Na edição anterior (resenha aqui) vimos os Surpreendentes X-Men irem ao reino do Rei das Sombras (no plano astral) a fim de confronta-lo. O que eles não sabem, é que são peças de um jogo disputado entre Amahl Farouk e Charles Xavier, o Professor X.

No plano astral, o Velho Logan, Vampira, Gambit, Fantomex e Fera assistem uma peça teatral dos X-Men apresentada por Jamie Madrox, o Homem-Múltiplo. Na verdade, tudo não passa de uma ilusão que encobre uma disputa entre o Rei das Sombras e Charles Xavier (que está aprisionado). Farouk diz que acha que conseguiu pegar Fantomex, mas Xavier diz que ele se faz de bobo, mas é habilidoso. Farouk diz que sabe, mas afirma que é isso que torna tudo divertido: eles serem como minhocas no anzol que se contorcem sem saber do fim que as espera. Farouk diz que Xavier os conhece, mas isso não quer dizer que ele será capaz de acordá-los. Xavier diz que agora é a sua vez de jogar.

Corta pra Londres: no prédio destruído na edição anterior, Psyloke explica a Bishop e Anjo que se os X-Men não conseguirem quebrar a ilusão no plano astral, eles acordarão no plano físico sob o domínio do vilão. Bishop diz que aquilo foi uma má ideia e pede que ela os traga de volta. Psyloke explica que eles já estiveram no plano astral antes e que se eles conseguirem passar do primeiro estágio, ela poderá guia-los até o Rei das Sombras. Derepentemente, um helicóptero do Ministério de Defesa se aproxima deles. Ele reporta ao Centro de Comando de Crises Super-Humanas que os indivíduos no prédio estão parados desde que a manifestação da aranha desapareceu.

Recomendação do Sorg

O comandante manda eles ficarem de olho e os manterem informados. Um superintende informa que a evacuação está quase acabada. O comandante diz que os arquivos dizem que aqueles oito indivíduos são heróis, mas que também há relatos de que cada um deles já agiu ocasionalmente de forma questionável ou maligna. Ele se indaga o que eles seriam naquele dia. O superintendente pergunta o que ele vai fazer. O comandante diz que aqueles X-Men vieram a cidade deles, estiveram envolvidos em um ataque psíquico que quase destruiu o distrito deles e agora, eles simplesmente se sentam sem explicar nada e deixando a bagunça deles para eles limparem. E finaliza: “Superintendente… o que acha que eu vou fazer agora?”.

No plano astral, os X-Men assistem à peça, mas notam, que alguns dos eventos mostrados nela estão errados. Na verdade, essas mudanças são um ardil de Xavier para que seus alunos percebam que estão numa ilusão. Farouk pede que Xavier considere que mesmo que ganhe dele ali, estará apenas adiando o inevitável e pergunta por que não os deixa morrer logo antes que o terror comece. Xavier responde que eles já foram seus alunos e amigos e prefere outro caminho. Enquanto isso, os X-Men se libertam das ilusões do Rei das Sombras. Logan dá uma farejada no Fera e descobre que ele é a Mística disfarçada. Ela explica que está ali para impedir o Rei das Sombras, por que não quer que sua maldade infecte o mundo e por que conhece todos eles e sabe que nenhum deles é capaz de impedi-lo. Por isso, ela disse que teve que se envolver e usar a Forma do Fera, pois eles jamais aceitariam a sua ajuda.

Entonces, o cenário muda e diante deles, surgem três portas marcadas com os rostos de cada um. Relembrando os acontecimentos, eles chegam a conclusão de que havia mais alguém além do Rei das Sombras e que esse outro alguém os ajudou a se libertarem. Eles finalmente entendem que são peças numa competição e se indagam que os teria ajudado. Gambit dá uma “forcinha” pro Fantomex atravessar a sua porta (que é a mesma da Mística). Xavier e Farouk observam os outros X-Men atravessarem as suas portas. Xavier pergunta a Farouk se ele irá honrar os termos do acordo se ele ganhar. Farouk “ofendido” diz que sim, pois se ele não fizesse assim, Xavier nunca mais jogaria com ele. O acordo é: Se Farouk ganhar, as almas dos X-Men serão dele e seus corpos seus recipientes; Se Xavier ganhar, ele poderá matá-los e conceder a eles a piedade que ele jamais daria. Por fim, Xavier diz: “Sim. Obrigado. Afinal, eles são meus X-Men. Estamos todos juntos nisso.”. Fim de papo. Vámonos as análises e considerações?

O argumento de Charles Soule continua bom, porém, cheio de furos. Como é que em uma equipe com um telepata experiente e um “Wolverine” eles não descobrem que é a Mística disfarçada de Fera? E outra: como é que ela ainda continua com a forma do Fera no plano astral? E mais outra: como é que Logan consegue farejar no plano astral? Pois é… muita coisa errada. Fora isso, a história se manteve interessante. Nota 7,0.

A arte dessa edição ficou a cargo de Mike Deodato Jr. e ele fez um bom trabalho. Gostei das páginas duplas que formam uma só e mostram os acontecimentos de forma dinâmica, das sombras onipresentes que mostram ao leitor em que lugar os X-Men estão e do traço mais sujo de Deodato. Gostei também do trabalho do colorista Frank Martin. Nota 8,0.

Bem, Enxutada… tá aí a Resenha Enxuta de Antônio XisMen Astonishing X-Men #02. O que acharam dessa bagaça? MIMIMIzem aê nos comentários. Apesar dos furos já citados, gostei da maneira como Soule conduziu a história e de como ele “cutucou” os relacionamentos amorosos de alguns personagens. Outra coisa: esse Xavier acorrentado no plano astral… o que vocês acham que isso significa? Será mesmo que Farouk aprisionou a forma astral de Xavier?

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1