Star Wars: O Despertar da Força é um filme legal. Fato. Mas talvez fosse só um filme ok se não fosse o nome Star Wars sustentando o mesmo. Eu saí da sessão com a sensação de OK, poderia ser muito melhor do que isso mas, para evitar os spoilers, deixei todos os pontos abaixo fora da resenha. Mas agora é hora de dissecar a porra toda e colocar o dedo na cara em tudo que não funcionou nesse filme.

A começar com o óbvio:

Remake.

Sim porque O Despertar da Força é um remake do episódio IV feito para a nova geração de fãs.

Parece que o J.J. Abrams fez o filme para ser o menos arriscado possível. Eu fiquei desapontado com isso. Não é possível que 30 anos depois as coisas continuem as mesmas.

Super

Até aí tudo bem, é a forma da Disney reviver a franquia e abrir as portas para os 9vim e eu como pai de filhos de idades distintas acho isso ótimo. Porém, para nós velhacos que se aproximam da casa dos 40 e perdem o lado negro das barbas e cabelos, o filme virou fan service. Só. Mas não somente isso. Deixemos de lado o hiato temporal entre O Retorno do Jedi e O Despertar da Força. Passou-se o que, 20, 30 anos? Não importa (quer dizer, importa mas enfim). O que a Aliança Rebelde fez depois da derrota ao Império? Não havia um plano ou um norte traçado para o reestabelecimento da democracia galática? Aparentemente não e, mesmo que houvesse, é óbvio que ele foi completamente incapaz. Novamente temos uma ordem ditadora, plenamente estabilizada e equipada, comandada por um ser (aparentemente) super poderoso e mão de ferro lutando contra rebeldes em condições precárias.

E a república? E o senado? E a democracia? Décadas de guerra, sacrifício e morte de inocentes não serviram de nada em prol da saída fácil dos roteirista em reciclar o primogênito de 1977.

Não existe a Nova República? A única justificativa que vejo para a existência dos Rebeldes seja que eles são inimigos da Primeira Ordem e da Nova República, o que seria um atestado monumental de incompetência da Leia (que seria perfeitamente plausível, já que a mãe dela, Padmé Amidala, já provou que pode ser tão incompetente quanto já que escolheu Jar Jar Binks como diplomata no Senado Galáctico).

Super

Rey

A Rey é o Luke desse remake, passando pela mesma jornada do herói que ele. É uma órfã abandonada em um planeta desértico, é um piloto nato e the force is strong in this one. Mas, mesmo Anakin (o maior Jedi de todos, TODOS TODOS) teve anos de treinamento com Obiwan. Mesmo Luke foi treinado. Aí porque sim a Rey consegue usar a força a ponto de dominar a mente de um Stormtrooper. Aí ela consegue fazer o sabre do “pai dela” ir para as suas mãos mais fácil do que um prato de guloseimas vai para a barriga do Inferno? Aí, na primeira vez que ela manuseia um sabre de luz, ela consegue lutar com Kylo Ren (tá, dá-se um desconto que ele já estava ferido pelo tiro do Chewie e pela luta com o Finn). Mas o uso da força pela Rey força a barra e muito.

Como uma pessoa (mesmo que tenha maior percentual de Midi-chlorian por ML de sangue de uma galáxia muito, muito distante), que imagina que “A Força” é só uma lenda e nunca teve qualquer tipo de treinamento além da “Escola da Vida” se mostra a maior mestra fodona dos poderes Jedi de uma hora pra outra. Porra Xuxu! Ela consegue, já na terceira frase, só usando seu sotaque britânico, fazer com que o Stormtrooper a liberte! Tudo bem que era o 007 ali mas, MENAS…

Oliver Queen.

Sério, eu nunca que vi uma forçação de barra como esta. As duas desculpas possíveis que consigo pensar até agora são a Rey ter mais Midi-chlorian (sim! Os Midi-chlorians!) no corpo do que sangue ou ela ser a reencarnação do Yoda.

Super

E ela é filha do Luke? Da Leia e do Han? Apostas?

O mapa com a localização do Luke

Então vamos lá: todo mundo odeia o chris quer saber onde o Luke está, right? Kylo Ren está em busca de BB-8 que guarda a última parte da localização do último Jedi. A aliança o tem como trunfo contra o Líder Supremo Snoke. R2D2 tem o mapa mas falta a parte que está com BB-8. Aí quando a bolinha finalmente chega na base rebelde, o mala do C3PO diz ah, isso não ajuda em nada porque é só parte do mapa. Oi? Ninguém sabia que só faltava aquela parte? Que R2 já tinha a porra toda? Ou o robô cansou de salvar todo mundo em 6 filmes, mandou geral se fuder e resolveu dormir? Aí quando chega o robozinho oiiiinnnnnnn da galera, ele resolve contar que já tinha quase tudo?

Sei lá, ou eu boiei nessa parte ou só ela é mal explicada mesmo.

Eles estavam procurando o resto do mapa da galáxia, daí do nada o R2D2 começa a funcionar e tem o mapa com ele (com exceção da pedrinha do quebra-cabeça que tava com…. outro dróide alívio cômico!). Mas deve ter tido uma explicação que eu deixei passar ou, mais provavelmente, sou burro e não percebi.

Oliver Queen

Essa não entendi. Eu perdi alguma coisa que explicasse o súbito despertar do R2D2? Ah! Já sei! É A Força.

Super

Luke

O aparecimento do Luke é uma das coisas mais anti clímax desse filme. A trama foca-se na procura por ele. O clima do filme é engendrado para que o espectador fique com a sensação será que ele aparece, será que não. Porém, quando o mesmo acontece, é, bem… Nhé.

Durante a sessão que fui, todo o cinema vinha abaixo com o fan service e com as referências à antiga trilogia. Quando Han e Chewie aparecem em cena pela primeira vez, o cinema veio abaixo, assim como a Millenium Falcon. Teve comoção até quando a cara cheia de botox da Leia pintou na tela. Porém, NINGUÉM esboçou reação alguma quando Luke Skywalker é mostrado. Dona patroa simplesmente detestou a cena, com a Rey com cara de paisagem entregando o sabre para ele, Luke com cara de pedófilo maníaco psicopata estauta e o filme se encerrar ali. A maioria do pessoal com quem conversei sobre achou bunda o aparecimento do personagem e deu N pitacos de formas muito melhores para ele ser inserido na trama.

Em tempo, como diabos aquela anã tinha o sabre dele que caiu da Cidade das Nuvens no episódio V?

A localização do Luke foi o MacGuffin do filme, isso é, o elemento da trama que move todos os personagens. Então o lendário Luke Skywalker aparece daquele jeito brochante.

Super

Kylo Ren

O Kylo é um emo de Primeira Ordem. Veste preto, revolts com os pais mesmo tendo tudo de mão beijada e sendo o queridinho do diretor (líder supremo) do colégio, tem achaques de bambi como criança mimada. Aliás, é o próprio filho de pais separados / ocupados / tô nem aí pro filho que compensam dando tudo que é brinquedinho (sabre de luz, máscara preta), memorabilia (capacete do vovô) e roupas da hora. É um emo coxinha, que quer a volta do Império da época que o vovô era General, tipo neto de milico querendo volta da ditadura.

Oliver Queen

O Mestre Kylo dos Cavaleiros de Ren é um personagem no mínimo problemático. O aprendiz do lado negro é um personagem divido, atormentado e seduzido pelo lado da luz da força (e isso eu achei bem legal). Mas não sei se o ator não ajuda ou a forma como os roteiristas escolheram para mostrar que ele é jovem e imaturo (ele faz birra e bate as coisas que nem meu filho de 3 anos) fez o personagem se tornar mediano.

Por mais que tentem, nunca vai haver outro personagem tão foda que nem o Vader.

Dona Patroa depois da sessão

Kylo sem a máscara
Kylo sem a máscara

É consenso que o personagem perde metade do pouco carisma que tem depois que ele tira a máscara. E ele apanha do Finn (foda-se que ele tomou um tiro do Chewie. Aliás, ele dando soquinhos no ferimento não mostrou ele sendo badass. Achei aquilo idiota. Eu sei que tem sentido mas continua idiota). Resumo da ópera é que Kylo Ren podia ser muito melhor desenvolvido / trabalhado.

Starkiller

Gente, é uma arma do tamanho de um planeta! Como assim ninguém fazia ideia da existência dessa coisa. Imagine a logística! Como a Primeira Ordem conseguiu construir e testar algo daquele tamanho e ninguém reparar?

Super

Fora que nenhum roteirista pensou em nada mais criativo do que a terceira estrela da morte?

Capitão Phasma

Ela pode ter alguma importância nos próximos filmes (e no novo universo expandido), mas aqui ela é completamente descartável. Ela provavelmente será a antagonista do Finn no próximo filme. Aí rola uma tesão sexual entre os dois e se forma um triângulo amoroso entre o Finn, a Capitã Phasma e a Rey. O Finn é o Batman, a Capitã Phasma é a Mulher Gato e a Rey é o Robin. No terceiro filme rola um roteirismo, a Capitã Phasma morre nos braços do Finn ao se sacrificar para salvar a vida dele, como aconteceu com Shina de Cobra e o Seiya de Pégaso em Cavaleiros do Zodíaco. Restando ao Finn ficar com a rey como prêmio de consolação. Mas esse sou eu delirando.

Super

the_phasma_menace_by_izra-d9kvuulRest my case.

Finn

O cara liberta o piloto rebelde Poe Dameron porque “é a coisa certa a fazer”, então desiste de tudo no meio e quer dar o fora? Não me parece coisa de alguém que traiu os seus em nome de um ideal. Coisa que também é inconsistente com alguém que foi treinado desde a infância. Se fosse um cara que cumpria alistamento militar obrigatório aos 18 anos e depois visse que era uma furada tudo bem, faria sentido.

Alias seria uma motivação muito melhor que ser “a coisa certa a fazer”. Ele libertava o piloto Poe Dameron em toca dos rebeldes fazerem com que ele sumisse e nunca mais seja encontrado pela Primeira Ordem.

E condizente com alguém que mente se dizendo fazer parte da Resistência. Que assumisse que ele era egoísta e covarde a princípio!

Super

Fora que ele é uma metralhadora de gags que chega um ponto que cansa.

Alias, assistindo uma entrevista com Irvin Kershner, quando ele foi convidado para dirigir o Império Contra Ataca, ele disse a George Lucas que queria que o filme tivesse um pouco de comédia sem apelar para gags e romance sem ser água com açúcar e o resultado é o melhor filme da franquia. Em O Despertar da Força nós temos um exagero de gags que funcionam no decorrer da película mas depois você acaba percebendo que é um excesso absurdo. Não há espaço para nada subjetivo, tudo tem que ser explícito e exagerado.

A súbita amizade entre Fin e Poe Dameron

Sério que o melhor piloto dos Rebeldes aceitou de boa um Stormtrooper e conta que encontraram Luke? Será que Poe Dameron não pensou nem por um minuto que esse cara era um espião a mando do Bátimã?

Super

Ele viram BFF porque sim. Porque o Finn é um cara legal e o Poe também. Enfim…

Como disse o leitor Bicuinha, “é respeitoso até na pressa, se você prestar atenção, em toda saga Star Wars, soluções apressadas e conclusões fáceis como a destruição da base Starkiller e das Estrelas da morte são recorrentes. É um Star Wars de Fato, tanto nos erros quanto nos acertos”. A óbvia opção da Disney foi seguir pelo caminho mais fácil que agradaria gregos e troianos mas pela falta de ousadia e pelas decisões um tanto quanto duvidosas, eu realmente acredito e volto a afirmar que o Despertar da Força não seria um filme tão legal se não fosse sustentado pelo nome Star Wars.

E o que os senhores acharam?

Comentários Facebook (O DISQUS ESTÁ ATR... LOGO ABAIXO)

Comentários Disqus

BDE1