A Geração X está de volta e com ela, alguns velhos conhecidos. Bora conferir?

No Central Park, Jubileu e Câmara estão procurando Shogo, o filho aditivo de Jubileu. Eles acham a criança e se despedem. No caminho para o Instituto Xavier de Educação e conscientização Mutante, Jubileu pensa em quanta coisa mudou desde quando eles eram estudantes. No instituto, Phoebe (uma das Irmãs Cuco) tromba com o aluno recém-chegado Nathaniel Carver (aka Retrospectiva). O poder psicométrico dele faz com que ele vislumbre algumas memórias de Phoebe. Ela fica meio bolada com o poder dele, mas depois fica de boa e apresenta a ele Benjamin Deeds (aka Morpho), o seu colega de classe.

Jubileu entra na sala de Kitty Pride se desculpando pelo atraso. Kitty diz que não sabe aonde estava com a cabeça quando aceitou ser líder da equipe e se tornar diretora do Instituto. Papo vai, papo vem e Kitty pergunta se mesmo com tudo o que está acontecendo, Jubileu está mesmo pronta para aquilo. Ela responde que tá de boa, nervosa, mas se sente pronta pra mostrar e ensinar para os alunos o que é preciso para ser um X-Men. “Hã… sobre isso…” – diz Kitty. Corta pra Retrospectiva (codnomezinho escroto) e Morpho: eles estão mimizando sobre Phoebe quando derepentemete, Morpho se “morfa” e assume a aparência do amiche. Entonces, como é de prache em qualquer escola/instituto dos X-Men, uma parede é derrubada por que alguém foi arremessado através dela.

Descobrimos então que quem arremessou Roxy Washington (aka Bling!) foi Quentin Quire (aka Kid Ômega). O motivo? Ela “relou” no sapato caro dele (mó VIADÃO você, Quentin!!!). Garoto-Olho e Garota Natureza entram na treta. Durante a porradaria, um lustre está prestes a cair sobre Quire, mas o safado é salvo por Retrospectiva. Ao invés de agradecer ao cara, Quire dá um soco nele e com esse contato, o poder psicométrico faz com que ele veja algumas lembranças dele. É claro que Quire fica fulo e quando ele vai atacar Retrospectiva, Bling! e Garota Natureza o derrubam. Kitty aparece e com esse singelo aviso, convence Quire a ficar no chão: “Levanta e meu pé entrará no seu rabo.”.

O Garoto-Olho olha pela janele e pensa ter visto algo, Retrospectiva diz que já viu o bastante e decide meter o pé, Jubileu resolve deixar tudo para o dia seguinte e dispensa a turma e Kitty diz pra Quire ficar. Ele diz que vai pagar pelos os reparos, mas Kitty diz que se ele quiser ficar, vai ter que provar isso limpando o estrago que causou. Jubileu vai atrás de Retrospectiva e apesar de tentar convencê-lo a ficar, o cara diz que ali não é o lugar dele. Jubileu olha os outros alunos e mimimiza mentalmente que apesar de não saber o que está fazendo ou falando, já ouviu aquilo antes. Ela lembra do que Câmara falou: “Ninguém quer ficar sozinho, nem mesmo nós monstros.”. Jubileu vai atrás de Retrospectiva e diz que a razão dela ter ido para o instituto, foi porque não pertencia aonde estava e apostava que o mesmo servia para ele.

Enquanto os estudantes mimimizam entre si, o Garoto-Olho olha para o grupo da Tour (eu falei que a Kitty estava promovendo um grupo de Tour teste no instituto?) e percebe que algo está errado. Jubileu conversa com Retrospectiva tentando convencê-lo a ficar. O Garoto-Olho grita: “Jubileu! Tome cuidado!”. O grupo de Tour tira as suas roupas e se revelam serem os Purificadores. Eles sacam armas e gritam: “Vamos expurgar a Terra da praga Mutante!”. A história continua, mas chegamos ao fim dessa primeira edição de Geração X. Vámonos as análises?

O argumento de Christina Strain não convence. A história na minha opinião de merda é chata e sem sal. A equipe tem alguns poucos bons personagens que seriam melhores aproveitados em um título relevante e com uma equipe criativa melhor. Nota 4,0.

O desenho ficou a cargo do Brasileiro Amilcar Pinna e sinceramente, não gostei do trabalho dele em Geração X #1. Já vi desenhos melhores desse artista em outros títulos e na página dele no Deviantart. Nota 4,0.

Bem, Enxutada… taí a Resenha Enxuta de Geração X #1. O que acharam dessa bagaça? MIMIMIzem aê nos comentários.

Olha… eu não gostei mesmo dessa primeira edição de Geração X. A primeira versão dessa equipe era bem mais ou menos (mais para menos do que para mais) e sinceramente, não merecia uma segunda versão. Jubileu para mim, só teve alguma relevância quando surgiu em Uncanny X-Men, na equipe azul original e na revista solo do Wolverine. Jubileu não cresceu ou se desenvolveu como personagem e em tempos mais recentes, foi transformada em Vampira e tem um filho adotivo. Essas, foram algumas tentativas frustradas de tentar torná-la uma personagem diferente e relevante… e agora, estão tentando novamente em Geração X. Será que conseguem? Acho que não, heim?

  • Daniel Gonçalves de Amorim

    É… foi… simpático. Pelo menos Kitty Pryde foi melhor escrita aqui do que pelo Guggenheim. De resto foi a apresentação de um monte de personagens que ninguém se importa de verdade, mas os escritores são obrigados a segurar por “representatividade”. Sério, porque não formam logo e só não ficam fazendo gerações de personagens genéricos? É muito mais simples.

  • Fernando

    Mais um título cancelado em 3… 2… 1…

    • Podes crer!

  • JJota

    No Central Park, Jubileu e Câmara estão procurando Shogo, o filho aditivo de Jubileu.

    Parei aí e fui pras considerações finais. Jubileu é um personagem tão merda que virou “mamãe”, uma puta ideia estapafúrdia!

  • Frogwalken

    O Quentin apareceu na revista da Thora se fodendo junto com os Asgardianos na mão da Fênix! =D

    O Câmara é um personagem legal que só se fode e nunca é bem aproveitado, exceto na Era do Apocalipse.

    E a Jubileu… Ficou uma PORRA!

    Velho, sou mais eu escrevendo o argumento disso aí.

    • JJota

      Cara, tá uma bosta.

  • A Geração X continua o mesmo bando de merdas inúteis que nos anos 90.

  • O_Comentarista

    Talvez essa seja a equipe com os piores codinomes!

    • Verdade… é cada codinome escroto!

      • Anubis_Necromancer

        Pois é.
        o Eyedol (tentando dá um nome decente pro Eye-Boy), saiu da classe especial do Aranha, pra ir pra uma classe de losers sub-aproveitados.

      • Mas o conceito dessa HQ é justamente esse: personagens merdas, para serem um X-Men, vivendo altas confusões numa escola para mutantes do barulho. Só que muito mal-desenvolvido e a arte também não ajuda.

        • Frogwalken

          Escola para Jovens Dotados Não Necessariamente Pirocudos do Professor Xavier

          – Só os Mutantes PICA! ( RÁ! )

          Não Tão Novos Mutantes

          – Fodelões com alguns Buchas no meio.

          Geração X Salada com Nutella

          – Só os Buchas.

          • Glaydson Melo

            Jovens dotados…hum, que delícia, cara!

          • HUASHUASHUAS!!

        • Glaydson Melo

          Uma pena pela arte…pensei que viria coisa boa por aí. Mas quem desenha Pinup nem sempre se dá bem na arte sequencial e vice-versa… É algo como um guitarrista solo e um guitarrista base, não são todos que conseguem enveredar pelas duas áreas.

        • JJota

          Então,que conceito merdoso…

    • Eduardo

      Piores nomes EVER!
      – Escalpo, Derme, Câmara, M (comme M…), Blink, Sincro e Jubileu.
      – “Menino dos Olhos”, Garota Natureza, Retrospectiva, Kid Ômega, Bling! e Morpho.

      O que mudou? Nada. Até os desenhos continuam horrorosos…

      • Cara, eu só fiz essa resenha por que era a primeira edição e eu queria ver qualé. Não vou resenhar mais nada dessa joça e me recuso à resenhar a revista da Jean Grey e do Homem de Gelo.

        • Eduardo

          Calma, migo Gruut! Sei que tá difícil ler gibis da Marvel (e dos mutantes em particular), mas não vale enfartar por tão pouco! =D

        • Eduardo

          Olha, se não tiver nenhum desocupado pra resenhar o Iceman, é só me passar o scan, digo, avisar, ok?
          Falo mal da Marvel até de graça… =D

        • JJota

          Gruut,eu te apoio e digo: Geração X é muito merda!

          • Glaydson Melo

            A única Geração X que prestou foi a do Billy Idol.

    • Anubis_Necromancer

      Sempre tem XD