Os X-Men originais (TSC) se reúnem novamente.

Hank McCoy, o Mutante conhecido como Fera, foi ao passado buscar os X-Men originais (incluindo sua versão mais jovem) na tentativa de impedir que uma guerra entre os Mutantes acontecesse. Eles ficaram presos no tempo presente e durante um tempo, permaneceram separados. Agora, a Garota Marvel, Ciclope, Homem de Gelo, Fera e Anjo voltaram a se reunir e estão determinados a mostrar ao mundo que eles sempre foram os heróis que estiveram destinados a ser. Vamos descobrir como eles pretendem fazer isso na Resenha de X-Men: Blue #1?

Capa variante de X-Men Blue #1 trazendo a capa remasterizada de Jim Lee para a primeira versão do título.

Os X-Men 9vinhos estão no Pássaro Negro (que eles “roubaram” em X-Men Prime #01) de mimimi: Bobby Drake (aka Homem de Gelo) reclamando, Hank McCoy (aka Fera) sendo Hank McCoy, Scott Summers (aka Ciclope) ainda falando como se fosse líder do grupo e Jean Grey (aka Garota Marvel) repreendendo Scott por isso. Do lado de fora, Warren Worthington III (aka Anjo) avisa que localizou o alvo deles que se revela ser um belo navio que navega as aguas do Mar Mediterrâneo. Jean avisa que o Cérebro indica que o alvo deles está ali, mas que o navio parece vazio. Fera diz estar captando alguns sinais mágicos estranhos (sim, agora ele manja dos paranauês místicos). Jean faz uma varredura mental e constata que o seu alvo está mesmo ali, mas capta também outras mentes que se mostram inquietas e assustadas.

Eles iniciam a abordagem do navio enquanto Ciclope inicia um mimimi dizendo que sente falta das barbearias antigas (os Reverendo pira) e lembra que no tempo deles, tinha barbearias assim em todos os lugares. Bobby zoa Scott dizendo que ele nunca precisou se barbear e Jean diz que adoraria vê-lo com uma fantástica barba hipster (os Reverendo xora). Scott diz: “Hã… sério?” e Jean responde “Não”. Ela se detém diante de uma porta e diz que o alvo deles está lá dentro. É claro que essa é a deixa para eles fazerem a clássica entrada de super-heróis arrombando a porta e fazendo pose. Descobrimos que o alvo deles é Black Tom Cassidy.

Eles partem pra porradaria: a Garota Marvel manda Ciclope atacar. Black Tom consegue rebater a rajada que quebra a rampa do Homem de Gelo e atinge um dos enormes lustres que só não atinge as pessoas no chão por que o Anjo os resgata. Jean ataca o vilão, mas o safado rebate o ataque dela também enquanto diz que aprecia um bom combate, mas já luta com os X-Men muito antes dela nascer. O Fera o atinge com um chute enquanto explica para Black Tom que se ele conhecesse os X-Men, saberia que eles lutam como uma equipe. Resumindo: Jean distraiu o safado, Fera o derrubou com um chute e Ciclope manda uma rajada ótica na fuça do vilão. Ele cai, mas diz que eles não vão conseguir derrota-lo. Bobby diz pro cara que eles já venceram e Anjo tenta tranquilizar as pessoas dizendo que eles estão salvos. Uma mulher diz que ele não está sozinho ali enquanto Bobby chama a atenção dos seus amiches para enormes pegadas.

Apesar de momentos atrás Ciclope ter se gabado de ter lido os arquivos sobre o cara e dizer que os X-Men sempre o derrotaram, quem conhece Black Tom Cassidy, sabe que o cara nunca anda sozinho, não é? Pois é… Kain Marco (aka o Fanático) faz a sua entrada massavéia. Ciclope (que não fez o dever de casa direito) pergunta se Jean pode controla-lo. Ela responde que não, pois a mente dele é protegida. Black Tom manda o Fanático ensinar uma lição aos pirralhos, mas pede para não os matar. “Sem promessas” – responde o grandalhão. Nisso, o Anjo surge, atinge Black tom e o leva para longe enquanto o Homem de Gelo tenta imobilizar o vilão congelando-o.

O Fanático pergunta o que há com eles, pois parecem crianças novamente como no primeiro encontro deles (em X-Men #12 de 1965). Ele diz ainda que pode deixar alguns deles vivos, mas vai esmagar a cabeça de Scott, pois ele matou o irmão dele (ele é meio-irmão de Charles Xavier). Jean manda sua equipe levar o Fanático para fora, pois tem muitos civis ali. Ciclope atinge o Fanático com uma rajada e tenta explicar que não foi ele que fez aquilo, mas sim o outro cara… alguém que ele nunca vai ser. O Fanático manda ele guardar a confissão para o Padre. Black Tom tenta voltar para a batalha, mas Jean o põe para dormir. A batalha se transforma em “Corra, Scott… CORRA!!!”. Correndo ensandecido atrás de Ciclope, o grandalhão não percebe que o navio acabou e cai no mar enquanto o Anjo resgata Ciclope. Os X-9vinhos comemoram a vitória, mas Jean pergunta se eles não acham que o cara sabe nadar.

É… ele sabe. O Fanático sobe no navio, agarra o “picolé” e o arremessa para longe. Anjo vai atrás do amiche. Jean diz que o Fanático acertou o casco em cheio e está entrando muita agua e ele não consegue impedir.  O Fanático golpeia o chão com o pé e diz que o barco já era assim como eles. Jean lembra que há pessoas a bordo. O Fera diz que vai tentar algo e mimimiza que o cara se lembra dos X-Men, mas não se lembra deles. Entonces, ele faz uns paranauês místicos e despacha o Fanático dali. Caso encerrado, apesar de Ciclope ficar de mimimi. Jean começa a boiar o navio enquanto ouve os agradecimentos dos passageiros, que a confundem com Kitty Pryde ou com a Feiticeira Escarlate.

Depois disso tudo, o Pássaro Negro chega a Madripoor. Equanto os X-9vinhos entram numa belíssima casa, Ciclope pergunta à Jean se ela está fazendo a coisa certa ali. “Sim. Talvez. Não sei” – ela responde. Ciclope diz que a Mutandade ganhou uma nova chance, que eles estão ali fora fazendo algo bom… eles deveriam estar felizes, mas ele não consegue se livrar da sensação de que eles estragaram tudo. “Por que não faz seus outros amigos amarem seu pessimismo tanto quanto nós? Ou isso vem com os óculos?” – ironiza Jean se referindo aos Campeões, o outro grupo do qual Scott participa. Ela pede que ele não fique estranho com eles e relaxe um pouco, senão eles podem achar que algum impostor tomou o seu lugar – e emenda: “Falando de estranhezas e tal… vamos reportar ao chefe. Eles reportam tudo ao tal chefe, que se revela ser Magneto. Ele diz que eles precisam ser mais vigilantes. Fim? Nada disso.

Enquanto isso, em outro lugar: Um Xerife lidera um grupo de pessoas estão realizando buscas numa floresta. Eles procuram um suposto predador que se instalou no lugar. Os cachorros farejam algo e os guiam à um cervo abatido que apresenta marcas de garras. Eles supõem que seja um urso. Nisso alguém surge alguém próximo deles. Todos ficam nervosos, mas a Xerife manda todos ficarem calmos e tenta falar com o estranho. Ela nota que há sangue na roupa e nas mãos do estranho e pergunta que sangue é esse. Ele nada diz. Nisso, um Wendigo surge e ataca o grupo. Uma arma cai no chão e atinge a cabeça do estranho, que cai.

O Wendigo massacra quase todo o grupo, deixando a Xerife por último. Entonces, o estranho se levanta, ouve-se um “SNIKT!”, que é o som característico do desembainhar de garras de um certo Mutante muito conhecido.

O estranho parte para cima do Wendigo e manda a Xerife correr. Ela corre e se esconde atrás de uma árvore. Depois de um tempo, ouve um uivo ao longe. Ela volta ao local da luta e encontra os corpos dos seus amigos e constata que tanto o estranho quanto a fera sumiram. Fim da história? Sim… mas não dessa trama, que continuará.

 

Vámonos as analises: o escritor Cullen Bunn tenta contar a sus história. Sinceramente? Achei bem nhé… não me empolgou. Velhos conhecidos dando as caras, algumas piadinhas aqui e ali… e nada demais. Ah, sim: outro Wolverine genérico? Por que não, né? Quanto mais, melhor…. SÓ QUE NÃO!!! Nota 4,0.

A arte ficou a cargo de Jorge Molina e Matteo Buffagni com cores de Matt Milla. Olha, geralmente eu gosto de alguns trabalhos do Molina, mas não gostei tanto assim nessa história principal. Nota 5,0. Já na segunda história, eu achei o traço do Matteo Buffagni mais interessante e em alguns momentos, me lembrou de longe o traço de Andrea Sorrentino em Old Man Logan. Nota 6,5. Gostei do trabalho do colorista. Nota 6,0.

O que acharam de X-Men: Blue #01 Enxutada? MIMIMIzem aê nos comentários.

Bem… o que dizer dessa edição de estreia? A divisão dos X-Men em dois grupos não é novidade. Já vimos acontecer antes, só que na proposta original, as duas equipes eram infinitamente mais interessantes. Os personagens e suas dinâmicas eram melhores trabalhados e as duas equipes se equivaliam (apesar da minha preferência pela equipe Azul). Nessa nova encarnação, temos a reunião dos “X-Men originais”, que já não são tão originais assim. Nós já sabemos que esses não são os X-Men originais e que eles foram retirados de alguma outra linha temporal. A Marvel tentou a todo custo nos convencer de que eles eram os X-Men originais, mas agora, parece que perceberam que isso não colou e estão implementando algumas mudanças nos personagens para diferenciá-los. Temos a Jean como líder dessa equipe (assim como a Kitty é líder da outra equipe e isso sinaliza claramente uma questão de empoderamento feminino. Ao meu ver, não há nenhum problema em ter líderes de equipe mulheres, DESDE QUE SEJA BEM FEITO E FAÇA SENTIDO!!! Kitty e Jean liderando as duas equipes não faz o menor sentido na minha opinião de merda. Tempestade seria a líder natural da equipe dourada e Ciclope o líder natural da equipe azul.), o Fera com paranauês místicos, Anjo com asas de fogo cósmico… e ainda temos o Magneto como guia dos X-9vinhos. Realmente, estão tentando dar novos rumos para esses X-Men 9vinhos que não fazem o menor sentido ainda estarem na Terra-616. Já esse “Wolverine genérico” que aparece na segunda história, ele ainda não teve o seu nome revelado e nenhum anuncio oficial por parte da Marvel. Contudo, levando em conta sua aparência e poderes, é praticamente certo que ele seja Jimmy Hudson, o filho do Wolverine do Universo Ultimate. Será?

  • Wellington Ramos

    Mano, depois das duas primeiras paginas eu ja queria parar de ler… textos ruins, desenhos toscos e personagens mais sem sentido em permanecerem juntos e terem uma nova revista. Affz, fraquissima. Eu daria um 1,0 p esse ediçao. E nao creio que melhore nao…

  • enCICLOPEdia

    Eu já li do filho do Wolvie .. ele e a Jean vão ter um lance e o Scott vai ficar boladão

  • Daniel Gonçalves de Amorim

    Acho que vou ter que fazer uma defesa aqui, e vai ser por muito mais – apesar de discordar em muitos pontos – pelo texto ser uma opinião sincera e franca, sem decair no “eu não gosto de X-men” ou pelo fato de não ser mais uma opinião intelectualoide metida a ser diferente dos demais. Só isso vai fazer todo o trabalho do texto abaixo valer a pena. Agora senta que vai ter textão (da minha opinião de merda):

    É impossível dizer em qual momento os X-men começaram a piorar de vez. Alguns vão dizer segunda metade dos anos 90, outros vão dizer Fase Morrison, outros vão dizer Dia M e têm alguns que vão dizer Cisma ou AVX. Mas eu digo que todas tiveram sua contribuição, em níveis e aspectos diferentes: As histórias pós Era do Apocalipse eram até criativas e com boas consequências, mas eram recheadas de situações surreais e ridículas (até demais para o público de quadrinhos); A fase Morrison foi cagada propositalmente pelo autor por causa do público norte-americano; O Dia M é hoje essencialmente inútil (quase todos que perderam seus poderes ganharam eles de volta) e estragou para sempre ganchos possíveis (como mutantes imortais); A Cisma foi uma perda de tempo (a despeito do potencial real) e AVX é uma historinha forçada, feita somente para promover os Vingadores sobre os X-men e manchar o nome de muitos personagens (não só o Ciclope) a troco de, pasmem, três anos de histórias seguintes. Como diriam vocês, a Marvel EEERRRRRRRRRRAAAAA!!!

    Paralelamente, o mundo dos X-escritores não ia muito bem também. Depois de Joss Whedon dar o caminho das pedras de como os escritores poderiam viver sem tentar emular o Morrison (só isso faz Whedon merecer o respeito que têm), ninguém mais fez nada de novo, fez algo que “saiu da estrada já pavimentada”, qualquer coisa que daria novos ganchos aos personagens já existentes. Se os anos 90 foram marcados pela inconstância, os anos entre a fase Morrison e AVX eram a rigidez extrema. Tanto que os melhores escritores Pós-Whedon foram, no máximo, competentes em lidar com que o anterior tinha construído. Uma manobra que, diga-se, se tornou marca registrada do mandato editorial de Joe Quesada.

    Tudo isso para dizer que, após AVX, após o editorial do Quesada, era a primeira chance em muito tempo de saírem histórias grandiosas para os mutantes, inclusive com os ganchos deixados, em vez de histórias que basicamente “seguiam uma trilha pré-definida” e que giravam em torno nem meia dúzia de personagens. Bendis era o principal responsável e o que ele faz? Traz essas versões adolescente irrelevantes para o agora universo Prime. E cá estamos nós, verdadeiros fãs de X-Men, vendo os personagens que conhecemos e amamos mais um vez “reféns” de alguns poucos personagens. Só que agora é pior, por que os X-Novinhos sequer são dessa realidade e sua função na realidade Prime já acabou faz tempo.

    E o que o Bunn tem a ver com as calças?

    Simplesmente porque, de todos os escritores fixos que passaram pelas revistas dos X-Men desde AVX, Cullen Bunn é o melhor. DISPARADO. Eu digo “fixo” porque o único arco que G.Willow Wilson escreveu para X-men foi muito mais legal do que qualquer coisa escrita por Jason Aaron, por exemplo (um escritor que todo mundo elogia por seu Thor- com razão, mas seu Wolverine é uma bosta) chegando a ser injusto depreciá-la em favor de Bunn. E eu digo “após AVX” porque a fase do Kieron Gillen foi bem interessante e, num mundo perfeito, ele mesmo teria escrito a revolução que Scott Summers estava planejando.

    Vejam como foram os outros escritores:
    – Brian Wood de bom é só o primeiro arco, com uma boa história e “vilã”. Depois ele se embanana todo com arcos mal-acabados e confusos;
    – Marc Guggenheim escreveu um arco meh e comprido demais para substituir o Wood;
    – Jason Aaron e seu Wolverine absurdo e Wolverine e os X-men infantiloide, com elenco gigante e só três destaques;
    – Bendis, que dispensa críticas, pois seria chutar cachorro morto;
    – Jason Latour, cuja revista é uma versão rabeira e piorada de Aaron;
    – Jeff Lemire cujos Extra-Ordinários X-men foi o lixo do lixo (só as edições finais prestaram minimamente);
    – Dennis Hopeless, que não tinha nada a oferecer com sua revista inconstante. Cada arco ele escreveu de uma forma diferente, deixando claro sua dificuldade com os personagens;
    – Gerry Duggan (um escritor superestimadíssimo) não escreve personagens, escreve versões estereotipadas dos personagens, entre as várias piadinhas de curto alcance. Sério, esse cara deveria exorcizar Deadpool quando estiver escrevendo outra coisa.

    Cullen Bunn, sendo justo, mostrou-se um escritor bem médio nas primeiras revistas que escreveu para a Marvel (nenhuma delas relativa a X-men). Escrevendo X-men, no entanto, se mostrou muito melhor do que aparentava: Ele mostrou facetas diferentes de seu trabalho com a solo de Magneto, Fabulosos e agora X-men Blue sem apelar, sem partidarismo com determinado personagem ou fazer os personagens agirem fora de suas personalidades. Mesmo com Magneto sendo o protagonista e o favorito do escritor, Bunn não o fez roubar a cena de ninguém e TODOS, absolutamente todos os personagens escrito por ele até agora foram bem escritos, detalhado em nuances e em alguns casos, em desenvolvimento. Bunn também se importa com a continuidade, mesmo quando ela não é conveniente (chupa Bendis) e escreve histórias no mínimo decentes apesar de espremido pelas várias revistas que ele escreve e pelos constantes eventos, sagas e mega-sagas inventada pela casa das ideias idiotas.

    Ainda assim, senti que ia dar merda quando eu descobri que, de todos os lugares possíveis para enfiar este escritor, tinha de ser logo numa equipe compostas pelos chatinhos X-novinhos. E queimei a língua, pois X-men Blue é a melhor coisa possível que se dá pra fazer com estes personagens.

    Vejam bem, a história é clássica mas bem contada, os inimigos são apropriados ao que a história se destinava – reapresentar os cinco originais (e os vilões ainda foram tratados dignamente, não foram derrotados em uma página e tchau) e os personagens são detalhadamente bem escritos. Em X-men Prime, eu não achei o diálogo exatamente bom, estava mais para aceitável (Bunn talvez ainda estivesse na etapa de descobrir a voz dos personagens). Mas, ao menos em X-men Blue #1, os diálogos são ótimos, pois é um diálogo reconhecidamente adolescente que não é estereotipado (têm muito escritor que enfia “whatever” e/ou “totally” em cada frase só para parecer que é um adolescente falando) tampouco estúpido e, diferente dos escritores anteriores (Bendis e Hopeless), Cullen Bunn usa termos antiquados de propósito para parecer que é um adolescente “de época” falando (um preciosismo desse é para aplaudir de pé). As personalidades também são muito bem delineadas e os conflitos possíveis. Dois exemplos: Scott não briga com Jean apenas pela liderança, mas pela forma com que ela lidera; E o conflito ético entre Hank e Scott é profundamente natural. O diálogo, ou melhor, discurso de Magneto é diferente do Magneto de Fabulosos ou de sua série solo, mas ainda é possível ver que é mesma pessoa falando, muito graças a personalidade complexa desse anti-heroi.

    E esse detalhamento de diálogos, contexto e história bem inseridos na continuidade também vale para os vilões. Juggernaut ganhou a benesse de ser escrito por alguém que se importa com a continuidade, tanto de personalidade quanto de cronologia, então vimos sua reação intempestiva ao descobrir os X-Novinhos, sobretudo Ciclope, por seu eu mais velho ter matado Xavier, a única pessoa que sempre teve fé nele (e isso agora o torna um personagem ainda mais complexo, embebida até os ossos de raiva e desejo de destruição). A batalha entre eles foi épica e até a conclusão foi dentro da continuidade. Mas eu fiquei impressionado mesmo com Black Tom Cassidy. Devido a suas poucas aparições e personalidade difícil, sempre achei que ele acabaria como um Peter Quill da vida e um dia a Marvel mudasse radicalmente a sua personalidade (embora eu ache que isso vai acontecer quando ele aparecer nos filmes do Deadpool). E Cullen Bunn capta cada característica dele com perfeição, como nos tempos do Claremont e do Nicieza. Eu gosto muito do Black Tom enquanto personagem e eu posso afirmar categoricamente que nenhum fã dos mutantes o entendeu até hoje: Pela forma que se veste e age, ele na verdade interpreta um vilão em vez de ser realmente um (ou você já viu mais alguém se referir a si mesmo como vilão). Isso é só um personagem, uma casca, para esconder um ser humano frustrado e rancoroso com os dissabores de sua vida. Não há muitos personagens assim no universo Marvel.

    Por fim eu espero que, pela Marvel ter obrigado Bunn a escrever os X-novinhos, isso signifique que a revista termine com esses personagens irrelevantes viajando de volta para a linha temporal deles. Até porque esse é o tema dessa equipe.

    PS: eu até que gostei da arte, digamos, cartunesca de Jorge Molina nessa edição. Embora eu tenha a impressão de que essa revista não case tão bem com essa arte, pelo que sei de edições futuras.

    PS²: Jimmy Hudson, BLARGH! Como se esse universo precisasse de outro Wolverine.

    • Parabéns pela análise. Gostei demais do Magneto escrito pelo Bunn em sua revista solo.

      • Daniel Gonçalves de Amorim

        Fico feliz que tenha gostado.

  • Pingback: Resenha Enxuta: Arma X V3 #01 - Baile dos Enxutos()

  • pabloREM

    Melhor história para esse grupo: acham uma máquina do tempo (pode ser aquelas do Dr Destino) e voltam para sua realidade e nunca mais dão as caras.

    • Perfeito!

    • Daniel Gonçalves de Amorim

      É um favor que se faz ao universo.

  • Isnevers

    Se a ideia é fazer versões de outra realidade temporal, os X-Men Ultimate lá do começo eram mais legais. Assim vc teria X-Men heroicos de colante colorido e X-Men a lá Morrison, com roupas de couro. X-Men Blue, Gold e Black.

  • Frogwalken

    AH MULEKI! =D

    http://www.cbr.com/harley-quinn-16-2/

  • Frogwalken

    Boa Romitinha!

    http://www.cosmicbooknews.com/john-romita-jr-blasts-marvel-comics-replacing-characters

    Axé Alonso: ” Contratamos ROTEIRISTAS CAROS no lugar de ARTISTAS CAROS. ”

    ROTEIRISTAS CAROS QUE FAZEM MEEEEEERDAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

    E EDITORES QUE FAZEM AINDA PIOR APROVANDO ESSAS MERDAS!

    A MARVEL EEEEEEEEEEERRRRRRRRRRAAAAAAAAAAAAAA!!!

  • Frogwalken

    Complementando o comentário do amiche Bizarro:

    http://br.ign.com/quadrinhos/47614/news/marvel-confirma-que-capitao-america-sempre-foi-um-vilao

    http://legiaodosherois.uol.com.br/2017/marvel-revela-que-capitao-america-sempre-foi-mal.html

    O melhor desses sites são os comentários! =D

    Mas… PQP MARVEL, ASSIM FICA DIFÍCIL TE DEFENDER!!!

    NÃO BASTA FAZEREM BOSTA COM O STEVE EVANS, TEM QUE TACAR MAIS BOSTA NO PERSONAGEM!!!

    DEPOIS RECLAMAM QUE AS VENDAS ESTÃO BAIXAS, ESSES PUTARDOS ARROMBADOS!!!

  • Glaydson Melo

    X-Factor recalchutado.

    • eu cretino

      E põe racalchutado nisso.
      X-Factor formado pelos X-Men originais não deu certo na primeira vez e não vai ser agora que vai dar certo.

  • Eduardo

    Não era melhor chamar a equipe “dourada” de X-Men e a “azul” de X-Factor?

    Marvel Comics: não dá pra não ser hater.

    No aguardo de alguém chutar os xburguinhos de volta pra linha temporal deles… de preferência, em pedacinhos.

    • Frogwalken

      chama o The-One-Above-All Kirby pra consertar a cagada.

      • Eduardo

        Vovô Stan Lee prendeu os espíritos de Kirby e Ditko em algum lugar longe da Luç de Dadá…

      • “No aguardo de alguém chutar os xburguinhos de volta pra linha temporal deles… de preferência, em pedacinhos.” – Já deviam ter sido expulsos da Terra-616 à muito tempo!!!

        • Frogwalken

          Culpa do BUNDIS, Deus do Papo Furado Com Muito Texto ( American Gods tá vindo! )

          • Eduardo

            Esse o Neil Gaiman fez questão de esquecer…

          • Pedreira Guilliman

            SE QUISEREM a verdade

            a linha temporal dos Xnovinhos NAO ECZISTE MAIS, tudo isso graças ao Novo capitao hitler

            por que america ele nunca foi….

          • Eduardo

            Se o Fera velhaco tivesse chamado a polícia, isso nunca teria acontecido…

        • eu cretino

          O fera agora é o boy magia?

          • Eduardo

            Pois é… O jogo virou…
            O “nerd” virou “jock” e com poderes místicos. Torcendo pelo fanservice de Hank McCoy descamisado… kkkk…

          • eu cretino

            Urg

          • Sim!

    • Não dá mais! Existe uma versão alternativa deles lá no passado! Não me pergunte.

      • Eduardo

        Cara, vc só me traz más notícias!!! Kkkk

  • O_Comentarista

    O Anjo com essas asas tá parecendo a Mercy do Overwatch.

    Daqui a pouco o Fera tá fazendo magia junto com o Doutor Estranho. Mas q ideia de merda!

    Edição fraca essa.

    • Frogwalken

      Só no Passinho da Nostalgia

  • Anubis_Necromancer

    Prevendo o Wolve juvenil tentando traçar a ruiva juvenil, para desespero do magrelo juvenil.
    Nada mudou, apenas rejuvenesceram o pessoal XD

    • Frogwalken

      A Jean 9vinha já provou que prefere HOMÕES DA PORRA DE PEITO PELUDO! BWAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

      • Sendo filho do Wolverine, já deve estar com o peito todo peludo também.

        • Eduardo

          Saudades Draken, o filho “raiz” do Wolverine.

          • Eu não. Ainda prefiro esse moleque novo aquele merda.

          • Frogwalken

            ” O problema não é o personagem homem DAR O CU, o problema é ser um completo bosta. “

          • O Apolo e o Meia Noite dão o cu, e eu não deixo de respeitá-los por isso.

          • Frogwalken

            E a revista deles tá muito foda, estacionei na parte quando o Meia Noite vai buscar o Apollo nos cafundós do Inferno.

          • Pode ser gay, mas que seja um gay de respeito.

          • Frogwalken

            Que nem os Espartanos, que podiam até ficar de VIADAGI na cama mas no Campo de Batalha eram a Encarnação do Exu Caveira! =D

          • 300 aí pra provar.

          • O_Comentarista

            Isso fazia parte da estratégia: vc se apegar ao companheiro e defende-lo como for, mesmo que seja abrindo o caminho entre os inimigos.

          • Eduardo

            Espero que Meia Noite e Apolo continuem chutando (e comendo) bundas na Terra-0.

            Mas agora com The Wild Storm, os dois continuam no Universo Regular da DC ou não?

          • Não faço ideia.

          • Eduardo

            Perguntei porque eu li o #1 do título do Ellis e me pareceu mais focado em WildCats, ainda que tivesse a Engenheira (Angela alguma-coisa) do Authority.

            Meia-Noite merece ficar no UDC, nem que seja no Batverso.

          • eu cretino

            “Meia Noite merece ficar no UDC, nem que seja no Batverso”
            Aí ele come o Batman pô

          • Eduardo

            Pela primeira vez, não pensei em sexo quando fiz meu comentário… =D

            É que se for mesmo o “Young Man Logan”, e não for o Jimmy Hudson Ultimate, vão falar que é outro filho perdido do Carcaju. Mr. Catra é personagem da Marvel e eu não sabia?

          • Frogwalken

            Mr Catra com Fator de Cura e Adamantium.

            A Marvel precisa de um Reboot urgente!

          • eu cretino

            A Marvel precisa copiar a DC no que vale e fazer um reboot certo (que venha a crise nas infinitas terras marvel)

          • Frogwalken

            Daken, junto com o Romulus são outras cagadas que fizeram no passado desnecessário do CarcaJaca.

          • eu cretino

            O daken mesmo sendo um viadão da porra ainda era melhor do que essas versões variadas do carcajujuba

        • eu cretino

          Não só o peito como o fazedor de peido também 😖

      • Ela sabe o que é bom!

        • eu cretino

          E porque ela nunca pegou fera em qualquer uma das versões dele?

          • Frogwalken

            Provavelmente porque o Hank corria risco de morte com um baixinho de garras de adamantium por perto! =P

    • Eduardo

      Podia aparecer uma Baby Emma Nazaré Tedesco Frost Rainha da Porra Toda do Inferno de Madeleyne Pryor, de calcinha e sutiã, só pra tacar o lôko na revista e virar tudo uma Malhação pornô-teen.

      E nem precisaria usar o Ciclorninho, o Anjo já tem o fogo no rabo, digo, nas asas…

      Além de salvar os mutantes, o gibi deixaria a Marvel no #1 por uns bons 10 anos…

    • O escritor já disse que isso vai acontecer! All-new, but the same Marvel.

      • Quando a Marvel não repete ideia boa de forma ruim, cria ideia ruim e depois repete ela de forma ainda pior (Aranha Superior e Capitão Hydra).

      • O_Comentarista

        Same Old shit!

      • eu cretino

        Gzuis

      • Robin Hood

        Professor careca tarado: “Ah, Jean, você tem idade pra ser minha neta mas eu sou doido por você”
        Jean Grey que vale ainda novinha: “sai pra lá, seu velho babão. Só fico com você depois de morta!!”

        Uns par de anos depois:
        Professor careca mortinho da Silva mas ainda tarado:
        “Ei, Jean. Lembra da sua promessa? Vem me possuir, vem, sua linda!”

        • HUASHUASHUAS!

    • eu cretino

      Apenas rejuvenesceram as idéias de merda

  • Bizarro

    Pelo visto, único Azul e Dourado que presta msm é o Besouro Azul e o Gladiador Dourado…..pq X-men…..jesus..

  • Frogwalken

    Magneto = Bátima

    X-Novinhos = Robins

    Total = JJUREG PIRA!

    BWAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Mano, que bosta! Saudades da Equipe Azul QUE VALE!

    http://kanto.legiaodosherois.com.br/w750-h1200/wp-content/uploads/2016/10/legiao_E2FhX97l1_RjqIJgSbsTVH8xinQaB3CcAOe4zWrmGv.jpg

  • Bizarro

    Ehh Marvel, Ehh Marvel, Nossa senhora….então o Capitas SEMPRE foi do Mal? Vá a merda editora filha da puta. Kirby revira no tumulo depois dessa, o legado de seu maior heroi, simplesmente jogado no lixo.
    http://screenrant.com/captain-america-hydra-evil-explained/

    • Frogwalken

      Alguém quebre os 248 ossos do Nick Spencer e do Editor filho de uma maconheira aidética que aprovou essa merda!

    • starscream2

      A Marvel e seus retcons safados…

      • Né?

      • eu cretino

        Safados não. É podres mesmo.

    • Robin Hood

      Enquanto isso, em um brainstorming da outrora “asa das ideias”
      Editor-chefe incompetente: “Senhores, nossas vendas estão caindo…de novo. Como podemos reverter esse quadro?”
      Editor com bom senso: “Que tal se nós fizéssemos boas histórias?”
      Editor-chefe incompetente: “Que lixo! Está despedido!”
      Editor com um pouquinho de bom senso: “E que tal se nós recontratássemos todos os bons roteiristas e desenhistas que nós mandamos embora?”
      Editor-chefe incompetente: “Você está louco? Aqueles caras não aceitam trabalhar quase de graça que nem esses que temos agora! DESPEDIDO!!
      Editor sem bom senso algum: “E se nós transformássemos todos os nossos vilões em heróis e os nosso heróis em vilões? E ainda lançássemos trezentas edições de heróis genéricos sem personalidade alguma, mas que são – vejam que genial – ADOLESCENTES!
      Editor-chefe incompetente: “É disso que eu estou falando! Está promovido!!”

      Algum tempo depois:
      Repórter enxerido: Senhor editor, o senhor acha que o aumento na queda das vendas está relacionado às histórias sem pé nem cabeça que vcs lançam a cada mês?
      Editor-chefe incompetente: “Ãh, não, claro que não…a culpa é como sempre é das minorias. Ninguém gosta de minorias! Se alguém gostasse, elas não seriam mais minorias, não é? ”
      Repórter enxerido: Ãããh…eu não acho que seja assim que funcione…”
      Editor-chefe incompetente:“Você não sabe nada! Fizemos uma pesquisa com 300 donos de lojas de quadrinhos cristãos, brancos e do sexo masculino e todos disseram que a culpa é das minorias! Ninguém falou nada da qualidade das histórias! “

      • eu cretino

        Só quero saber qual dos dois é o Axel Alonso:
        O incompetente ou o sem noção?

        • Frogwalken

          Os dois, pra aprovar essas merdas só tendo excremento misturado a vômito no cérebro!

  • Bela resenha amigo Gruut, mas para mim X-men é igual o Ckreed: Já deu.

    • UI!

    • O_Comentarista

      Mas o Ckreed deu e ainda dá, ao contrário dos X-Men.

    • É igual ao Inferno, ao Moe, ao Luc Luc e ao JJota também.

    • Mas não foi pra você! Uma, porque você não alcança. Outra, porque gosto é de homem. #Pás

  • JJota

    Foi pra isso que serviu a tal Guerra Secreta? Trazer todo lixo de personagem carbono pra uma mesma realidade, enquanto os personagens originais continuam mortos/em coma/desaparecidos?!?!?!?!?!?!?!?!

    Gruut, tenho pena de você. Sério. Roteiro fraquíssimo, com desenhos apressados, uma narrativa sem inspiração e – pra coroar – tudo baseado (Majjin pira!) em uma das piores ideias de todos os tempos: esses tais X-Jrs. É dose (Majjin pira²).

  • Cullen Bunn é um dos roteiristas que a Marvel tá sobrecarregando. Vai ser extremamente difícil sair algo bom dele.

  • Robin Hood

    Outro dia, eu comentei que um dos problemas das quedas das vendas da Marvel era justamente o fato das histórias não terem novidades. É sempre o mesmo roteiro, herói encontra vilão, herói parte pra porrada, vilão perde, fim! Bem, essa revista aí seguiu o script certinho.
    E quanto ao Wendigo…puxa, quem viu o primeiro encontro dele com os X-Men https://en.wikipedia.org/wiki/Wendigo_(comics)#/media/File:Uxm140.png, desenhado pelo Byrne e roteiros do Claremont que vale, só pode estar chorando lágrimas de sangue ao ver essa porcaria que querem nos vender. Snif! (não, eu não tô chorando, foi um cisco de meia tonelada que caiu nos meu olhos)

    • JJota

      Cara, que arte bosta!

  • starscream2

    Jean Grey líder da equipe? Que novidade. Afinal, praticamente todas as equipes atuais da Marvel tem líderes mulheres, porque sim. Estou começando a concordar com as reclamações dos lojistas gringos.

    • Anubis_Necromancer

      Mas tem que ver que ela teve mais aprendizado com os mais velhos do que os juvenis.
      Vide o Scott juvenil, praticamente perdido entre uma porrada de equipes.

      • Robin Hood

        É, os mais velhos deviam estar loucos pra “ensinar” a Jean novinha…começando com o professor Xavier, aquele careca sem-vergonha! 🙂
        Ah, ele morreu? Morreu nada, deve estar escondido, só aproveitando pra ler a mente das moçoilas sem ser descoberto!

      • starscream2

        Ah, Anubis, você sabe que a verdadeira razão é o “empoderamento”. Qualquer líder tá valendo, desde que seja mulher.

        • Frogwalken

          Sdds da Equipe Azul com a Psylocke TENTANDO o Ciclope e a Jean achando que era corna só pra tomar uma FACADA PSIQUICA na cara! =D

          • eu cretino

            Boa fase essa

    • JJota

      Grande líder: a fdp que ficava toda hora invadindo o pensamento de todo mundo, falando em voz alta e ainda arrancou o Menino de Gelo do armário…

      • Frogwalken

        Imagino a Jean 9vinha indo pra POLIÇA acusar um cara por ter sido IXTRUPADA… Mentalmente!

        • eu cretino

          É a onda do momento.
          Ou ela pode fazer melhor: após uma trepada ruim ela vai la e denúncia o cara por X-tupro.

    • O_Comentarista

      O problema não é ter líder feminina, e sim isso ser bem trabalhado.

      Tempestade, como o Gruut falou, seria ótima líder de campo.

      • Frogwalken

        E a Tempestuda era a Líder da Equipe Dourada Originec.

        A MARVEL EEEEEEEEERRRRRRRRRRRRRAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!

      • Eduardo

        “Tempestade, como o Gruut falou, seria ótima líder de campo.”

        O lance é que Ororo vem sendo cagada desde Queda dos Mutantes. Agora, ela é bem uma líder “tempestiva”, que apenas REAGE aos eventos – acabamos de ver isso em IviX. Culpa dos escritores que nunca entenderam a personagem direito.

        • eu cretino

          O único que conhece e trabalha bem a tempestade é o claremonth

          • Eduardo

            Sim, e os escritores que vieram depois nunca a respeitaram – preferindo focar na Vampira, por exemplo.