Sim, o BdE ainda posta resenha literária. Não com a frequência que eu gostaria mas, enfim…

Chuchus, hoje eu tenho o prazer de lhes trazer uma resenha derivada da melhor franquia espacial de todos os tempos: Star Wars Trek. Não obstante, Portal do Tempo é o primeiro romance original de Star Trek a entrar na lista de mais vendidos da The New York Times em 1983.

Capitão Kirk, Spock e Dr. McCoy descobrem que, durante uma viagem ao passado, Spock teve um filho. Agora, estão prestes a viajar mais uma vez através do portal do tempo a fim de resgatar esse filho, antes que seu planeta seja destruído.
Resgatado, o garoto tentará aprender tudo sobre a Federação e sobre a cultura vulcana, enquanto a tripulação da Enterprise o conhece e se acostuma à sua presença. Mas seus dias de aprendizado são interrompidos quando uma invasão romulana pode mudar perigosamente o curso da história.

Portal do Tempo deriva de um episódio da terceira e última temporada da série clássica. Em Todos os nossos ontens (All Our Yesterdays), Spock e McCoy voltam ao passado de um planeta chamada Sarpeidon. Porém, a viagem temporal mexe na cabeça racional do Vulcano mais famoso de todos os tempos e Spock perde sua frieza emocional e se torna passional. Por conta disso ele se apaixona pela linda Zarabeth, rola um clima, mão naquilo, aquilo na mão e as coisas se tornam zequissuais pornô agora Google por favor. Partindo desse gancho, A. C. Crispin desenvolve a trama do divertido livro.

Spock, seu danadinho
Spock, seu danadinho

McCoy acaba descobrindo por um acaso pistas de um ser inteligente no primitivo passado de Sarpeidon, já destruído no presente do livro. Spock desconfia de algo por seu envolvimento com Zarabeth e resolve investigar. Obviamente, Kirk se junta e o trio volta no tempo usando o Guardião da Eternidade, uma espécie de artefato consciente que acessa tempos passados. O garoto é encontrado, trazido aos dias atuais, entre em conflito com seu pai e se mete em altas aventuras nessa nave do barulho.1-6x2_qmg1ije9fzho9gfvfa

Enxutos, é difícil para um leitor casual se interessar por um livro vinculado a uma franquia e, nesse aspecto, Portal do Tempo não foge à regra. Diferente de Troopers da Morte que é um livro da franquia Star Wars mas pode ser lido de boa por alguém que não se interesse muito pela aventuras de Luke e companhia, aqui temos um caso onde o peso do nome Star Trek pode espantar alguém que nunca foi muito ligado à série. Mesmo um jovem mancebo que tenha se interessado por esse universo por causa dos novos filme, pode se afastar desta leitura por ser tão atrelado à série clássica. Mas, para quem se aventurar nas 256 páginas desse romance, vai se divertir.

Algumas coisas da narrativa de Crispin me incomodaram: a facilidade com que as coisas acontecem (voltar no tempo é tão trivial na história como beber água) os diálogos por muitas vezes simplórios (mas que emulam perfeição a ingenuidade da série) e, por vezes, o fato da narrativa ser quase um roteiro de um episódio do que um romance propriamente dito. Porém, esses pontos não pesam tão contra e, depois de algumas páginas, você se acostuma com esses detalhes.

Capa completa, lindona
Capa completa, lindona

Eu confesso que não sou trekker hardcore. Gosto bastante de quase todas as séries (exceto Enterprise com Scott Bakula que eu achava absurdamente chato) e dos filmes (até os mais fraquinhos como Nemesis) mas tenho um carinho especial pela franquia e boas memórias (passar as tarde de domingo assistindo a série clássica e A Nova geração com a mamãe Sorg era muito maneiro) e por isso me diverti bastante com esse livro. Sim, está longe de ser a melhor das publicações da Editora Aleph mas é uma leitura válida.

Em tempo, absolutamente nada denigre o trabalho editorial nessa publicação. Impecável. Ah, e se você quer ler e está com medo de ficar meio perdido, há um ótimo prefácio escrito pelo jornalista Salvador Nogueira que contextualiza o leitor para a história e várias notas de rodapé que engrossam o conteúdo.

Star Trek: Portal do Tempo (Star Trek: Yesterday´s Son) 2016. brochura, 14X21 Cm, 256 páginas, R$39,90

  • Sir Jones Kast, Ph.D.

    Não li and caguei.

    Chupa, Trekkies

  • Boa resenha destacando os pontos positivos e negativos do livro, Sorg.

  • O_Comentarista

    Sorg só escreve no BdE quando é jabá.

    “voltar no tempo é tão trivial na história como beber água”

    Eles aprenderam isso com os X-Men.

    • Temos que pagar o servidor de hospedagem do site, migo! Vocês não compram nada na BdE Stor… NÃO, PERA! Não tem…

      • O_Comentarista

        Qdo vcs fizerem algo tipo BdE Box, quem sabe não ficam ricos?

        • Melhor! Vamos lançar a Lanterna do Dadá, o Cooler do Moe, Ckreeds de Pelúcia e os Cigarrinhos “Hidropônicos” do Majjin.

        • Se der só pra pagar o servidor e o Domínio, já tá de bom tamanho.