Enxutos, um das séries de quadrinhos mais cultuadas de todos os tempos finalmente foi pra TV e teve seu episódio piloto disponibilizados nos melhores torrents da internet na data de ontem. Então bora saber qual é.

Para você que não sabe ou não se importa, a série Preacher foi criada por Garth Ennis e Steve Dillon e trata-se de uma road trip onde o protagonista, o pastor Jesse Custer, saí em busca de Deus para questioná-lo porque ele havia abandonado sua criação, a humanidade. O detalhe é que Jesse possui o poder da palavra de Deus fornecido por Gênesis, uma entidade resultante do caso de amor entre um anjo e uma demônia. A série conta com 75 edições (66 edições mensais, 5 edições especiais e uma série limitada em quatro edições) e foi publicada pelo saudoso selo Vertigo da DC Comics entre abril de 1995 à outubro de 2000.

Dito isso, Seth Rogen, Evan Goldberg e Sam Catlin idealizaram o projeto de transformar a série de papel em uma live action pelo canal AMC, estrelando Dominic Cooper (Jesse Custer), Joseph Gilgun (Cassidy), Ruth Neega (Tulipa) e Ian Colletti (Cara de Cu) e mais uma vez temos uma adaptação que foge do material original.

Generated by IJG JPEG Library
Evan Goldberg, Sam Catlin, Seth Rogen e Garth Ennis

Em linhas gerais, o piloto já nos mostra o elenco todo da série, cada um com seus próprios problemas mas, ao fim do episódio, todos estão reunidos em Annville, cidade onde se encontra Jesse Custer, que agora é filho de um pastor, diga-se de passagem. Sim, eu sei. A caracterização dos personagens vai do caralho que foda ao puta que pariu, que merda. Do quarteto principal, Jesse Custer serve. É ok, não desagrada e tem potencial. Cassidy é, fácil, o destaque do episódio. Ainda que ele não tenha a mesma cara desenhada por Glenn Fabry e Steve Dillon, o ator é o vampiro filha da puta que todos adoram.

Tentei assistir sem legendas. Não entendi um puto do que esse cara disse
Tentei assistir sem legendas. Não entendi um puto do que esse cara disse

Já Ruth Neega é uma péssima Tulipa. A forma como a personagem é inserida na trama é aceitável até o momento que a cena do carro disponibilizada semanas antes termina. Ai quando começa toda a sequência das crianças, meu amigo… E para ajudar, a atriz é ruim. Muito ruim.

A "verdadeira" Tulipa comeria essa Tulipa no café da manhã
A “verdadeira” Tulipa comeria essa Tulipa no café da manhã

Já o antológico Cara de Cu é… Bom, sabem quando Ennis faz questão de frisar que o visual dele na HQ é perturbador e quase asqueroso? Um pequeno adendo: trabalhei uma vez em uma central de atendimento e atendi uma pessoa com deformidade na cabeça que era tão perturbadora (por falta de outro termo) que realizei todo o atendimento olhando para a tela do computador ou para baixo. Eu simplesmente não conseguia manter a visão na pessoa.

Isso aqui seria melhor...
Isso aqui seria melhor…

Enfim, para mim, essa é a sensação que Garth Ennis descreve Cara de Cu. E na série, ainda que o trabalho de maquiagem seja competente, o visual dele é aceitável. Não incomoda, não te te causa repulsa e muito menos asco como o autor fazia os outros personagens sentirem .

... do que isso
… do que isso

O episódio per se parece muito um trabalho de Quentin Tarantino sem o brilho do diretor. A trilha sonora, os letreiros enormes indicando a localização da cena, a violência plástica, o sangue jorrando, tudo isso remete ao trabalho de Tarantino mas passa muito longe do selo de qualidade dele. As locações são bacanas, a fotografia condiz demais com o clima da série de quadrinhos mas, fora isso, o contexto principal é complemente diferente e, se você gosta demais da série, recomendo que passe longe.

Esse discurso no final do episódio... Meu Deus!
Esse discurso no final do episódio… Meu Deus!

A grosso modo, o piloto apresenta o que pode ser uma série OK, interessante de se acompanhar se você desconhece a obra original. Como adaptação de outra mídia, ela falha miseravelmente e passa longe do que era esperado pela nerdaiada. O que causa mais frustração é que Preacher já está pronto para ser filmado. O trabalho de Dillon é quase um storyboard e o roteiro de Ennis já só precisa ser filmado. Não havia a necessidade nenhuma de se mudar tanto como foi feito nesse piloto e, sinceramente, eu vejo dois possíveis futuros para a série: padecer tal qual Constantine ou virar cult para os civis que não conhecem o material original como The Walking Dead. Eu aposto na primeira opção.

Nota 4

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1