E você aí, torcendo pela selecinha do Brasil…

Olá, caros Enxutos que estão claramente maravilhados com o que podemos ver nesta Copa América do incrível legado deixado pela Copa 2014 e Olimpíadas 2016! Depois de assistir a nossa selecinha suar sangue para conseguir derrotar, jogando em casa (!), o Paraguai (!!) com um a menos (!!!) nos pênaltis (!!!!!), resolvi continuar uma série já esquecida pelo tempo e continuar a famosa Copa Enxuta! Depois de convocar a Marvel, chegou a hora de saber quem a DC colocará em campo! 

Para leigos, isto é o que se chama “humilhar”, no futebol!

Antes de mais nada, lembrando do cinema, é fato que a DC, ao contrário de sua maior rival, é daqueles times que não pode apenas fazer o feijão com arroz: além de vitória, sua torcida exige espetáculo! E como tem sido infeliz nas suas escolhas de técnicos – Zack Snyder, pra citar o pior – e dirigentes – Geoff Johns, o cara que supervisiona tudo até tudo dar errado – tem se acostumado a… levar tomate!

Goleiro: Homem-Borracha

“Pela última vez, eu não sou do Quarteto Fantástico!”

Um grande goleiro é “um verdadeiro paredão” e deve “fechar o gol”. Então nada melhor do que um cara que tanto pode virar um muro de verdade como um portão intransponível. Apesar de tanto talento, algumas questões fazem com que ele não goze de muito prestígio junto à torcida. Em primeiro lugar, é considerado um “jogador doidinho” que pode, de um minuto pro outro, colocar tudo a perder numa partida. Sua honestidade também sofre questionamentos, já que é de conhecimento público que, antes de ganhar seus poderes, Eel O’Brian era um criminoso. Também há quem o ache superestimado como atleta, visto que nem tem tanto moral assim na própria Warner/DC, já que, por exemplo, realizou a proeza de ser um dos poucos heróis que nunca apareceu em nenhum episódio de Liga da Justiça Sem Limites. Quanto a isto, o Homem-Borracha é enfático ao dizer que era membro das equipe e teve seu nome citado em alguns episódios, nunca aparecendo porque estava ocupado treinando para o time e, por isso, sempre mandava seu substituto, o Homem-Elástico. “Falando série, a maior parte da torcida nem sabe diferenciar um do outro, né?”, disse numa coletiva. 

Lateral direito: Mutano

“Meu ídolo é o Neymar, que é igualzinho a mim, um eterno Peter Pan! Até ver mulher…”

Um lateral deve ser veloz como um guepardo, forte como um gorila e ágil como um coelho. Nada melhor, então, que um sujeito que, dependendo do momento do jogo, pode virar qualquer um destes animais! Sua imaturidade preocupa, ao ponto de ter gente que estremece ao ouvir que ele “ainda está verde para a posição”. Não que a piada seja tão ruim assim, mas é um porre ouvir o próprio Mutano contá-la vinte vezes por dia na concentração!

Zagueiro central: Darkseid

“Thanos é só um menino!”

Também conhecido como O Imóvel, o senhor de Apokolips garante sua área sem sequer descruzar os braços, quanto mais dar um único passo, seja pra que lado for. Também pudera: quem ousar se aproximar será perseguido pelos seus raios ômega e correrá o sério risco de sair “queimado” da partida (ou até poderia “escorregar pelo tempo”, mas isso requer preparo!). O grande problema de Darkseid é seu estrelismo: só se concentra se for com seu séquito, que inclui pessoas tão “agradáveis” como Vovó Bondade e Kalibak. Seus colegas já deram declarações – em off, claro! –  se dizendo incomodados por estas pessoas terem acesso até aos vestiários em dias de jogo!

Quarto-zagueiro: Gavião Negro

“Jogo como quero! VAR? Var à mer…”

Quarto-zagueiro pra merecer o nome não faz a barba, toma banho ou escova os dentes em dia de jogo. E, convenhamos, poucos heróis tem um visual mais sujo que o bom e velho justiceiro associado alado. Além de ter imposição física e boa “impulsão” (é imbatível no jogo aéreo), Carter Hall tem um linguajar chulo, destes que deixariam o Deadpool vermelho, e usa isso para provocar adversários. Seu problema é a continuidade: nunca se sabe quando ele vai ter sua origem recontada e, mais uma vez, virar um policial alienígena pouco confiável ou um avatar da natureza!

Lateral esquerdo: Flash

“Eu NUNCA chego atrasado na jogada!”

Aqui ocorre uma imposição: como o Mercúrio atua como lateral-direito no time da Marvel, seria covardia colocar outro para marcá-lo em uma eventual partida entre as duas seleções. É um caso clássico de jogador que ressurge depois que sua vida carreira foi dada como encerrada: ele já tinha sido substituído por um parente, que copiou seu uniforme, estilo de jogo e até adotou o mesmo nome. Mas um dia o antigo titular voltou da mort… digo, da aposentadoria e retomou sua posição, sem na verdade ter feito lá muita coisa pra merecer tanto…

Volantes:  O Exterminador e Superman

“O próximo tiro será em qualquer um que ainda me chamar de Deadpool!”

Para atuar na frente da zaga e cobrir os espaços deixados pelos laterais, ninguém melhor que um sujeito que usa 90% da sua capacidade cerebral. Joga pesado, sendo certo que alguns braços e pernas devem ser decepados a cada partida e um ou dois óbitos não serão exatamente uma surpresa. Goza da merecida fama de mercenário junto à torcida e a crônica especializada o acha superestimado, pois só brilha de verdade ou contra equipes juvenis, como Os Novos Titãs, ou contra equipes reservas, como fez em Crise de Identidade

“Que foi? Eu tenho dois empregos, ué?”

Superman marca e sai pro jogo, tendo um pulmão de aço. O kryptoniano não poderia atuar em outra posição, pois lhe garante brilhar os noventa minutos da partida. Aliando técnica, velocidade e resistência, consegue executar – e bem – todas as funções necessárias na linha e, de quebra, não faria feio se tivesse que ir pra debaixo das traves. Há anos tenta se desgarrar da imagem de “bonzinho”, que tem provocado uma severa desvalorização do seu passe, mas sempre que começa a quebrar pescoços e fazer cara de mal, todo mundo começa a chiar, principalmente os mesmos que criticam sua pose de bom moço! Mesmo assim, está no coração da torcida pois já mostrou que é capaz de, literalmente, dar a vida pelo time!

Meia armador: Arqueiro Verde

“Olho de gavião? Que é isso? Marca de rímel vendido por meio de revista?”

O que dizer de alguém que tem a capacidade de acertar qualquer alvo passe, por mais milimétrico que seja? Outro que, como o Flash, morreu foi substituído por um homônimo, mas retomou sua trajetória e titularidade. Não goza de muito prestígio entre seus colegas principalmente por, mesmo sendo um dos atletas mais ricos do elenco, viver posando de socialista. Há até quem diga que está na equipe apenas pra evitar que aceite um bico como comentarista durante a transmissão dos jogos e passe noventa minutos reclamando dos “salários astronômicos” que os jogadores recebem!

Ponta-direita: Coringa

“O que vou fazer depois da Copa? Ah, eu ainda estou devendo uma visitinha pro meu amigo Jared…”

Ele não tem velocidade, força, habilidade (exceto que mata a bola como ninguém) ou mesmo a menor disciplina tática. Mas é um jogador imarcável,  já que na região em que ele atua, NINGUÉM mais joga. Apesar de ser um atacante, literalmente, matador, é considerado meio palhaço pela crônica. Quase conseguiu uma transferência para o Corinthians, mas se recusou a pintar os cabelos.

Ponta esquerda: John Constantine

“Velho, eu virei até desenho animado! Só falta mesmo jogar na Premier League!”

Tão técnica e fisicamente desprezível quanto seu colega acima, Constantine conseguiu sua posição por ser um dos maiores trapaceiros da história do futebol, do tipo que consegue manipular até o VAR. Ou seja, nem adianta pedir árbitro de vídeo em lances duvidosos contra a DC. Além disso, é um verdadeiro mestre em irritar seus adversários e, como tem sangue de demônio nas veias, tem momentos em que pode ficar endiabrado no jogo. É dissimulado a ponto de passar boa parte das partidas com um cigarro entre os dedos sem que leve sequer uma advertência verbal do juiz.

Centroavante: Mulher-Maravilha

“Quando precisa, eu amarro o jogo!”

Claro que com dois companheiros de ataque tão fisicamente ineptos, o comando do setor ofensivo teria que estar nos pés de alguém que mais do que compensasse tal deficiência. Diana reúne todas as qualidades necessárias para a tarefa, além de ser de longe a “cara” do time em todas as campanhas de marketing.  Alguns colegas, protegidos pelo anonimato, reclamam de sua pose de princesa e se dizem entediados com seus longos discursos reclamando do “patriarcado” e solicitando a adição de novas jogadoras no time. Como, além de guerreira, ela é diplomata, foi escolhida para usar a braçadeira de capitão, ainda que nem sempre tenha a paciência necessária para a função!

Técnico, manager, diretor de futebol, presidente, patrocinador e único dono do time, além de reserva de luxo: O Batman

“Hoje eu iria comprar todos os times da Premier League, mas me disseram que era ilegal. Então comprei o Parlamento britânico e coloquei lá alguns dos meus roteiristas para garantir que eu consiga meu intento!”

O sujeito que controla tudo. Ele contrata, dispõe em campo e banca as exigências do elenco. Há boatos de que também usa sua vasta fortuna para garantir algumas vantagens junto à FIFA.  É quem garante a disciplina, principalmente do Homem-Borracha, e decide até que lado escolher na moedinha antes do início do jogo. Recentemente, teve peito de cortar do elenco o Lobo porque achou que o último czarniano não vem cuidando adequadamente da sua imagem nos últimos anos. Mesmo sem ser de fato páreo para nenhum dos seus colegas de time – nem para nenhum adversário – é um reserva “universal”, apto para jogar em qualquer posição, pois tem preparo para tanto. Mesmo sem atuar com constância, é o principal nome do time e há quem diga que, em jogos noturnos, a equipe chegou a jogar com doze, com o Batman atuando nas sombras causadas por refletores, coincidentemente, defeituosos! 

E vocês, Enxuto(a)s? Façam melhor! Ah, e deem (eita!) ideias para formarmos novos times!

Uma das melhores atuações de Neymar na Copa do Mundo de 2018!