Os X-Men originais (TSC) se reúnem novamente.

Hank McCoy, o Mutante conhecido como Fera, foi ao passado buscar os X-Men originais (incluindo sua versão mais jovem) na tentativa de impedir que uma guerra entre os Mutantes acontecesse. Eles ficaram presos no tempo presente e durante um tempo, permaneceram separados. Agora, a Garota Marvel, Ciclope, Homem de Gelo, Fera e Anjo voltaram a se reunir e estão determinados a mostrar ao mundo que eles sempre foram os heróis que estiveram destinados a ser. Vamos descobrir como eles pretendem fazer isso na Resenha de X-Men: Blue #1?

Capa variante de X-Men Blue #1 trazendo a capa remasterizada de Jim Lee para a primeira versão do título.

Os X-Men 9vinhos estão no Pássaro Negro (que eles “roubaram” em X-Men Prime #01) de mimimi: Bobby Drake (aka Homem de Gelo) reclamando, Hank McCoy (aka Fera) sendo Hank McCoy, Scott Summers (aka Ciclope) ainda falando como se fosse líder do grupo e Jean Grey (aka Garota Marvel) repreendendo Scott por isso. Do lado de fora, Warren Worthington III (aka Anjo) avisa que localizou o alvo deles que se revela ser um belo navio que navega as aguas do Mar Mediterrâneo. Jean avisa que o Cérebro indica que o alvo deles está ali, mas que o navio parece vazio. Fera diz estar captando alguns sinais mágicos estranhos (sim, agora ele manja dos paranauês místicos). Jean faz uma varredura mental e constata que o seu alvo está mesmo ali, mas capta também outras mentes que se mostram inquietas e assustadas.

Eles iniciam a abordagem do navio enquanto Ciclope inicia um mimimi dizendo que sente falta das barbearias antigas (os Reverendo pira) e lembra que no tempo deles, tinha barbearias assim em todos os lugares. Bobby zoa Scott dizendo que ele nunca precisou se barbear e Jean diz que adoraria vê-lo com uma fantástica barba hipster (os Reverendo xora). Scott diz: “Hã… sério?” e Jean responde “Não”. Ela se detém diante de uma porta e diz que o alvo deles está lá dentro. É claro que essa é a deixa para eles fazerem a clássica entrada de super-heróis arrombando a porta e fazendo pose. Descobrimos que o alvo deles é Black Tom Cassidy.

Recomendação do Sorg

Eles partem pra porradaria: a Garota Marvel manda Ciclope atacar. Black Tom consegue rebater a rajada que quebra a rampa do Homem de Gelo e atinge um dos enormes lustres que só não atinge as pessoas no chão por que o Anjo os resgata. Jean ataca o vilão, mas o safado rebate o ataque dela também enquanto diz que aprecia um bom combate, mas já luta com os X-Men muito antes dela nascer. O Fera o atinge com um chute enquanto explica para Black Tom que se ele conhecesse os X-Men, saberia que eles lutam como uma equipe. Resumindo: Jean distraiu o safado, Fera o derrubou com um chute e Ciclope manda uma rajada ótica na fuça do vilão. Ele cai, mas diz que eles não vão conseguir derrota-lo. Bobby diz pro cara que eles já venceram e Anjo tenta tranquilizar as pessoas dizendo que eles estão salvos. Uma mulher diz que ele não está sozinho ali enquanto Bobby chama a atenção dos seus amiches para enormes pegadas.

Apesar de momentos atrás Ciclope ter se gabado de ter lido os arquivos sobre o cara e dizer que os X-Men sempre o derrotaram, quem conhece Black Tom Cassidy, sabe que o cara nunca anda sozinho, não é? Pois é… Kain Marco (aka o Fanático) faz a sua entrada massavéia. Ciclope (que não fez o dever de casa direito) pergunta se Jean pode controla-lo. Ela responde que não, pois a mente dele é protegida. Black Tom manda o Fanático ensinar uma lição aos pirralhos, mas pede para não os matar. “Sem promessas” – responde o grandalhão. Nisso, o Anjo surge, atinge Black tom e o leva para longe enquanto o Homem de Gelo tenta imobilizar o vilão congelando-o.

O Fanático pergunta o que há com eles, pois parecem crianças novamente como no primeiro encontro deles (em X-Men #12 de 1965). Ele diz ainda que pode deixar alguns deles vivos, mas vai esmagar a cabeça de Scott, pois ele matou o irmão dele (ele é meio-irmão de Charles Xavier). Jean manda sua equipe levar o Fanático para fora, pois tem muitos civis ali. Ciclope atinge o Fanático com uma rajada e tenta explicar que não foi ele que fez aquilo, mas sim o outro cara… alguém que ele nunca vai ser. O Fanático manda ele guardar a confissão para o Padre. Black Tom tenta voltar para a batalha, mas Jean o põe para dormir. A batalha se transforma em “Corra, Scott… CORRA!!!”. Correndo ensandecido atrás de Ciclope, o grandalhão não percebe que o navio acabou e cai no mar enquanto o Anjo resgata Ciclope. Os X-9vinhos comemoram a vitória, mas Jean pergunta se eles não acham que o cara sabe nadar.

É… ele sabe. O Fanático sobe no navio, agarra o “picolé” e o arremessa para longe. Anjo vai atrás do amiche. Jean diz que o Fanático acertou o casco em cheio e está entrando muita agua e ele não consegue impedir.  O Fanático golpeia o chão com o pé e diz que o barco já era assim como eles. Jean lembra que há pessoas a bordo. O Fera diz que vai tentar algo e mimimiza que o cara se lembra dos X-Men, mas não se lembra deles. Entonces, ele faz uns paranauês místicos e despacha o Fanático dali. Caso encerrado, apesar de Ciclope ficar de mimimi. Jean começa a boiar o navio enquanto ouve os agradecimentos dos passageiros, que a confundem com Kitty Pryde ou com a Feiticeira Escarlate.

Depois disso tudo, o Pássaro Negro chega a Madripoor. Equanto os X-9vinhos entram numa belíssima casa, Ciclope pergunta à Jean se ela está fazendo a coisa certa ali. “Sim. Talvez. Não sei” – ela responde. Ciclope diz que a Mutandade ganhou uma nova chance, que eles estão ali fora fazendo algo bom… eles deveriam estar felizes, mas ele não consegue se livrar da sensação de que eles estragaram tudo. “Por que não faz seus outros amigos amarem seu pessimismo tanto quanto nós? Ou isso vem com os óculos?” – ironiza Jean se referindo aos Campeões, o outro grupo do qual Scott participa. Ela pede que ele não fique estranho com eles e relaxe um pouco, senão eles podem achar que algum impostor tomou o seu lugar – e emenda: “Falando de estranhezas e tal… vamos reportar ao chefe. Eles reportam tudo ao tal chefe, que se revela ser Magneto. Ele diz que eles precisam ser mais vigilantes. Fim? Nada disso.

Enquanto isso, em outro lugar: Um Xerife lidera um grupo de pessoas estão realizando buscas numa floresta. Eles procuram um suposto predador que se instalou no lugar. Os cachorros farejam algo e os guiam à um cervo abatido que apresenta marcas de garras. Eles supõem que seja um urso. Nisso alguém surge alguém próximo deles. Todos ficam nervosos, mas a Xerife manda todos ficarem calmos e tenta falar com o estranho. Ela nota que há sangue na roupa e nas mãos do estranho e pergunta que sangue é esse. Ele nada diz. Nisso, um Wendigo surge e ataca o grupo. Uma arma cai no chão e atinge a cabeça do estranho, que cai.

O Wendigo massacra quase todo o grupo, deixando a Xerife por último. Entonces, o estranho se levanta, ouve-se um “SNIKT!”, que é o som característico do desembainhar de garras de um certo Mutante muito conhecido.

O estranho parte para cima do Wendigo e manda a Xerife correr. Ela corre e se esconde atrás de uma árvore. Depois de um tempo, ouve um uivo ao longe. Ela volta ao local da luta e encontra os corpos dos seus amigos e constata que tanto o estranho quanto a fera sumiram. Fim da história? Sim… mas não dessa trama, que continuará.

 

Vámonos as analises: o escritor Cullen Bunn tenta contar a sus história. Sinceramente? Achei bem nhé… não me empolgou. Velhos conhecidos dando as caras, algumas piadinhas aqui e ali… e nada demais. Ah, sim: outro Wolverine genérico? Por que não, né? Quanto mais, melhor…. SÓ QUE NÃO!!! Nota 4,0.

A arte ficou a cargo de Jorge Molina e Matteo Buffagni com cores de Matt Milla. Olha, geralmente eu gosto de alguns trabalhos do Molina, mas não gostei tanto assim nessa história principal. Nota 5,0. Já na segunda história, eu achei o traço do Matteo Buffagni mais interessante e em alguns momentos, me lembrou de longe o traço de Andrea Sorrentino em Old Man Logan. Nota 6,5. Gostei do trabalho do colorista. Nota 6,0.

O que acharam de X-Men: Blue #01 Enxutada? MIMIMIzem aê nos comentários.

Bem… o que dizer dessa edição de estreia? A divisão dos X-Men em dois grupos não é novidade. Já vimos acontecer antes, só que na proposta original, as duas equipes eram infinitamente mais interessantes. Os personagens e suas dinâmicas eram melhores trabalhados e as duas equipes se equivaliam (apesar da minha preferência pela equipe Azul). Nessa nova encarnação, temos a reunião dos “X-Men originais”, que já não são tão originais assim. Nós já sabemos que esses não são os X-Men originais e que eles foram retirados de alguma outra linha temporal. A Marvel tentou a todo custo nos convencer de que eles eram os X-Men originais, mas agora, parece que perceberam que isso não colou e estão implementando algumas mudanças nos personagens para diferenciá-los. Temos a Jean como líder dessa equipe (assim como a Kitty é líder da outra equipe e isso sinaliza claramente uma questão de empoderamento feminino. Ao meu ver, não há nenhum problema em ter líderes de equipe mulheres, DESDE QUE SEJA BEM FEITO E FAÇA SENTIDO!!! Kitty e Jean liderando as duas equipes não faz o menor sentido na minha opinião de merda. Tempestade seria a líder natural da equipe dourada e Ciclope o líder natural da equipe azul.), o Fera com paranauês místicos, Anjo com asas de fogo cósmico… e ainda temos o Magneto como guia dos X-9vinhos. Realmente, estão tentando dar novos rumos para esses X-Men 9vinhos que não fazem o menor sentido ainda estarem na Terra-616. Já esse “Wolverine genérico” que aparece na segunda história, ele ainda não teve o seu nome revelado e nenhum anuncio oficial por parte da Marvel. Contudo, levando em conta sua aparência e poderes, é praticamente certo que ele seja Jimmy Hudson, o filho do Wolverine do Universo Ultimate. Será?

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1