Resenha Enxuta: Star Wars – Troopers da Morte

23
74

Zumbis e Star Wars? PODE CIM, AMIGUINHO!

Enxutos, uma das coisas mais legais da franquia criada por George Lucas além de sabres de luÇÇÇ e do Darth Vader é a imensidão da galáxia dominada pelo Império que dá margem a muita coisa. Porém, eu ainda não havia lido nada que não estivesse vinculado diretamente ao cânone da série, até agora.

Nesta intrigante e singular história de terror, consagrados heróis da saga terão de enfrentar pesadelos imensuráveis. Quando a nave-prisão imperial Purgação – residência temporária de quinhentos dos mais cruéis assassinos, rebeldes e ladrões – quebra em um ponto isolado do espaço, a única esperança da tripulação parece estar em um destróier estelar encontrado vagando no vazio. Uma equipe de inspeção é então enviada à nave abandonada, em busca de peças para o conserto da Purgação. No entanto, somente metade dos integrantes da equipe retorna… trazendo consigo uma terrível doença, tão letal que, em questão de horas, quase toda a tripulação a bordo do Purgação morre dos modos mais assustadores. E a morte é apenas o começo.

2147055a.jpgStar Wars – Troopers da Morte se passa na nave prisão Purgação, uma das inúmeras naves que transportam aqueles que desobedecem a ditadura do Palpamito e são levados para os centros correcionais sancionados pelo direitos humanos. NOT. Enfim, um belo dia, a rebimboca da parafuseta quebra na curva próximo ao cruzamento de Cassiopeia com Andrômeda e fica a deriva.

A situação não parece nada boa para a Purgação, visto que eles estão em uma parte da galáxia pouco movimentada até que um destróier imperial é detectado vagando e aparentemente vazio. Purgação consegue abordar a nave imperial e duas equipes de busca são enviadas para investigação e procura de peças. Mas é aí que seus pobremas se acabaram-se começaram-se.

Uma das equipes não retorna e a outra marromenos. Algo zinixtro e du mau, manú habita o destróier e toca o terror na tripulação, literalmente.8f110d48b59d22be_large

O foco da narrativa fica nos irmãos Longo (ui), prisioneiros da nave, Zahara Cody e Jareth Sartoris, médica e capitão da guarda da Purgação e em dois personagens canônicos que são uma grata surpresa na história e, mantendo apenas o sexteto em evidência, Joe Schreiber manda muito bem na dinâmica dos personagens. Além disso, o autor usa capítulos curtíssimos, de no máximo oito páginas, criando uma narrativa ágil e extremamente envolvente que agarram o leitor da primeira a última página.

Sobre o livro per se, Troopers da Morte é muito violento, com altas pitadas de gore, tenso e perturbador. Há uma determinada sequência de eventos que é tão incômoda que eu deixei o livro de lado para continuar no dia seguinte. Com um clima hermético no melhor estilo Alien de ser, Schreiber foge do clássico Jedis, força, Império, Luke e tals e usa o contexto da franquia para criar uma história de terror espacial ímpar e que pode facilmente figurar dentro do novo universo canônico de Star Wars.

Sim, eu sei. Sou foda.
Sim, eu sei. Sou foda.

Schreiber ganha o troféu joínha por criar uma narrativa muito, mas muito mesmo, envolvente e SEMPRE termina os pequenos capítulos com algo que faz o leitor exclamar um sonoro IH, FUDEU! Ainda que ele peque um pouquinho por algumas resoluções deus ex machina e alguns sérios problemas de descrição ou continuidade (um garoto de 11 anos fugindo de uma pessoa com o dobro de seu tamanho em um duto de ventilação que é o tamanho exato do menino e, por isso, ele tem que se arrastar. Na cena seguinte, o perseguidor o alcança, consegue ficar por cima do garoto, que aparentemente tem espaço suficiente para flexionar o joelho no peito do vilão, empurrá-lo para cima, jogá-lo para o lado e escapar dali. Oi? Será que a minha cópia veio faltando páginas e eu não percebi? Não força a barra, Joe, porra!) de modo geral, Troopers da Morte é, fácil, uma das melhores obras que já li do universo expandido de Star Wars.

Algum deles vai "comer" a Viúva. Hã, hã?
Algum deles vai “comer” a Viúva. Hã, hã?

Sobre a edição, tradução redondinha, revisão bonitinha, tudo nos trinks. Tá de parabéns, Editora Aleph. A capa é OK mas não faz jus ao conteúdo do livro e deve aguçar o leitor desaviado mais pela curiosidade do que pela vontade de conhecer o contexto.

Resultado final? Ótimo livro. Me deixou com vontade de ler as outras obras do cara (aí Aleph, abre os zóio).troopers_da_morte

Star Wars – Troopers da Morte (Star Wars – Death Troopers) de Joe Schreiber, 2015, 1º edição, brochura, 16X23cm, 328 páginas, R$39,90

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1