyder tinha para seus projetos. Talvez nem tanto em MoS, mas em BvS isso foi gritante.

Perry (not) White foi diminuído demais, perdendo muito de sua carga icônica na história do Superman. Se “Pa e Ma” Kent são os pilares do personagem, Perry é seu farol, que serve para Clark entender a importância do que é  mostrar a verdade para os outros.

Outros personagens que foram ofuscados de forma drástica foram, o Dr. Hammilton, importante não só como ligação do Superman com as autoridades e ciêntistas do mundo, mas também com o Star Labs, e Jimmy Olsen, que teve uma morte ridícula e bem inútil em BvS (caso ninguém alguém não saiba, ele era o cameraman da Lois, morto no inicio do filme por ser um “agente da CIA”).

A falta de importância para esses personagens só mostram como o filme estava mais focado em mostrar as angústias e medos do Superman, um personagem que tecnicamente não teria essas características. A narrativa do filme em si, assim como os vilões, e a postura messiânica do personagem acabaram virando um monte de clichês e referências religiosas ao gosto do diretor.  Man of Steel é um filme que quis ser grande e complexo, quando só precisava ser simples e direto.

4) A morte de Zod.

Não vejo nada de mais nessa cena, desde que o contexto de muitas outros pudesse ter sido alterado. Se na batalha de Smallville e Metropolis, o Superman estivesse mais interessado em proteger as pessoas, salvar todos que pudesse, ao invés de reagir aos Kriptonianos, teríamos um impacto maior na morte de Zod, mostrando que Kal-el teve mesmo que cruzar aquela linha por conta da natureza implacável e belicosa do Genreal Kriptoniano. Seria justificável, e traria mais densidade emocional, especialmente para o personagem, e empatia com o público.

Batman Versus E Superman.

“-Não me toca!!!”-Minha mãe se chama Martha.- Me beija agora!”

Como começar a melhorar algo que nem deveria ter sido feito?

BvS é um erro desde a sua concepção até o seu triste fim. O filme sofre de problemas como péssima montagem e narrativa, não aproveitamento de personagens, e de um roteiro raso e as vezes tolo. Tem tantas coisas que subestimam inteligência da plateia, que fica difícil colocar em tópicos, por isso vou colocar um roteiro mais direto e simples. Se era o intuito desse filme apresentar o Batman para o Snyderverso, eu mudaria logo o título. De Batman VERSUS Superman, eu colocaria Batman E Superman. O roteiro principal seria um que muito me agrada, baseado no primeiro encontro dos personagens nas animações de Bruce Tinm, Batman E Superman: Melhores do Mundo.

Sinopse

Após MoS, o mundo esta em atônito por conta do surgimento do Superman. E também apavorado. Sem saber se podem ou não confiar no mesmo, o governo americano decide fazer engenharia reversa nos equipamentos alienígenas deixados em Metropolis, e Smallville, e duas empresas privadas se candidatam para essa tarefa: A Lex Corp e a Wayne Tech. Lex Luthor é um velho parceiro de negócios do governo americano, e conta com apoio do General Lane (pai de Lois Lane), para servir como consultor militar e o ajudar a ganhar essa disputa. Mas Bruce Wayne está disposto a ganhar esse contrato com Lex, não com o intuito de vender armas para o governo, mas sim de investigar o empresário. Ele tem investigado, como seu alter ego, o Batman, o surgimento de uma nova leva de criminosos que usam alta tecnologia em crimes, e se intitulam como INTERGANGUE, e suas investigações, levam diretamente a Luthor. Além disso, ele também quer saber mais sobre esse “Superman”, e se ele pode ser realmente perigoso ou não.

Essas seriam as motivações dos personagens e os plots do filme:

1) Luthor é um empresário que deseja usar a tecnologia Kriptoniana para criar armas e ganhar dinheiro. A princípio, ele não teria um ódio sem sentido pelo Superman. Em sua visão, as armas que ele quer criar são mais importantes. Se elas puderem matar o Superman, isso significa que ele teve sucesso. Não existe nenhum antagonismo, são apenas negócios. E continuo apostando em Mark Strong, como melhor aposta para um Lex de respeito.

2) Bruce e Lois já se conhecem, e existe uma sensação de que ele já tiveram algo no passado.

3) O Batman é mais um detetive do que um lutador. Investigando, se esgueirando pelas sombras, e usando sua já estabelecida lenda urbana para causar medo, e não cair na porrada ou dar tiros! Ele usaria um traje mais próximo das animações, e teria um ar mais frio e implacável do que Ben Affleck tentou passar, mas sem agir como um homicida.  Ele teria também uma mega armadura high-tech, mas ela não teria sido construída para enfrentar o Superman. Nesse filme, Batman teria desconfiança quanto as atitudes do alienígena mas não de forma paranoica e raivosa. E se pudesse ir além e escalar um ator, eu escolheria o Kevin Porter. Esse cara É O BATMAN!

Procurem os curtas desse sujeito no Youtube!

4) Lex Luthor teria uma armadura, mas não nesse filme. No final, quando ele começa a odiar o Super para valer, fica sugerido que ele vai começar sua transição de empresário inescrupuloso para gênio do crime, criando tecnologias para prejudicar o Superman pessoalmente. Nesse caso, eu o vejo se transformando no Lex Luthor da fase do John Byrne.

5) O vilão principal seria o METALLO. John Corben seria o líder da Interguange, que no filme se trataria de uma organização criminosa que faz contrabando de armas de alta tecnologia para criminosos. Após enfrentar o Batman (que o estava investigando graças a sua relação com Luthor), ele iria usar uma armadura tecnológica, feita com base na  engenharia reversa da armadura de Zod para lutar contra o morcego, forçando assim a intromissão do Superman. Além de servir como desculpa para juntar os heróis, também iria criar a situação em que Corben seria gravemente ferido, tornando-se o experimento de Luthor para criar um “Super Ciborgue” movido por Kriptonita (que nesse filme seria criação de Luthor). Fazendo ligação com outro personagem do universo DC, também poderia ser insinuado que o cientista chefe por trás do processo de criação dessa tecnologia cibernética seria o Doutor Silas Stone.

6) Toda a tensão entre Batman e Superman se resumiria quanto à Clark sentindo ciúmes de Lois e Bruce (e as piadinhas do filme também). Quanto ao conflito entre os heróis, eu faria com que ambos descobrissem as identidades secretas um do outro exatamente como o desenho que citei como base: Os dois se enfrentam inicialmente, Super usa sua visão de raios X para descobrir a identidade do morcego, Batman mostra um fragmento de Kriptonita, dizendo que Luthor tem muito mais e que o Superman tem que sair do caminho dele, e no final, Clark é seguido pelo Batman, que descobre sua identidade secreta. Nada de “MARTHA!”

7) No meio do filme, Lois descobre a ligação de Luthor com a Integuange, e acaba sendo alvo da organização, e é isso que leva ao conflito final entre Superman, Metallo, Batman e os capangas. Batman se encarrega de salvar Lois, e as lutas e combates entre Metallo e Superman substituiriam todas as cenas de destruição entre o Superman e Doomsday em BVS

8) Obviamente, não teríamos a Mulher Maravilha nesse filme. Explico melhor o porquê disso quando chegar no filme dela.

9) No final do filme, em uma cena pós créditos, Bruce tenta acessar os arquivos da Lex Corp com as características da tecnologia de Kripton, e ali surgem os vídeos com os membros da Liga, e  uma filmagem que mostra o Doutor Stone (e não Luthor) dentro da nave, vendo a projeção holográfica do Steppenwolf e das caixas maternas. Ficaria implícito que o bom Doutor usaria essa tecnologia para ressuscitar seu filho, Victor.

10) Cenas pós Créditos:

A primeira mostraria Bruce e Clark conversando, junto de Lois, e o morcego fala que talvez tudo que aconteceu  seja apenas o começo de algo maior, algo com poder para trazer grandes problemas para Terra. Bruce diz que seria necessário reunir os “outros” para impedir isso. O Filme terminaria com Clark perguntando “Que outros?” e Bruce se despedindo com um sorriso na face.

Uma segunda, mostra Luthor em de seu prédio, após receber a ligação de que o governo cortou todos os contratos militares após a reportagem de Lois Lane, em que é insinuado que suas armas eram usadas por organizações criminosas. O próprio General Lane diz ao careca que ele pisou na bola, e que a partir de agora ele usaria de métodos mais “competentes” para resolver o problema dos meta humanos. Nesse momento, surge o Superman voando em sua janela, e os dois tem um dialogo sobre a natureza de homens e deuses. Assim nasce a clássica rivalidade entre ambos.

Suicide Squad

Menos disso…

De todos…esse seria o que mais passaria por uma “plástica”. Primeiro que o filme todo está errado. Segundo por que…cara, o filme todo FOI errado! SS era para ser um filme de prisioneiros com superpoderes. Tipo os Doze Condenados (leitor, você não sabe que filme é esse? SEU BOSTA! VÁ IMPORTAR AGORA!) com monstros e vilões.

E mais disso!

A premissa básica seria que o Força Tarefa X era algo que sempre existiu no governo americano, mas que migrou para uma unidade especial para contenção de prisioneiros meta-humanos. Essa nova modalidade de criminosos tem surgido com frequência, sempre sendo mantidos em segredo da mídia e do grande público, mas depois do surgimento do Superman, a merda toda foi parar no ventilador. A FTX não teria sido criado para conter o Superman, mas sim para reunir todas as essas aberrações que com o surgimento do azulão, ganharam a luz do dia. E agora, ela estaria sobre o controle de Amanda Waller, trabalhando com uma iniciativa do Pentágono chamada de CADMUS, criada e liderada pelo General Lane, após o fiasco de Metropolis (BVS).

A equipe reuniria super criminosos que não teriam condições de serem colocados em instalações prisionais convencionais, e que teriam um alto custo para se criar instalações especiais (Arkham só existe porque o Bruce Wayne banca! Nenhum contribuinte gostaria de saber que o dinheiro público está sendo usado para virar jantinha para o Coringa!).

Nesse contexto, Waller iria criar sua equipe para missões especiais de alta periculosidade, e se desse merda a desculpa pronta era de que “ah cara, eles são vilões. Não tenho nada a ver com essa merda!”.

1) Eu usaria as primeiras histórias dos quadrinhos como base: Rick Flagg se apresenta a Amanda Waller (no filme, a mando do General Lane) para servir como consultor militar da equipe. Eles formulam uma equipe de descartáveis para realizar uma missão em específico.  Os integrantes seriam o Capitão Bumerangue, katana, Pistoleiro (que não seria negro, não tem essa necessidade), Tigre de Bronze (esse sim é negro porra!), El Diablo (mas sem aquele lance piegas de família, please), Crocodilo e a Arlequina. A missão dada é encontrar o Coringa, porque ele roubou um artefato militar de suma importância, e que Waller quer de volta.

2) A Arlequina teria sido adicionada a equipe porque ela entende o modus operandi do Coringa, mas na verdade, ela estaria mais interessada em voltar para o seu “pudinzinho”, e com certeza Waller sabe disso. Traição é algo normal numa equipe que se auto intitula Esquadrão Suicida.

3) Sim teríamos os explosivos implantados nos prisioneiros, e não, o controle não ficaria com Flagg. Ele não sabe a principio, mas no meio do filme, ele descobriria que também tem um implante cortical, e que na verdade era tão descartável quanto os outros.

4) A “arma em questão” é um agente químico poderosíssimo, e o Coringa iria altera-lo para criar uma versão nova e mais poderosa do seu gás do riso. O intuito dele é liberar esse gás não em Gotham, mas em um pais qualquer do mundo, e que se não lhe deram muito dinheiro, e um jantar com Kim Basinger (porque os nerds amam referências) ou ele vai usar a porra toda!

5) Um monte de gente morre. A lista dessas mortes é…

El Diablo: Waller o explode quando ele se recusa a matar inocentes para conseguir capturar o Coringa durante o filme. Consertando algo que foi até coisa boa no filme que foi lançado, El Diablo era realmente o único vilão arrependido de verdade.

Capitão Bumerangue: O coringa o mata dizendo: “Sério? Bumerangues? Amigo, eu sou vacinado contra essas coisas! HAHAHA!”. A ideia é que isso abra espaço para o surgimento de outro Capitão Bumerangue nesse DCU, muito provavelmente seu filho, em algum filme do Flash.

Katana: Ela enfrenta os capangas do Coringa, mas evita usa força letal, deixando os inimigos incapacitados. Durante a situação em que se segue a morte de El Diablo, ela some, e Waller também aperta seu botão da morte.

Tigre de Bronze: o Pistoleiro o mata por uma disputa quanto a liderança. O Tigre acreditava que Flagg tinha os códigos de segurança para desarmar as bombas corticais e incita o grupo contra o militar, mas o Pistoleiro sabe que se a missão falhar todos vão morrer, e resolve a questão com um balaço na testa do assassino.

6) Existe uma tensão sexual entre a Arlequina e Flagg, mas sem romance. Ela quer apenas tentar usa o soldadinho para causar ciúmes no Coringa e roubar informações sobre como fugir do esquadrão.

7) A razão para Harley estar puta com o Coringa, é que para alterar o gás roubado do governo ele foi buscar a ajuda da HERA VENENOSA. Ela é o verdadeiro perigo físico do filme, com sua habilidade de controlar plantas.

8) No clímax do filme, teria uma grande sequencia de ação, além de uma luta entre Flagg e o Coringa. Que daria uma mega surra no militar. O Joker seria detido por Harley, ao perceber que o Coringa não estava interessado em Hera, mas também não tinha interesse em salvá-la. No fim, o Esquadrão consegue prender o palhaço, mas Harley consegue fugir.

9) No final, seria revelado que Waller não queria o gás experimental apenas, e sim o próprio Coringa, por um simples detalhe: ela tem informações de que o Palhaço sabe qual é a verdadeira identidade do Batman. Em uma sequência final, seria mostrado todos os aparatos para o interrogatório do Coringa, com drogas, sedativos e instrumentos de tortura. E uma das enfermeiras na sala seria na verdade Harley disfarçada, deixando implícito que eles irão escapar dali (e matar todo mundo, lógico).

10) cenas pós créditos: uma primeira, mostra Flagg conversando com Waller sobre o fato dele também ter um explosivo implantado. Waller aperta o botão e nada acontece. Ela lhe diz que para liderar uma equipe de condenados, ela precisava de um criminoso, não de um soldado. Fazê-lo acreditar que estava no mesmo nível deles, era a melhor maneira de lhe transformar no líder do grupo. Ele não gosta da resposta, mas concorda com os métodos de Waller, e diz que ela era uma pessoa com quem ele poderia trabalhar, por sua dedicação para com a missão. Ele se sentam em uma mesa, e vem imagens de possíveis novos membros do grupo, entre eles, surgem imagens do Exterminador, da recém capturada Hera Venenosa, do Parasita, e do Capuz Vermelho!!!

Já na segunda vemos o paradeiro da Katana, onde ela se encontra com um homem no porto de Gotham, que lhe pergunta sobre o “relatório da missão”. Esse homem é Matches Malone (o BATMAN PORRA!) e ela lhe diz que a missão falhou, pois o Coringa fugiu de Belle Reeve. Ele refuta dizendo que Waller nunca poderia controlar o Coringa, e que as informações que ela conseguiu foram valiosas. “Se Waller está criando sua equipe de Renegados, talvez seja a hora de criar a nossa também”.

Wonder Woman.

Maravilhosa mesmo!

De todos os filmes da DC, ele é o que menos precisa de correções. Eu apenas mudaria o seguinte:

1) Contextualizaria  que o surgimento do Superman a fez ver que a nova era dos heróis tinha retornado, e que ela poderia ter mais fé na humanidade a luz dos eventos que virão. O filme ainda se passaria no período da Primeira Guerra, mas teria uma introdução maior, mostrando Diana em seu cotidiano atual, como restauradora de obras de artes na Europa. Ela veria as notícias sobre o Superman, sobre os eventos de BeS, e começaria a pensar sobre seu período recluso, agindo nas sombras, e em como talvez seja o momento de voltar para luz.

2) Ares. Ao invés de um cosplay do Magneto, eu colocaria a versão clássica do Deus da Guerra, com uma porradaria frenética. Ares seria um gigante, com sua armadura e armas, e o combate entre ele e Diana seria brutal. No final ela consegue derrota-lo, e ele explica  antes de desaparecer (não se sabe se morto ou não) que só um deus pode derrotar outro deus, e a congratula por mostrar ser muito mais uma guerreira do que uma pacifista.

3) A ideia do Deus da Guerra ser o grande mestre por trás da Primeira Guerra Mundial seria explorada de maneira mais adulta e dramática. Diana dizendo para os outros que se Ares fosse derrotado, todo o conflito acabaria e o mundo seria alegria e amor, é ridícula. Ares iria quebrar a fé de Diana não nos homens, mas sim nos deuses. Ela veria que os humanos tem um grande potencial para o bem, mas em muitas situações os deuses, por orgulho ou interesses mais sinistros, manipulavam sua existência. Isso serviria para ela se tornar uma defensora mais ferrenha do mundo dos homens. Eu não a colocaria “escondida” no meio da humanidade por quase um século se ela estava em crise com a mesma, como no roteiro de BVS.

4) E no final, uma das ajudantes de Ares (a cientista que criou as armas químicas) na verdade se revelaria como a feiticeira Circe. Após séculos, ela decidiu aprender a ciência dos homens, para assim combinar esse conhecimento com sua magia. Diana iria atrapalhar seus planos de dominação ao deter Ares, e assim se iniciaria a rivalidade entre ambas.

5) Menos tempo de tela para Steve Trevor. Muito menos. E ele não morreria no final. Apenas ficaria paraplégico, e viveria até seus últimos dias ao lado de Diana.

E finalmente o filme da liga….

MAS NÃO NESSE POST!

Vou deixar esse para a próxima semana! E sejam bem vindos a 2018 cambada!

E vou ali!!!

 

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1