Uma história potente e contada de forma magistral. Backderf é habilidoso em usar
os quadrinhos para revelar o mundo adolescente bizarro e sinistro dos anos 1970.

Robert Crumb.

Enxutos, no começo da década de 90, os EUA e o mundo conheceram o terror em forma de homem. Jeffrey Lionel Dahmer ou só Jeff Dahmer matou, entre 1989 e 1991, 17 homens e garotos. Não obstante, seus crimes envolviam estupro, necrofilia e canibalismo. Em julho de 1991 ele foi finalmente preso quando uma de suas vítimas conseguiu fugir. No seu apartamento foram encontrados cadáveres mutilados, pedaços de corpos em vasilhas com ácidos, cabeças e pênis em seu frigorífico e um altar de velas e crânios. Dahmer foi acusado e condenado e morreu na prisão em novembro de 1994, assassinado por outro preso.

Este belo livro explora as origens do horrível assassino Jeffrey Dahmer.
Entre de cabeça e saia desolado.

James Ellroy

História contada, voltemos a atenção ao material escolhido para resenha. Meu Amigo Dahmer, escrito e desenhado por Derf Backderf conta a história do período do ensino médio que o autor e um grupo de amigos passou com Jeff Dahmer em Bath, cidadezinha localizada no estado de Ohio, EUA. Para tanto, Backderf, além de se valer de suas memórias, entrevistou colegas, professores e funcionários da escola, utilizou arquivos do FBI e artigos da mídia que cobriram o caso. Porém o autor não tenta dar um passo maior que a perna e não ousa recriar a infância de Dahmer muito menos retratar seus crimes. Na obra, Backderf foca no período escolar onde ele teve contato direto com Dahmer e traça um pouco de sua personalidade. Conhecemos então o garoto retraído, tímido e isolado, que fingia crises epiléticas e imitava pessoas com debilitações mentais para chamar atenção e se enturmar, conhecemos um pouco sobre sua fascinação em dissecar animais mortos e sua dependência alcoólica.

John “Derf” Backderf

A narrativa transita entre o tom documental e o autobiográfico ainda que o foco seja em Dahmer e, por mais que soe estranho, ela flui incrivelmente bem. Visualmente é impossível não associar o traço de Derf Backderf com o de Robert Crumb, grande mestre dos quadrinhos underground americano porém o autor não faz o simples Ctrl C Ctrl V  mas se inspira nos desenhos de Crumb e consegue exibir características bem próprias.

A publicação da editora Darkside Books é fora de série. A estreia da editora no ramo das Graphic Novels é de uma qualidade ímpar: a capa dura é linda e de um excelente material, as folhas são grossas (do tipo parece que vocês está virando duas em vez de uma) e a costura da edição é resistente e segura bem (como a capa dura acaba amarrando um pouco a abertura da edição, costuras mais fracas ou mal feitas acabam soltando a encadernação). Além disso, a edição é recheada de extras (cenas “deletadas” da versão final, várias notas do autor que enriquecem a obra, esboços, além de um epílogo bem perturbador e da publicação da HQ original que deu o ponta pé inicial à ideia da graphic), todos eles muito interessantes e contundentes, não daqueles tipos que aparentam estar lá só para encher linguiça e engrossar a edição.

Para encerrar, leiam. Não ouso colocar Meu Amigo Dahmer no mesmo patamar de Maus mas, dentro da devidas proporções, é uma leitura tão perturbadora e incômoda quanto e entra fácil no hall da fama das ótimas Graphic Novels. Ah, virou filme  e estreou no EUA dia 03 de novembro. Aqui provavelmente passará longe dos cinemas mainstream e deve ser exibido só nas salas alternativas.

Jeff Dahmer à esquerda. À direita Ross Lynch em My Friend Dahmer, direção e roteiro de Marc Meyers baseado na obra de Derf Backderf
Recomendação do Sorg

Meu Amigo Dahmer (My Friend Dahmer) por Derf Backderf. Editora Darkside Books, 2017, 1° edição, 16X23 cm, capa dura, 228 páginas.

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1