Angela e Gamora vão fazer Guerra de Aranhas!

100
125
banner
Para quem não entende o ingReis Leonórdico: Alguem pergunta para a Angela se quer casar. Angela pensa que seria o Guaxinim e não aceita por ser muito pequeno. Quando Gamora diz ser ela, a ‘Anja’ muda o tom e diz poder pensar no assunto….

Aí sim! Após o nosso fellas MajjiM que vale nos brindar com uma excelente resenha, cabe a este vosso escriba a árdua missão de substituí-lo a altura. Clica aê e confira a Resenha Enxuta: All New X-Men #24…

Pois bem, caros Enxutos, é chegada a hora de apertar o botão FF e trazer a história do Julgamento de Jean Grey para a última edição saída nesta semana. Assim sendo, para não deixar ninguém boiando, vamonos aos melhores momentos dos capítulos anteriores…

1

All New X-Men #23. A história se inicia com o jovem Ciclope acordando (relembre aqui os fatos anteriores), sendo atualizado sobre o status do sequestro de Jean e o fato de estar com o Guaxinim e sua trupe. Enquanto isso, assistimos Jean já dentro da nave Sh’iar e também sendo atualizada dos fatos: ela será julgada pelos crimes que cometera enquanto Fênix. A jovem ainda tenta convencê-los de que nada fez ainda, mas é tudo em vão. De volta ao Guaxinim, acabam sendo atacados por uma nave patrulha Sh’iar e, a despeito dos esforços dos heróis, a coisa fica ruim para o lado deles. Quando tudo parecia perdido, eis que surgem os Piratas Siderais para salvar o dia. Papo vai, papo vem, a hq termina com o inevitável: o choque do jovem Ciclopinho ao saber que seu pai (Christopher) agora é chamado de Corsário e líder daquela estranha equipe espacial…

2

Guardians of The Galaxy #12. A hq se inicia com um breve vislumbre do passado, quando Scott e Alex deixam seus pais um avião sob ataque de uma nave alienígena. O avião explode e Summers juvenil novamente acorda na nave do Guaxinim. Desta vez, seu pai está próximo e rola aquela tradicional conversa para tentar esclarecer as coisas. Em paralelo, Oráculo tenta por um pouco de juízo na cabeça do Gladiador acerca desta pataquada toda sobre o julgamento de alguém que AINDA nada fez. O cara roxa é inflexível, mas a Guarda Sh’iar não está convicta deste rumo de ação, ainda mais por trazer a inimizade dos X-Men. De volta ao Guaxinim, Ciclopinho é confrontado com a realidade que sua mãe não sobrevivera. Fica desolado e é consolado pela X-23 que retribui o abraço recebido em edições anteriores…

3

Há uma rápida passagem onde o Rei de Spartax (pai do Star Lord) mostra estar ciente do que está acontecendo e sua intenção de intervir de algum modo. Guaxinim e sua trupe, agora, se defrontam com a impossibilidade de invadir o Império Sh’iar sem serem detectados, mas começam a bolar um plano. Por fim, Oráculo passa a ser uma espécie de ‘advogada’ da Jean, alertando-a sobre tomar cuidado com suas palavras e reações. E assim, finalmente o Julgamento começa…

4

All New X-Men #24. Gladiador começa a acusação, argumenta sobre a Fênix e o assassinato de milhões. Sem obter palavra de Jean em sua defesa, quando estava prestes a sentenciar a ruiva, eis que é interrompido pelo Rei de Spartax. Sim, o pai de Star Lord surge e, dentre outras coisas, defende Jean usando os argumentos mais lógicos possíveis: como um Império como este pode julgar alguém que ainda nada fez? Pela primeira vez na série, pela voz do Rei, temos uma justificativa mínima sobre o assunto, onde este alega que o Gladiador está ansiando vingar os seus mortos, mas também ter a honra de ser aquele que conseguira destruir a Força Fênix de uma vez por todas. Por outro lado, o de Spartax solta uma ‘bomba’ direcionada ao afirmar que sob a liderança do cara roxa, uma Guarda Sh’iar fora a Terra anos antes e exterminar toda a família de Jean, justamente com o intuito de impedir que existem vestígios desta linhagem que pudessem ser usados pela Fênix.

5

No espaço, o plano dos Guardiões é posto em prática. Simulando estar morta na vastidão espacial, Angela é descoberta por uma nave Sh’iar e levada ao seu interior, justamente por não ter sua biologia reconhecida pela nave Imperial entre todas as raças do universo. Lá dentro, a ‘anja’ acorda e detona a todos, levando a primeira imagem do post. A partir de então as coisas andam rápido: os heróis usam a nave para entrar no planeta do Império (sob a desculpa de levar o ‘corpo’ para estudos) e chegam a pousá-la próximo ao prédio onde ocorre o julgamento.

Enquanto esta ação se desenrolava, o Julgamento fora interrompido para uma discussão entre o Rei de Spartax (J’son) e o Gladiador sobre a pertinência do primeiro estar naquele tribunal. Quando Jean é levada pelos guardas, a jovem se revolta e escapa. De volta ao Guaxinim, quando abrem as portas da nave, deparam-se com a Guarda Imperial, liderada pelo Gladiador, pois estes foram alertados sobre a invasão e pela fuga de Jean. Como estavam cientes de que a única forma de sair do planeta seria com os Guardiões, decidem impedi-los. O pau come solto, mas é bruscamente interrompido. Jean, após fugir e ter um tempo a sós, surpreende a todos: se entrega e diz realmente ser um monstro, terminando assim a hq.

6

Como habitual, as análises a la Jack, por partes. Sarah Pichelli e Stuart Immonen são um dos motivos para que se acompanhe estas hqs. Não há muito o que explicar, pois ambos tem um traço que muito me apetece, com ligeira vantagem para a primeira. Excelentes cenários são o ponto alto de ambos. Immonen é um pouco inferior na caracterização dos personagens, mas ganha na fluência de cenas de ação. Pichelli desenha mulheres muito bem, com sensualidade, sem ser explícita, além de conseguir qualidade incrível em cenas com diversos personagens. A arte é o ponto alto, sem dúvidas.

E o amigo do Sorg, o Michael Bendis? Sinceramente tenho sentimentos dispares em relação a história. O ruim: não há lógica que se sustente, mesmo dentro da realidade dos quadrinhos, os Originais no presente ou o Julgamento de alguém que ainda nada cometeu. O poderoso e sábio Império Sh’iar vai punir a Jean? Se for a pena capital, muda-se toda a história e a linha temporal vai para as cucuias. Ah, mas vão prendê-la por ‘trocentos’ anos… aí, ela não volta a mesma para o seu momento temporal e voltamos ao ponto anterior de caos cronológico.

O lado positivo é o de sempre: o autor consegue imprimir humor, ação e emoção nas suas histórias. Isso é inegável. Se você for adolescente então… mesmo com ‘trocentos’ personagens, consegue dar destaque a cada um em algum momento, pontuando algo aqui e acolá. De todos estes aí, gosto mais da forma como apresenta o J’son com suas nuances e interesses diversos. Não é um exemplo de profundidade dramática, mas navega bem ao retratar uma ‘política’ espacial suja, muito similar ao jogo de poderes de ‘nosotros’ terráqueos.

Enfim, entre mortos e feridos, caso desligue o cérebro e não implique com o lance temporal e a ‘burrice’ do Império, é possível sim ser uma leitura agradável. Rápido e rasteiro, principalmente pelos Guardiões, um título agradável e bem humorado para se acompanhar. Mas eu sou velho e rancoroso… daí não consigo. Implico meRmo com este ‘Julgamento’.

Nota 7,0

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1