image

A segunda hq mais votada na última semana, finalmente ganha a sua resenha. E de brinde, vamos de duas em um, afinal não escrevemos sobre a edição anterior. Então, clica aê e veja a Resenha Enxuta: Avengers #22-23….

Salve, salve, caros Enxutos! Caso esteja lendo estas mal traçadas linhas, muito provavelmente já sabe do que se trata. Entretanto, se não viu ou não leu, reveja aqui e aqui as resenhas anteriores onde explicamos melhor o que está rolando nesta saga.

1
Entonces, sem mais delongas, aos spoilers. A história começa na Nave Imperial Lilandra com o Míssil dando uns pegas na Smasher e sendo ‘descoberto’ pelo Mancha Solar. Rola umas brincadeiras, do tipo o Roberto dizer que são traidores e Smasher retrucar que iria resolver com o Mancha depois, em seu quarto. De fato, o o trio está lidando com a situação da maneira que podem, na expectativa do que encontrarão no retorno à Terra. Em Titan, dois guardas conversam sobre a necessidade de enfrentar uma verdadeira presa e não ficar caçando pequenos animais. De repente, um deles é atingido por algo e cai. São os Vingadores liderados pelo Falcão. O primeiro foge, mas os heróis nada fazem. O Falcão quer que Thanos saiba sobre a invasão ao seu lar.

2
Corta a cena e estamos na Peak (o bendito satélite da SWORD), dominado pelas forças de Thanos. Black Dwarf, um dos generais que tentara inicialmente tomar Wakanda, falhara e caíra em desgraça com Thanos, fica com a responsabilidade de evitar com que os heróis retomem a Terra. Pelo relato, Thanos o ordenara a ficar naquela posição, justamente após receber o chamado de Titan. Quando um dos lacaios do “Anão Negro” alega que seria uma boa oportunidade para recuperar a moral perdida pelo fiasco anterior, o vilão desfere um golpe com sua clava, detonando o infeliz…

3
De volta a frota, Capitão Evans recebe uma atualização via comunicador com o Tony Cachaça sobre o status da Terra e os objetivos de Thanos. Capitas informa as demais que o Titã Louco fora para a Terra com o intuito de cometer um infanticídio justamente para poder matar seu filho. Considerações a parte, o fato é que Peak é um problema devido ao seu poder de fogo, mas o Capitão e os terráqueos consideram ter vantagens sobre os inimigos por conhecerem melhor a estação por dentro. Os Aliados do Conselho se põe a disposição para ajudar com a Estação Espacial, enquanto Capitas e os demais cuidam dos problemas no planeta. E assim, Capitas traça um plano de ação para o ataque final.

4
Fechando a edição. Manifold se mostra extremamente sem confiança, diante do cansaço dos heróis e as forças de Thanos estarem relativamente mais preparadas. Capitão Evnas e ‘Maria Gadu’ Marvel tentam levantar a moral do australiano, dizendo que precisa cumprir com sua missão. Evans afirma não acreditar em destino ou em jornadas heroicas. O lance é a que isto é a vida e a forma com que escolhemos viver. Portanto, cumprir sua missão e fazer o melhor é o que todos esperam. Quando a dupla de capitães sai, eis que surge Thor e contradiz o mencionado pelo Capitão. Thor acredita que toda a a vida de Manifold fora direcionada para este momento, assim como a dele. Que o universo conspirara para colocar o destino em suas mãos, um teste de titãs. Ambos nasceram para aquilo. E termina perguntando se está pronto para ensinar a mais velha das lições…

5
Edição #23. Novamente o contato entre Capitão e Tony Cachaça. De forma descontraída, Stark se mostra ‘constrangido’ por tudo que acontecera desde a saída dos Vingadores, meio que comparando a situação a uma criança que ficara sozinha em casa e fizera a maior bagunça. Tony afirma que Thanos tivera acesso a armas de destruição em massa, mas isto ficará a cargo dele e ‘de outros’, deixando para Steve as coordenadas do alvo primário, Thanos, que fora encontrar seu filho.

6
Próximo a Terra, Capitão conversa com os demais sobre ter enviado um sinal quando em Titã, na expectativa de conseguir um auxílio de dentro da Estação (é mostrado o Starlord e o Guaxinim esgueirando-se, aludindo a esta edição dos Guardiões). A ideia é que consigam baixar as defesas da Peak por dentro, evitando assim a necessidade de enfrenta-los diretamente. Recebem o sinal de que o grupo está ‘dentro’ e decidem atacar.

7
Entretanto, as coisas vão pior do que imaginaram, com pesadas baixas para os aliados. Sem novo contato por parte do grupo ‘de dentro’, Capitão ordena que Manifold e sua equipe entrem na Peak.

Com a confirmação de que o novo grupo está dentro, Capitão agradece aos demais membros do Conselho Intergaláctico por tudo que fizeram até então. Os Vingadores estão de partida para a Terra, deixando alguns de seus membros para tentar retomar Peak das mãos dos vilões. O Capitão Skrull diz que ainda é cedo para agradecer, pois ainda não mereceram as congratulações. Pede para guardar estes agradecimentos quando tiverem vencido….

8
Na Peak, Viúva, Shang Chi e Manifold seguem na missão e acabam descobertos pelo Black Dwarf e suas tropas. O pau come solto e, com grande desvantagem em poderio e números, os heróis pedem para que Manifold volte a nave imperial Shiar e busque reforços. Ao chegar, Capitão e os demais já se foram… mas não os generais do Conselho. E estes vão lá apoiá-los.

9
Fechando a Resenha. Blac Dwarf fica ‘feliz’ por este desafio e alega que não passam de apenas líderes que não metem mais a mão na massa. Consegue confrontá-los de igual para igual, conseguindo até mesmo desferir um poderoso soco nas fuças do Capitão Skrull. Entretanto, são muitos até para o General de Thanos. Quando o ‘Anão’ os pergunta sobre quem são eles para julgá-lo como sendo vilão, pois são líderes de impérios e com que tipo de pessoa teria um poder assim para fazer este julgamento, Ronan diz que ele assim o faria e …

10
A hq termina com o Gladiador afirmando que permanecerão perseguindo as naves inimigas para que estas fujam, enquanto os Vingadores retomam a luta pelo seu planeta.

11
E, como habitual, as análises dos rabiscos, desta vez a cargo de Francis Yu. Como viso nas edições anteriores, o artista mantem o padrão de alta qualidade de em cenas abertas, especialmente aquelas batalhas espaciais. Um traço um tanto sujo combina de forma interessante com o enredo, assim como a boa escolha de cores. Como pontos fracos, algumas expressões e os ‘cabelos’ esquisitos em poucas cenas. Yu também possui uma tendência a rabiscar o ‘pandeiro’ das mulheres em posições de difícil representação na vida real, mas que realça o tamanho da ‘poupança’. Em linhas gerais, é um trabalho razoável. Não ajuda muito e não atrapalha, sendo isto um bom sinal.

O enredo de Jonathan Hickman, realmente, conseguiu prender a minha atenção. A saga cósmica que parecia ser a principal ficou como um ‘segundo plano’ neste momento, voltando mais uma vez para a Terra e a situação do Thanos. Na prática, estas duas edições prepararam o terreno para a volta dos Vingadores e em como lidarão com a situação do Titã Louco, ficando o clímax para a última edição (Infinity #6). Aqui, a depender do fechamento, pode ficar um encerramento curto, mas não irei pré-julgar antes de ver como será este capítulo final.

Pela grandiosidade do arco, até que o desenvolvimento está muito bom, fechando as pontas de forma satisfatória. Aparentemente esta terá um papel de mudar mesmo o status quo do Universo Marvel, implicando no surgimento dos Inumanos aos borbotões e gerando uma nova dinâmica, principalmente para os mutantes.

Enfim, surpreendentemente bom para uma megassaga mainstream. Não ofende tanto sua inteligência e tem seus momentos. Sim, vale a pena acompanhar a despeito do início preocupante.

Nota 7,5

E a enquete da semana, non se esqueçam!


Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1