Resenha atrasada. Problem?

We shall fight on the beaches, we shall fight on the landing grounds, we shall fight in the fields and in the streets, we shall fight in the hills; we shall never surrender!”

Em maio de 1940, aproximadamente 400 mil soldados aliados foram cercados por tropas alemãs nas praias de Dunkirk ao norte da França. Winston Churchill, Primeiro Ministro britânico, categorizou o ocorrido como um desastre militar colossal. O cenário era catastrófico e a previsão inicial era de resgatar apenas 45 mil soldados, porém, entre 26 de maio e 04 de junho, mais de 300 mil soldados foram salvos do cerco alemão contrariando a desgraça aparente do cenário e dando origem, setenta e sete anos depois, a Dunkirk, escrito e dirigido por Christopher Nolan.

Aula de história dada, logo de cara Dunkirk se destaca por ir completamente na contramão do estilo de Nolan. Não há um protagonista cativante e muito menos os extensos diálogos for dummies que a todo momento explicam o que está acontecendo na trama (oi Jonathan Nolan. Também estou falando de você e Westworld). A narrativa é quase toda visual (nada mais óbvio para um filme de / sobre guerra) e os poucos diálogos em cena são certeiros: extremamente precisos, concisos e afiados. Sobre um protagonista que carrega o fio da meada nos ombros, não há um específico. Mesmo contando com um elenco de peso (Mark Rylance, Cillian Murphy, Tom Hardy, James D’arcy e Kenneth Branagh) o ponto central de Dunkirk fica por conta da frenética história e transforma o excepcional elenco em uma sólida base para a trama.

Esq – Dir: Cillian Murphy, Barry Keoghan, Harry Styles, Kenneth Branagh, Fionn Whitehead, Emma Thomas (produtora), Christopher Nolan, Jack Lowden, Aneurin Barnard, Mark Rylance e James D’Arcy

Falando sobre a trama, ela se divide em três focos: Molhe, Mar e Ar. Passados em momentos cronológicos distintos, em algum ponto essas três histórias se encontram de maneira sutil e formam o quebra cabeça narrativo do filme. Em Molhe a atenção é voltada para Tommy (Fionn Whitehead), soldado britânico tentando de qualquer forma um lugar na desesperada evasão da praia francesa. Mar foca na pequena embarcação civil do Sr. Dawson (Mark Rylance) e seu filho Peter (Tom Glynn-Carney), convocados pela marinha para auxiliar a retirada das tropas encurraladas. E por fim, Ar nos mostra Farrier (Tom Hardy) um piloto de Spitfire provendo cobertura para os soldados em terra. Nos três focos a narrativa impressiona e os momentos de alívio são escassos mas há dois momentos de “tranquilidade” quase poética que são tão emocionantes que enchem os olhos de lágrimas.

Pontuando tudo isso, temos a trilha sonora de Hans Zimmer, parceiro de longa data de Nolan que mais uma vez apresenta um trabalho simplesmente incrível, marcante e bastante agressivo.

Dunkirk é um filmão. Simples assim. Muito bem dirigido, excelente atores, trilha sonora fantástica e um acerto na mira de Christopher Nolan que foi contra seu way of make movies e criou um novo clássico da Segunda Guerra que, ao contrário do que dizem os “especialistas de plantão”, ainda tem excelentes (e tristes) histórias a serem contadas.

  • eu cretino

    “Mesmo contando com um elenco de peso (Mark Rylance, Cillian Murphy, Tom Hardy, James D’arcy e Kenneth Branagh)”
    Só tem buchas nesse elenco.

  • Bizarro

    Sem Aces High no final do Post? Ce já foi melhor Sorg (brinks cara haha).

    • Porra, passou batido mesmo. Shame on me 😀

      • eu cretino

        Faz resenha sobre MÃE

        • Não vi ainda

          • eu cretino

            Então veja e faça uma resenha Pra nóis

  • JJota

    Dunquerque é um dos mistérios militares perenes da História: os ingleses estavam lá, prontinhos para serem destroçados. E os alemães diminuem o ritmo, praticamente oferecem aos caras a chance de escapar… Muitos militares alemães ficaram fulos da vida, pois acharam que ali perderam a chance de varrer o exército inglês do mapa e, dessa forma, coroar uma temporada de vitórias espantosas e,praticamente, ganhar a guerra.

    Engraçado que, décadas depois, os EUA fizeram a mesma coisa na Tempestade do Deserto: há quilômetros de Bagdá, simplesmente pararam e deixaram o Saddam lá no poder, depois de juntar uma super-coalizão para enfrentar o cara. Bush alegou que foi avisado pelos seus “aliados” que tirar o Hussein do poder não estava nos planos.

    • Li uma teoria em algum lugar que a cúpula alemã planejava um acordo para o fim da guerra. Procede?

  • Canoa Furada

    No SyFy passou um filme simulando documentário de guerra com invasão marciana. Um pouco mais real que Dudink apenas.

    Mas é um filmão mesmo!

  • O Pistola Polvo Aranha

    Dunkirk, a heródica história de um pessoal fugindo com o rabo entre as pernas.

    • Frogwalken

      Eles tinham só duas opções:

      Ou usavam a TÉCNICA SECRETA DA FAMÍLIA JOESTAR ou PAGAVAM DE 300 DE ESPARTA.

      • O Pistola Polvo Aranha

        Seria minimamente heroico se usassem a tática 300.

        • Frogwalken

          Nesse caso é mais válido ser um Covarde Vivo que um Herói Morto.

    • O_Comentarista

      Antes um covarde vivo que um herói morto.

      Se os alemães não tivessem ficado com o clima de já ganhou, teriam feito estragos nessa região.

      • Glaydson Melo

        “Melhor escapar fedendo do que morrer cheiroso” (Falcão)

    • JJota

      Uma prova de que a História é escrita pelos vencedores…

  • Anubis_Necromancer

    Para aprendermos a nunca iniciar uma guerra, achando que soldados são apenas “números”

    • Frogwalken

      E se for iniciar, no mínimo uma Avaliação Correta do Inimigo.

    • O Pistola Polvo Aranha

      Afinal gente como o Inferno vale por 2 ou até 3 pessoas.

  • Frogwalken

    ” Falando sobre a trama, ela se divide em três focos: Molhe, Mar e Ar

    Eu li ” Moe, Mar e Ar ”

    Em Moe , temos um menino QUE FOI TRANSPORTADO PARA UMA GUERRA DO CARALHO ONDE AS ARMAS DE FOGO FAZEM AS LEIS! ELE ESTAVA JOGANDO E AGORA ESTÁ NESSE LUGAR! E O PÔSTER DA GWEN PUTA NA MÃO DOS OUTROS SOLDADOS TEM QUE ATURAR! LEI DAS ARMAS! SEGUNDA GUERRA! LEI DAS ARMAS! SEGUNDA GUERRAAAAAA!

    LÁ VEM OS ALEMÃES E AS MÚMIAS!

    • Robin Hood

      Quando viram o Moe pela frente, os alemães perderam toda a vontade de lutar e foram correndo procurar uma latrina para ficarem vomitando por 3 dias.