Ou “Fazendo as pazes com o passado”.

Cá estamos de volta a mais uma eletrizante aventura da mais inesperada equipe mista de todos os tempos.

Além de tudo levando a crer que estamos no final dessa longa saga.

A edição começa de um modo não usual, numa folha branca simulando um documento oficial, com um resumo da situação desde de sua descoberta até o momento.

Em seguida temos o elenco da vez e a participação especial.

O Talismã.
Elenco, mais participação especial.
Recomendação do Sorg

Começamos então com uma parte da infância de Mike Power, que futuramente se chamaria de Homem-Atômico, bancando o detetive infantil, atrás da bicicleta de uma criança, roubada por alguns valentões.

O Pequeno Detetive.

O tempo muda para os dias atuais e vemos no que parece ser um café Mayday e Stalker, um membro dos Joes, conversando. Quando esta vai direto ao assunto e pergunta sobre o que ele saber a respeito do Projeto Homem de Gelo.

Stalker meio desapontado achando que seria um convite para um encontro, diz que não sabe sobre o caso. Mesmo tendo sido do Adventure Team por pouquíssimo tempo.

Ele logo pergunta se Scarlett sabia o que ela estava fazendo, e Mayday apenas responde que ela deu sinal verde para ela.

Ele logo num tom mais amigável diz que invadir Kalistan e prender Tomax, esta explica que Tomax estava com um cybertroniano ilegal, além de afirmar que ninguém a viu em Kalistan.

Stalker afirma que ela está apressando as coisas, Mayday apenas afirma que quer proteger o país e seu planeta.

Comum sorriso otimista, ele fala que ela não está sozinha nisso, apresentando dois membros do M.A.S.K., Spectrum e Aura, que irão auxiliá-la nisso.

Soldados da Fortuna.

Após as apresentações ambos se lembram do que houve num evento recente em Monument Valley, quando pensou que eles tivessem morrido; Aura corta o clima dizendo para se apressarem e partirem para a missão.

Voltamos a infância de Mike Power, no qual investigava uma rachadura numa cerca, e percebendo a aproximação de Pidge, um valentão que perturbava ele e outras crianças.

Pidge pede que o ajude a achar seu amigo Finney, que sumira ao entrar numa casa abandonada que diziam ser assombrada. Meio que suspeitando de algo, ele aceita investigar o ocorrido e ambos se dirigem a ela. Ao entrar eles são perseguidos por um fantasma, que nada mais é um efeito especial criado pela cabeça de um drone do Talismã.

No presente, em Brasnya.

Kup, Action man e Blackrock dirigem-se até o local aonde a Axalon havia caído, agora uma cratera inundada de água e coberta de gelo.

Blackrock usando os códigos que Tomax havia lhes dado, entram por uma escotilha.

Dentro do que agora era uma base submersa, os 3 seguem por um corredor quando luzes vermelhas começam a piscar desligando os dois cybertronianos, deixando um preocupado Action Man sem perceber duas gigantescas figuras atrás de si.

De volta ao passado, Mike é salvo na última hora de dois bandidos pelo Action Man daquela época, enquanto este luta contra os bandidos, Smarts, o cachorro de Mike, encontra o cheiro de Finney, sendo cativo de mais 2 bandidos.

O Action Man Original ao resgate.

Conseguindo distrai-los, permite que Action Man entre derrubando a porta e prendendo-os. Mike então leva consigo a cabeça do drone para estudá-lo melhor.

De volta a base submarina, Action Man atual, vira-se e percebe que as duas gigantescas figuras são Optimus Prime e Shockwave steampunk!

Estes atacam o jovem agente, que é ferido no processo. Mas antes que pudesse eliminá-lo, Action Man dispara uma bala explosiva no teto, que o perfurando permitindo assim a água entrar, retardando o avanço dos robôs.

O Ataque dos Cyberdrones.

De volta ao passado, temos a narrativa de uma página de no qual Mike passa os dias analisando a cabeça do drone que havia pego na casa assombrada, dedicando todo seu tempo em verificá-lo com detalhes pesquisando, e analisando. Fazendo com que os apelos de seus amigos para brincar na neve fossem ignorados e até mesmo seu fiel amigo Smarts fugisse de casa devido ao abandono de seu dono pela peça metálica.

Memórias de uma infância infeliz.

Após algum tempo, Mike consegue então construir a primeira prótese com a tecnologia que havia adquirido, e com ela afixada agora no lugar aonde era seu membro ausente; Ele então imaginou como seria se o braço mexesse, e os dedos se moveram como resposta.

Com esse feito, Mike pega seu antigo braço inanimado, e o destrói esmagando-o com o braço novo.

No presente, Action Man começa a se afogar após ter destruído o teto, permitindo que a água do lago entrasse. Krieger ver a cena apenas se questiona como um garoto tão idiota sobreviveu tanto tempo. Conversando com um desacordado Homem-Atômico, ele admite que para salvar seus I.R.O.N. Cyberdrones, teria que abrir a ventilação e assim aumentar a pressão, para que a água fosse expulsa da base.

Ao fazê-lo, logo percebe que antes de Action Man explodir o teto, ele estava conversando com alguém por um comunicador. Ele tenta fechar tudo novamente, mas já é tarde, pois Mayday e M.A.S.K. já estavam dentro da instalação.

Furioso por ter sido enganado, Krieger desperta o Homem-Atômico, afirmando que os invasores estariam ali para acabar com o sonho de ambos.

No passado, vemos um Mike Power já adulto conseguiu entrar para o Adventure Team, sendo entrevistado por Colton e demonstrado o potencial de suas próteses criadas a partir do modelo estudado nos tempos que era criança.

Reaproveitar é preciso.

De volta ao presente, Aura resgata Action Man de se afogar e pergunta se estava bem, ele responde que estava quase congelando, pois, devido o sal na água não permitia que ela congelasse. Em seguida ele questiona sobre ela ter visto algum robô gigante, e ela fala que encontrou dois, mostrando que estavam sendo perseguidos pelos cyberdrones de Krieger.

Mayday e Spectrum chegam a sala de controle de Krieger sendo seguidos por Aura e os cyberdrones, apenas para a surpresa dela, que Mike Power estava vivo e energizado com o Ore-13.

Voltando ao passado mais uma vez, o Adventure Team ver-se encurralado ao tentar salvar um cientista preso a um foguete por vários Iron troopers que teimavam em reaparecer.

Mike então tomando a dianteira, corre em direção ao objeto na tentativa de salvar o cientista, mas inesperadamente ele explode. Sentindo-se então culpado pelo ocorrido.

Culpas e Dilemas.

De volta a instalação no presente, Mayday avalia a situação, tendo de lidar com duas copias de Optimus e Shockwave, pede ajuda de Spectrum e Aura para isso.

Action Man então diz que Mike Power trabalhou com o predecessor do seu predecessor, ou algo assim.

Mesmo ferido, ele vai ao encontro de Mike, com qual iniciam uma conversa sobre o sentido de tudo aquilo. Mike replica dizendo que ele era a fusão definitiva entre homem e máquina, tudo graças ao Talismã.

Objetivos revelados.
Promessas feitas…

Com o combate correndo descontroladamente como pano de fundo dessa conversa. Action Man então fala que devido o trabalho deles, as pessoas sempre dirão que não são boas para aquilo e aquilo começa a consumi-los, pois começam a acreditar naquilo e como consequência desse fato, elas se sentem solitárias. Terminando dizendo que acredita nele, e que Mike Power que tanto ouvira falar, teria se sacrificado para fazer do mundo um lugar melhor.

Mike relembrando então da conversa que tivera anos atrás com Krieger, revelando sua frustração ao perceber o quanto era limitado demais por ser humano; mas após tocar o Talismã ele sentiu algo mais; e para aqueles novos tempos de aliens, monstros e robôs gigantes, ser ele sabia que aquilo não seria o bastante. Junto com Krieger decidem alcançar esse “algo mais”.

Ao fim dessa lembrança, Mike sente por não ter passado mais tempo com Smarts ou brincado mais um inverno com seus amigos… Fazendo as pazes com o passado, ele então desliga as copias análogas e no processo ele acaba se desligando, revelando-se na verdade mais um drone do Talismã com as memórias de Mike Power original.

…e pazes com o passado.

Action Man lamenta o que houve com o herói pois não sabia que o mataria no processo.

Mas para sua surpresa e a de Mayday (além de um desorientado Blackrock e Kup), a energia liberada no processo faz aparecer na sala uma figura há muito tempo sumida, ninguém menos do que o Sargento Savage, até então perdido no tempo e espaço.

O Retorno da Lenda.

Edição com muita ação e toques de nostalgia, Barber entrega um roteiro simples e funcional, mas com as alternâncias temporais e estilos torna a narrativa um pouco complicada para quem é um leitor casual, mas, ainda assim, muito boa.

A história ruma para seu clímax mas sem estragar a trama.

A arte é novamente alternada, entre 3 pessoas agora: Agnes Garbowska, Ron Joseph e o já conhecido Fico Ossio, cada um com eu estilo do qual pode confundir o leitor em determinadas partes. Mas nada que atrapalhe tanto assim.

Nota: 8/10.

Quem é Quem.

Para quem entrou aqui e está confuso ou curiosos com ou quem são os personagens e de onde vieram.

Action Man – Na segunda metade da década de 1960, a Palitoy, uma empresa sitiada na Grã-Bretanha decidiu lançar na Europa uma coleção de toys que a Hasbro havia lançado dois anos antes nos EUA. Mas devido ao nome dele (G.I. Joe The Real American Hero), a empresa decidiu mudar o nome dele nas terras da Rainha. Nomes como Ace 21 foram citados, mas acabou sendo chamado de Action Man no final.

O Começo.
Variações que ninguém pediu.

A coleção durou de 1966 até 1984, e além de importar tudo lançado nos EUA, a empresa também criou seus exclusivos.

Depois disso, a franquia voltaria apenas em 1993, com uma nova linha de toys e uma série animada em 1995 criada pela DiC e Bohbot Entertainment, com uma pegada mais da época, com personagens marombeiros e muita ação mentirosa.

Após ela em 2000, uma nova série agora feita em CGI, produzida pela então Mainframe Entertainment, a mesma empresa de Max Steel; novamente rebootando o personagem deixando ele mais teen e praticantes de esportes radicais.

Em 2005, a franquia receberia eu 3º reboot, mas de um modo um pouco diferente, agora conhecido como A.T.O.M. – Alpha Teen On Machines, feito pela SIP Animation (No Reino Unido, Austrália e partes da América Latina recebeu o nome de Action Man A.T.O.M.).

No qual Action Man agora conta com ajuda de uma equipe mais ativa (nas anteriores era só coadjuvantes), além de veículos com habilidades escondidas.

As 3 versões animadas – 1995 – 2000 – 2005.

Na encarnação atual Action Man faz parte de um grupo chamado Action Man Programme originado em algum ponto do Século 16 (sob a regência de Elizabeth I), no qual um agente solo altamente treinado é incumbido em executar missões das seriam impossíveis em grupo.

Ao longo dos tempos, diversas pessoas encaram a missão de agir como Action Man, sendo o último o jovem Ian Noble.

Peso do legado.
Ian Noble.

M.A.S.K. – No meio da década de 1980 (sempre^^), a Kenner Products lançou uma coleção de toys chamada M.A.S.K. (sigla de Mobile Armored Strike Kommand) dos quais possuíam veículos que podiam adotar segunda foram para ataques. Além de máscaras (mas aquilo eram capacetes!) que davam certos poderes a quem as usassem.

Aquele toy que toda criança queria, mas nunca veio para o Brasil.

Anos mais tarde a Hasbro viria a comprar a Kenner, além de todo seu catálogo de toys lançados.

Além dos toys, para alavancar as vendas veio também uma série animada (regra em toda essa época).

.

No desenho os cientistas Matt Trakker e Miles Mayhem desenvolvem a tecnologia MASK para o bem da humanidade. Mas Mayhem decide usá-las para proveito próprio; assim roubando 4 máscaras, explode o laboratório, criando assim a V.E.N.O.M. (Vicious Evil Network Of Mayhem). Matt que havia sobrevivido a explosão junto com seu filho, recolhe as máscaras restantes e cria um grupo chamado M.A.S.K. e assim combater a V.E.N.O.M.

Na versão atual, muitas mudanças foram estabelecidas para se adequar aos novos tempos, como uma nova origem e caracterização de personagens.

M.A.S.K. x V.E.N.O.M.

M.A.S.K. é a tecnologia criada por Miles Manhein (Mayhem, chefe da V.E.N.O.M.), desenvolvida a partir engenharia reversa de Blitzwing (Decepticon de 3 formas) com a finalidade de defesa contra a invasão cybertroniana à Terra.

Violação do Artigo 3 do Acordo de Tyrest – Ultra Magnus.

Selecionando indivíduos, entre eles Matt Trakker, filho de um antigo parceiro de Manhein. Monta a equipe M.A.S.K., mas logo revela suas reais intenções tentando destruí-la e assim criando a V.E.N.O.M. Matt então assume, a contragosto, a liderança da equipe e com isso vai atrás de Mayhem.

VOCÊ TAMBÉM QUER VER SEU TEXTÍCULO, IMORTALIZADO NO BDE? CAPRICHE NAS IMAGENS, DEIXE A LUÇ DE DADÁ GUIAR SEUS DEDINHOS E MANDE TUDO PARA OBAILEDOSENXUTOS@GMAIL.COM.

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1