Banner o cemitério

Se você tivesse a oportunidade de ressuscitar uma pessoa amada , mesmo que essa pessoa voltasse um pouco “diferente”, você faria isso ?

Você teria coragem de interferir no mundo dos mortos ?

Até onde você iria por uma pessoa ?

 

Antes de você me responder, vou falar um pouco sobre o autor e a história. Stephen King é conhecido como um dos maiores escritores de terror de todos os tempos, afinal o cabra escreveu clássicos como “O Iluminado”, “Carrie – A estranha” e “A Coisa”. Mas é no livro “O Cemitério”, lançado em 1983, que King mostra toda a sua perversidade e habilidade de causar arrepios no leitor.

 

Melhor escritor de todos, TODOS TODOS
Melhor escritor de todos, TODOS TODOS

O livro conta a história de Louis Creed, um jovem médico que se muda com a sua família para uma pequena cidade do Maine. Lá ele conhece o velhinho boa praça, Jud Crandall, que depois de um certo tempo se tornaram bons amigos. Em uma certa tarde, Crandall fala sobre um cemitério indígena onde quem é enterrado lá volta à vida, Louis não acredita na história a princípio, mas quando o gato de sua filha, Ellie, morre atropelado e, subitamente retorna à vida, Louis descobre que a dor e a loucura, muitas vezes, dividem a mesma estrada.

 

“Provavelmente é um erro acreditar que possa haver um limite para o horror que a mente humana pode suportar. Parece, ao contrário, que certos mecanismos exponenciais começam a prevalecer à medida que o infortúnio se torna mais profundo. Por menos que se goste de admitir, a experiência humana tende, sob muitos aspectos, a corroborar a ideia de que quando o pesadelo se torna suficientemente terrível, o horror produz mais horror, um mal que acontece por acaso engendra outro, frequentemente menos ocasional, até que finalmente a desgraça parece tomar conta de tudo. E a mais aterradora de todas as questões talvez seja simplesmente querer saber quanto horror a mente humana pode experimentar conservando uma atenta, viva, implacável sanidade. […]  Pode ser esse o ponto em que a sanidade começa a resgatar a si mesma ou a ceder, sucumbir; o ponto em que o senso de humor de uma pessoa começa a fazer valer seus direitos.” (Pg. 239 )

Pronto para me responder ?

 

Não ?

 

Eu entendo, não é uma pergunta fácil, e é aí onde King cutuca a ferida. Os primeiros capítulos  nos  apresenta a adaptação da família Creed na nova cidade, sua nova rotina e principalmente a personalidade de cada um, além de o assunto (a morte e ressureição) que está presente em todo o livro, mas em cada parte com certa intensidade.

O autor faz várias reflexões sobre a morte, de como lidamos com ela, e como ela pode ser devastadora. Até onde a dor da morte pode levar uma pessoa? O que separa a dor da loucura? Quais os estragos causados pela morte? Até aonde você iria para se livrar dessa dor ?

Para uma história de terror funcionar, você tem que se importar com os personagens, e o leitor logo de cara já se identifica com cada um. É na segunda parte do livro que o verdadeiro horror começa, e admito, não foram poucas as vezes que eu tive que parar de ler o livro e recuperar o fôlego e juntar coragem para ir para as próximas páginas. A morte de um suposto personagem, e a sua volta à vida ( que também foi enterrado no mesmo cemitério que o gato da família )  é contada de uma forma perturbadora.

Ninguém está a salvo no livro. Sabe aquela regra de matar todo mundo, mas deixar as lindas criancinhas em paz ? Bem, esqueça dela, não importa quantos anos ou a inocência dentro do seu coração, King faz o personagem atravessar um verdadeiro inferno, torturando tanto os protagonistas como quem está lendo.

Sem dúvida, esse foi o livro mais assustador que já tive o prazer de ler.  Mesmo eu tendo terminado o livro semana passada, me pego refletindo sobre a história e sobre as decisões de Louis. Pare de comprar as HQs do Aranha Superior e junte dinheiro para comprar o livro, garanto que você não vai se arrepender.

E então, já tem a resposta ? Sim ? Ótimo, pegue a pá, não olhe para baixo e me siga. A lua vai iluminar o caminho.

Tente não pensar sobre o que você vai fazer agora e só me siga, o cemitério esta logo a frente…

Você está ouvindo o cemitério te chamar ?

 9788581051574

“Hey, Ho, let’s go !”

 

 

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1