Spoilers ahead! TejI avisado!

Enxutos, ano passado a Netflix (SUA LINDA) nos apresentou a melhor primeira temporada de série de super heróis de todos os tempos. Sim, pode chorar seus Dcnecos recalcados mas é simples assim. Aceita que dói menos. Excelentes caracterizações, uma história amarradinha, algumas derrapadas mas com um saldo geral extremamente positivo.
Aí os nerds low life ficaram roendo as unhas esperando 2016 chegar para poderem assistir a segunda temporada e os ânimos foram se exaltando quando, aos poucos, os anúncios e trailers foram saindo. Justiceiro e Elektra presentes na temporada fizeram geral chorar lágrimas de sangue e a expectativa era enorme até que, dia 18 de março, mais conhecida como sexta feira passada, o canal streaming liberou os 13 aguardados episódios. Então, sem mais, vamos lá:Demolidor
Basicamente, a temporada se divide em duas histórias distintas. De um lado temos Justiceiro de Jon Bernthal passando a bala nas principais gangues de meliantes de Hell’s Kitchen. Por fim, ele é preso, levado a julgamento e etc e tal.
Do outro lado temos Elektra (Elodie Yung) e todo o contexto d’A Mão e da guerra que Stick (Scott Glenn) já havia mencionado na primeira temporada. E no meio disso tudo temos os Abacates da Lei. Matt Murdock cada vez mais focado em sua luta contra o crime no turno da noite, deixando seus afazeres como advogado, sua firma, sua amizade com Foggy Nelson e seu relacionamento com Karen Paige cada vez mais de lado.
Dito isso, vamos aos prós e contra. As caracterizações continuam muito competentes no elenco principal, apesar de Karen ter se tornado uma personagem completamente diferente de sua contraparte quadrinhesca. Charlie Cox continua um ótimo Murdock e aquilo que me incomodava na primeira temporada (o fato dele direcionar seus olhos para algum objeto / pessoa em cena que não condizia com um cego) melhorou muito. Entretanto, o destaque dessa temporada fica para Elden Henson, que interpreta o melhor personagem da temporada, disparado. O colega bonachão do Atrevido deve ter agradado tanto a audiência que ele ganhou mais espaço, tempo em cena e melhores diálogos.dds2group-170418
No elenco secundário, Rosário Dawson continua absurdamente linda e… errr… Estou divagando. Enfim, ela aparece pouco, faz o mesmo que na primeira temporada e tá tudo certo. A surpresa é para Wilson Fisk de Vincent D’Onofrio que dá as caras quase no fim para um plot twist na história que, ainda que não seja surpreendente, é inusitado.
E aquilo que todos esperavam: Frank Castle de Jon Bernthal. Já de cara lhes digo que é o melhor live action que você irá encontrar. Ainda que Ray Stevenson tenha a fuça idêntica ao personagem de papel, Bernthal foi o que se deu melhor.punisher_ray_stevenson1 Ele claramente não é um bom ator mas é inegável que ele é esforçado e foi afortunado em interpretar a melhor adaptação do Justiceiro. O personagem per se é uma colagem de várias fases do personagem nos quadrinhos. Há um pouco de Garth Ennis, Chuck Dixon, Greg Rucka e por aí vai em seu Punisheiro e, em linhas gerais, convence e faz jus ao que esperava assim como Elektra de Elodie Yung. O caráter imprudente, despreocupado contrastando com o sangue nos zóio, mato mermo e gosto, ficou bem dosado e sem margem para mimimi para esse que vós escreve. maxresdefault
Bão, tudo muito lindo, maravilhoso, vocês são uns marvecos cegos que lambem tudo que a editora faz, né?
Não, jovem padawan. Há muita coisa que me desagradou nessa temporada então se prepare pro mimimi.
Ainda que o justiceiro tenha sido bem construído, etc e tal, a tônica dessa temporada é a luta contra A Mão (que eu não fazia ideia que é o nome original do Tentáculo). Se o personagem fosse excluído dessa temporada, a tal guerra podia ser o foco da mesma facilmente, sem necessidade de mais nada. A impressão que se tem é que os produtores ficaram tão satisfeitos com o resultado da primeira temporada que acabaram dando um passo maior que as pernas.NEqq4plcdvfusz_3_b E já que estou falando da Mão:
Então o Céu Negro é a Elektra? Então o que diabos é o menino que o Stick matou na primeira temporada que ele fala que é o Céu Negro?
É dito que o Céu Negro é uma arma e essa arma é uma pessoa, right? Então pra que diabos é aquela porra de buraco de 40 andares? Pensei comigo ou esse Céu Negro é uma FODENDO arma de destruição em massa mega hiper power zord ou é um gatilho de uma espécie de coisa mística oriental zen assassina ou até mesmo um ser destruidor pica grossa que sairia daquela porra de caixão alimentado de sangue. Não. Ou seja, o buraco só serviu pro efeito CARALHO, QUE FODA e mais nada.
E já que o Céu Negro é uma arma, porque não o Kirigi, aquele ninja boladão lendário da fase do Miller? Porque não usá-lo pra sair da merda do caixão em vez de manter o suspense a temporada toda em vez de mostrar no último episódio que aquela porcaria está vazia e que o Céu Negro é a Elektra?dare-pic-2
Outra coisa, o objetivo do Tentáculo Mão são armas? E depois que eles conseguirem as armas que querem, vão montar um estande de tiro, uma academia, algo assim? Eles não querem o que todos os vilões querem, tipo, dominação global, queda da economia capitalista americana, conquistar Asia, Europa e um terceiro continente a sua escolha? Armas? image
Ah, e O Casto é o Stick? Porra, a cena ficou tão merda que até o Matt vez aham. Eu esperava algo tipo:
– Então uma criança tirou a faca do peito da mãe morta e matou os melhores guerreiros da Mão. E essa criança foi chamada de O Casto.
– Aham. E você é o Casto.
– Porra Matty, claro que não. Como você é burro. Se eu fosse O Casto, o líder da seita que combate uma outra seita milenar from hell (que quer armas), você acha que eu estaria por aí dando sopa, colocando minha cara a tapa e treinando idiotas que nem você?ReallySNLImage
Mas não. O Casto é o Stick, que esteve nas mãos da Mão (maa oeeeee) que poderia ter matado o velho, enfraquecido os inimigos com a morte de seu líder e pensado em outro jeito de encontrar o Céu Negro AKA Elektra. Mas não.
Mas chega de falar da Mão e vamos mimimizar sobre outras coisas.
Poderia o desfecho do Blacksmith ser mais bosta do que foi? Totalmente apressado e jogado.
E o Punisher, hein? Dando conselhos amorosos para Karen.bitch_please_by_teslapunk-d32znko
Ainda que o personagem seja essa colagem de várias fases de sua contraparte, yadda, yadda, yadda, algumas coisas não me agradaram. Toda aquele contexto do tiro que ele tomou na cabeça se alonga demais, como se a série tentasse justificar para o telespectador o fato que ele é assim por causa disso e não pela escolha consciente de vingança e senso deturpado de justiça que ele toma pra si depois de sua tragédia. Aquele lance meio psycho dele, com dedinho TOC / nervoso ficou bem NHÉ assim como o fato dele aceitar DUAS barganhas com Wilson Fisk. O Frank que conhecemos mandaria o gordo enfiar a proposta no cu. Em todos esses anos nessa indústria vital essa é a primeira vez que isso acontece.
Já a fotografia da série é exageradamente escura e algumas coreografias de luta, principalmente do meio da temporada pro fim são bem fracas, com claros e óbvios golpes passando no ar.

Tearser da terceira temporada
Tearser da terceira temporada

Trocando em miúdos e fechando essa análise de merda, é uma boa temporada mas claramente aquém do hype que foi criado e perde fácil para a primeira. Talvez a mudança de showrunner (Steven S. DeKnight saiu depois da conclusão da temporada anterior  e deixou a serie nas mãos de Doug Petrie e Marco Ramirez) tenha afetado de alguma forma a produção, talvez os produtores tenham se deslumbrado com o sucesso da estreia da série… Enfim, não é uma temporada ruim mas, indubitavelmente, poderia ter sido muito melhor.

O foda agora? Esperar até 2017 para a próxima.