Banner Guardians 8 A última hq eleita pelos enxutos. Clica aê e confira a história de Ângela by herself, além do tie-in Infinity na Resenha Enxuta: Guardians of The Galaxy #7-8…

Salve, salve cambada de Enxutos! Como deve ser de vosso conhecimento, uma das consequências da Age of Ultron foi à chegada da Ângela a ‘nossa’ realidade, justamente pelo rompimento do bendito tecido temporal em virtude de diversas viagens no tempo realizadas naquela saga. Como não temos mais o histórico, devidamente limado da existência pelo UOL, um breve resumo donde estamos no momento: Peter Quill sente os efeitos da ‘onda de choque’ temporal e vai buscar informações com Thanos. Ângela surge do nada e parte em direção a Terra, sendo interceptada e capturada a muito custo pelos Guardiões…
1
Sem mais delongas, aos spoilers. A edição #7 se inicia na espaçonave dos Guardiões, camuflada em órbita da Terra. Em seu interior, Ângela está em uma cela de contenção, calada. Starlord tenta conversar com a jovem, sem sucesso. Entretanto, quando Tony Cachaceiro atesta que Ângela é a única de sua espécie no universo conhecido e pergunta o que quer na Terra, a ruiva finalmente fala algo, surpresa ao saber deste fato. Tony chega a sugerir a Quill para deixar a guerreira com Abigail Brand, mas Starlord dá de ombros. A ruiva novamente pergunta o que o Pinga de Ferro quis dizer com ela ser a única de sua espécie e, quando Peter retruca a questionando de onde viera, novamente ela fica em silêncio.
2
Após um breve momento e piadinhas do Guaxinim e do Cachaceiro, a mulher pergunta com que autoridade a mantem presa. Quill menciona apenas a autoridade do certo e correto a se fazer. A ruiva fica curiosa sobre quem são estes ‘protetores’ da Terra. Há um clima de tensão entre ela e Gamora, fato este amenizado por Quill. Quando finalmente Ângela começa a falar suas origens. Afirma vir de Heven (caras, nem sei como irão fazer isso em português, mas é uma jogada entre a pronúncia e a escrita da palavra Heaven, Céu, na língua do Tolkien) e isto gera dúvidas entre os Guardiões, até que Tony esclarece os fatos afirmando ser o conceito religioso terrestre de vida após a morte. Claro que há trocentas piadinhas e referência antes desta conclusão direta.
3
Enfim, contra um inicial ceticismo de Tony Stark, Ângela revela sua história. ‘Nos’ conta ser de outro lugar chamado Heven, onde os anjos crescem aprendendo diversas e magníficas artes. Tornam-se assassinos, espiões e soldados, sendo apenas poucos escolhidos como caçadores. O lance foi que, enquanto estava em uma caçada, algo inexplicável aconteceu e a mulher vira as realidades e o tempo/espaço se abrirem. Em um momento estava em Heven. Em outro, na ‘nossa’ realidade, pairando próximo a um mito, contado para eles como uma história. A ruiva estava de fronte a Terra e ficou curiosa em conhecê-la.
4
Fechando esta edição. Quill decide libertar Ângela quando ela confessa que quer conhecer o planeta, saber o que aconteceu com Heven e achar os culpados. Rola um breve estresse com o restante do grupo, mas Peter tem o argumento mais forte, afinal o Guaxinim e seus amiches atacaram a ruiva sem um motivo aparente. Ela deixa a nave e parte para a Terra. Quill e Downey Jr. partem pouco tempo depois em seu encalço (rola um papo entre os dois sobre Tony saber acerca do ‘ruptura temporal’ e a surpresa por Starlord ter notado) para ‘garantir’ que nada de errado aconteça. Por fim, a encontram e Quill deixa um comunicador com a ruiva, rolando certo clima entre os dois. A hq termina com Tony e Star-lord divagando que seria bom se somente ela fosse a consequência da ruptura espaço-temporal…
5
Edição #8. A hq tem inicio com a invasão das tropas de Thanos na Terra e os Guardiões discutindo qual o melhor curso de ação a tomar. Enquanto Gamora defende uma ação direta, Star-Lord, mais sensato (ou com cagaço meRmo), pondera sobre estarem em menor número e poder de fogo. O papo acaba em um bate boca, onde a verdinha joga na cara de Quill que ficaram de luto por sua ‘morte’ e celebraram quando conseguira arrumar um jeito de voltar. No entanto, lamenta por não ter matado Thanos quando teve a chance e cobra explicações de como conseguira sair do Cancerverso, junto com seu pai. Há um silêncio e os demais membros visivelmente incomodados. Star-Lor logo contra- ataca, afirmando que Gamora vivera anos com Thanos e nunca tentara mata-lo…

6

A reação é repentina e violenta. Gamora o segura pelo pescoço, ameaçando-o pelo que acabar de afirmar. Quill põe panos quentes, dizendo que se realmente tivesse uma oportunidade para detonar Thanos, assim o faria e em nome dela. O clima desanuvia… e uma chamada quebra de vez a tensão. Abigail Brand envia uma mensagem de socorro para os Guardiões, alegando ser esta sua única opção, afinal não há como pedir auxílio para a SHIELD ou os Vingadores. Pelo relato, SWORD caiu em mãos do inimigo e pode infligir severo dano a Terra. Assim, mesmo sem conhecer Peter Quill e sua trupe pessoalmente, Abigail pede seu socorro pouco antes da ‘ligação’ ser cortada.

7

Quil aceita ajuda-la, mas Gamora é contra. A verde então decide partir sozinha para fazer algo que ‘deveria ter feito desde que era criança’, pega uma roupa espacial e ‘fui’. Os demais, com a quase certeza de que Stark e os Vingadores estarem mortos, partem para a SWORD em missão de resgate de Abigail Brand.

8

Fechando a Resenha. O quarteto se divide, ficando Drax e Groot na nave, enquanto somente Guaxinim e Quill invadem a estação espacial com o intuito de serem discretos. Com alguma dificuldade, adentram o recinto, descobrem Abigail presa e sendo torturada. Conseguem a libertar, matam os guardas e iniciam a fuga. Entretanto, logo são encurralados e subjugados (apenas não são mortos, pois precisam de algm segredo de comando da Abigail para a nave). A coisa fica pior ainda quando Quill ordena que Drax os resgate, mas a dupla fora descoberta no espaço e estão sendo perseguidas pelas forças de Thanos. Então, um feixe de luz singra o espaço em direção ao satélite e uma explosão ocorre próximo ao trio de heróis. É a Ângela que apareceu para ajuda-los, terminando assim a hq…

9

Comecemos as análises pelos rabiscos. Sarah Pichelli é hours concours e pouco tenho a acrescentar ao que já escrevi em outras resenhas. Sou fã da artista e, mesmo reconhecendo algumas ‘manias’ (como, por exemplo, uma pose cabisbaixa de seus personagens), o fato de ter seus rabiscos é uma atrativo a parte para ler/ver uma hq. A edição #8, desta vez, ficou a cargo de Francesco Francavilla e curti bastante o contraponto ao estilo da Pichelli, ainda mais na escoha de cores mais ‘exóticas’, em um estilo ‘old school’ bem interessante. Em matéria de rabiscos, o Guaxinim e seus Amigos está muito bem, obrigado.
E o Bendis? Tivemos duas edições bem distintas para a análise. A 7 claramente foi uma história para finalmente apresentar a personagem Ângela após algumas edições de puro massaveísmo explícito entre a ruiva e a Gamora, um quebra-pau sem maiores consequências ou justificativas. O famoso ‘gratuito’ para render comentários e agregar ao camarote vendas. Foi bem executado? Sim, com bons diálogos, um fast food rápido, bacaninha e esquecível. Assim, sendo carecia de um momento mais ‘calmo’ para que fosse posicionado quem é e as motivações da personagem, fato este realizado de forma bem satisfatória. Michael Bendis aqui faz o seu melhor, desenvolvendo bons diálogos e apostando na ‘humanização’ dos personagens. A edição 8 consegue equilibrar um pouco mais ação e ‘reflexão’. Com um início mais tenso e partindo para uma ação menos gratuita que o arco anterior, a história flui bem, conseguindo mesclar (assim como todo o arco até agora) um humor característico, sem perder o ritmo. Por sinal, a única ressalva que faço ao todo humorístico é um tanto de ‘homem aranha’ que o Quill acaba por carregar, fato este destacado até mesmo pelo Stark em uma das piadinhas da hq.
No frigir dos ovos, é uma história leve, divertida e rápida, sem maiores repercussões ou muito a se pensar. A Ângela foi enquadrada até com certa facilidade, sendo um contraponto tanto a Gamora quanto ao humor dos demais personagens. Caso não tenha nada para fazer e queira uma leitura descompromissada e com uma arte excelente, esta é a sua hq. E finalmente o Neil Gaiman fez jus ao título de ‘consultor’ desta mensal…
Nota 7,5

E non se esqueçam da enquete da semana!