Ou Neil Gaiman fazendo escola.

Chuchus, ano passado eu tavO lá na CCXP, andando pra lá e pra cá, visitando estandes, revendo conhecidos, gastando grana que eu não tinha e, obviamente, fazendo uma visita à cantina da Aleph (quem foi, sabe do que eu estou falando). Aí, trocando ideia com um funcionário muito gentil deles (que eu não lembro o nome nem fudendo Se você estiver lendo isso, desculpe) ele me mostrou esse livro estreia da atriz Evangeline Lilly (que, por conta de contrato conjugal, estou proibido de comentar qualquer coisa sobre a aparência física da distinta senhorita, exceto o fato que ela é bonita pra caralho). evangeline-lilly-ccxp-630x514Aí eu olhei, olhei, tinha um quê de Coraline do Gaiman, pensei e acabei não levando (eu sei que era uma aposta no escuro mas eu tenho compulsão por livros e quadrinhos. Minha esposa que o diga). E aí qual foi minha surpresa quando o carteiro toca a campainha daqui de casa no finalzinho de dezembro último e, quando abro, recebo com exclusividade da Editora Aleph, Os Molambolengos.evangeline_lilly

O primeiro livro da série da atriz (de um total de 16 ou 18 segundo ela) trata-se sobre Selma, uma pirralha marrentinha mimadinha do cacete que saí bestando por ai e um dia encontra a carroça dos Molambolengos, uma espécie de família circense de marionetes vivas. Bizarro, não?81PRsmD0hJL

Esse primeiro volume serve de introdução aos personagens que vão compor a história per se que Lilly irá desenvolver nos próximos volumes então, basicamente temos um volume que foca apenas nisso. Apesar desse porém, a autora já mostra que é dona de uma narrativa interessante que infelizmente se perde um pouco na tradução pois o volume toda é narrado em rimas que as vezes não “se casam” muito bem. Entretanto (e antes que me chamem de chato mimimi) esse ponto não se deve por falha da equipe de tradução / revisão da edição nacional e simplesmente pela diferença fonética das línguas.81TX0UdsQwL

Já a parte visual do livro é embasbacante, a começar pela edição da Aleph que tá muito realmente muito bonita. Os desenhos de Johnny Fraser-Allen são excelentes, ricos na caracterização dos personagens e dos detalhes que compõem a danse macabre d’Os Molambolengos.johnny-fraser-allen-7-johnny-portrait

Mas (sempre tem um mas) é impossível não associar o livro de Evangeline Lilly com Coraline de Neil Gaiman, tanto na temática infanto juvenil macabra / bizarra quanto no visual criado por Fraser-Allen com a animação baseada no livro do pai de Sandman. Não que isso seja um demérito para os autores mas soa um pouco como Russell Dauterman quando assumiu o título da Thor escrito por Jason Aaron: é um trabalho muito bom mas que fica na sombra de outra pessoa (no caso de Dauterman, o traço dele parecia demais com Kevin Maguire).Evangeline-Lilly-na-CCXP3

Recomendação do Sorg

De toda forma, mesmo não sendo o público-alvo, o livro agradou tanto a mim quanto minha esposa e totalmente válido para se ter em casa caso você tenha pimpolhos. E que venham os próximos.

Os Molambolengos (The Squickerwonkers) de Evangeline Lilly e Johnny Fraser-Allen, 2015, 1º edição, Capa dura, 48 páginas, R$39,90

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1