Titio Feige só nos ‘mistériouss’

Estava eu aqui na empoeirada Mansão do BdE (a qual anda meio vazia ultimamente), quando de súbito o som do fax ecoa pela sala e mal acredito que ainda funciona. Diversas filiais do exterior ainda enviando informações, as quais pincelo aqui e acolá algo de relevante (ou não) que Kevin Feige , o todo poderoso da Marvel Studios, anda falando por aí:

– Fase 3 acaba em End Game? Noooo, that’s a brazilian joke called “pegadinha do Malandro”. Sem entrar em muitos detalhes, Feige confirmou que a fase terminará mesmo de fato e de direito em Homem Aranha: Longe de Casa;

– Em entrevista a um site Indiano (sério, diversas filiais repercutiram), quando questionado sobre a possibilidade de um super-herói gordo , digamos, com deficiências em queimar todas as calorias ingeridas, Feige mandou na lata “mais cedo do que você pensa”;

– Na mesma entrevista, sobre a diversidade nos filmes da Marvel e a possibilidade de um herói indiano, o cabra filosofou:  “não há nenhuma atualização oficial, mas queremos que nossos filmes reflitam o mundo, para refletir as audiências em todo o globo que estão torcendo para nossos filmes. Queremos que se vejam lá. Em nossas hqs, há um monte de personagens e oportunidades de fazer isso.”  

– Sobre ser arriscado um filme sobre Shang-Chi, novas filosofias: “Acho que todos os filmes que fazemos tem seu risco. Nós queremos fazer filmes que as pessoas pensem que são arriscados. Fazer uma história de um herói asiático-americano de herança chinesa é algo que é muito intrigante para nós. Vai ser realmente diferente e especial. Espero que a audiência ao redor do mundo responda a ele da mesma forma que fizeram com Steve Rogersindependente se eles têm [uma] bandeira americana ou não. É sobre a história individual, espetáculo e aventura que vêm com filmes da Marvel Studios.”

– Não esqueçamos das super-heroínas: “Eu acho que o sucesso de ‘Capitã Marvel’ felizmente prova que as pessoas querem ver isso. A Warner Bros. fez primeiro, também provou e eu acho que ‘Capitã Marvel’ prova que ‘Mulher maravilha’ não foi apenas sorte ou apenas uma vez só. Então esse será o caminho estamos trilhando para o futuro”.

E eu com isso? Well, não tenho uma opinião formada a respeito, simplesmente porque a mídia cinema é outro bicho se comparada aos quadrinhos. Há anos advogamos neste espaço que a chagada da Disney na aquisição da Marvel iria mudar o modus operandi dos quadrinhos, fato este que aconteceu, atrelando o produto origem (quadrinho) ao produto final (cinema), simplesmente pelo fato de que o segundo é algumas centenas de vezes mais rentável que o primeiro. Daí, vimos X-Men fadados ao escanteio, Inumanos surgindo e saindo e por aí vai…

Em recentes eras, notamos um caminho de ainda mais diversidade nos quadrinhos, como a ThorA, Hulk asiático, a menina Marvel muçulmana… e parece ser uma ‘prévia’ já descrita nas hqs do que está por vir. Com a volta dos mutantes para a Casa das Ideias Politicamente Corretas, pode ser ainda mais ‘virtuoso’ o ciclo de ‘engajamento’ dos filmes a temas tão caros a sociedade moderna.

Uma coisa é certa, a saturação desta temática é latente. Pelo menos na minha pessoa física. Aguardemos se esta temática de inclusão funcione. No HA ficou forçado e artificial. Mas é o que está na moda, não é me$mo?